Competisport destacou-se no Rali de Baião

0

Com cerca de seis equipas presentes, cinco delas com viaturas da propriedade da Competisport, o Rali de Baião saldou-se muito positivo para a estrutura do Cartaxo. A oitava ronda do Campeonato Open de Ralis disputou-se em pisos de terra, muito favorável aos 4×4 que acabaram por dominar a totalidade o rali do Clube Automóvel de Amarante.

Luís Mota e Alexandre Ramos voltaram a fazer um rali sem problemas centrando os seus objetivos no Troféu rallycar e no Open 4 RM. Fazendo uma prova de evolução, a dupla do Mitsubishi EVO IV foi gerindo o seu rali, pensando sempre em garantir a pontuação necessária para garantir a segunda posição no campeonato. Em Baião foram os 4º da geral, e garantiram mais um triunfo no Troféu Rallycar. Com isto garantem já o vice-campeonato no Open de Ralis e o título no troféu Rallycar Maxi.

Vítor Pascoal e Luís Ramalho voltaram a surpreender já que tudo fizeram para levar o Mitsubishi EVO VII ao triunfo. Foi uma interessante luta de seguir com o piloto a perder a vitória no rali por uma margem bastante pequena, mas onde um segundo lugar não deixa de ser muito positivo pelo andamento evidenciado pelo piloto.

Em pleno estiveram Gil Antunes e Carlos Ramiro que como delineado antes da prova conseguiram já somar os pontos necessários para assegurar o título no Desafio Modelstand 2013. O piloto do Peugeot 206 da Competisport fez um rali regular, já que bastava lhe um 4º lugar para garantir o titulo. Acabaram por rodar sempre entre os três primeiros, terminando o rali no lugar mais baixo do pódio, quer no Desafio Modelstand, quer no Open 2 RM.

Salvador Gonzaga e Paulo Lopes fizeram a estreia em ralis com um carro de 4 rodas motrizes, neste caso no novo Mitsubishi EVO VII da Competisport. O piloto aproveitou a prova para fazer toda a aprendizagem de um 2 RM para 4×4 conseguindo nesta prova de estreia registar bons cronos à geral, terminando o rali na sétima posição da geral.

Mais azarada foi a segunda prova de André Mota e Eurico Adão com o Mitsubishi EVO VI, já que um problema num fio que se partiu no decorrer fez a dupla perder imenso tempo e descer para o fundo da tabela de classificação. Sendo impossível recuperar o tempo perdido a jovem dupla aproveitou para fazer com quilómetros com o carro e preparar da melhor forma as próximas provas onde querem estar num bom nível competitivo.

O único desistente acabou por ser Fernando Teotónio que viu o diferencial do seu Mitsubishi EVO VI ceder no decorrer da última especial do Rali.

Ainda assim uma excelente jornada para a Competisport e para a equipa técnica da Domingos Sport onde todos os seus carros lograram terminar o rali, com Gil Antunes a garantir já titulo no Modelstand e Luís Mota também a assegurar o vice-campeonato no Open 4 RM, além da Vitória no Troféu Rallycar.

 

competisport181013

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.