Vitória “caseira” de Max Verstappen em Zandvoort

0

Max Verstappen, da Red Bull, foi o vencedor do Grande Prémio dos Países Baixos, com uma estratégia de duas paragens, e recorrendo aos três compostos disponíveis. O holandês voador começou com macios, equipou médios e terminou com duros.

Lewis Hamilton, piloto da Mercedes, terminou na segunda posição e optou por uma estratégia diferente: começou com macios, parou duas vezes para equipar macios, antes de ser obrigado a uma última paragem para equipar pneus macios e, com este composto, conquistar o ponto extra para a volta mais rápida.

Os cinco primeiros terminaram na mesma ordem com que deram início à corrida, mas verificaram-se cinco estratégias distintas entre o top 6, o que demonstra a versatilidade estratégica que se viveu neste domingo.

Sergio Perez, piloto da Red Bull, foi o único a iniciar a corrida com pneus duros, a partir do pit lane. De seguida, equipou médios e terminou com pneus macios, conseguindo um fantástico oitavo lugar que lhe valeu a distinção de piloto do dia.

Verificaram-se várias estratégias de uma e de duas paragens. Hamilton foi o único piloto a visitar as boxes por três vezes.

A temperatura ambiental superou ligeiramente os valores registados nos dias anteriores, com a temperatura de pista a atingir um pico de 32 graus.

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

DUROS C1: Foi fulcral para a vitória de Verstappen. A maioria dos pilotos utilizou este composto para o stint final. Nicholas Latifi, piloto da Williams, registou 47 voltas com pneus duros.

MÉDIOS C2: Lando Norris, da McLaren, completou um longo stint de 42 voltas com este composto e os três primeiros classificados utilizaram pneus médios para o stint intermédio. Hamilton esteve perto de estabelecer a volta mais rápida com um conjunto de pneus médios usados, antes de ser “obrigado” a equipar pneus macios, no final da corrida, para garantir o ponto extra.

MACIOS C3: A maioria dos pilotos começou a corrida com este composto, com ambos os monolugares da Mercedes a equipar pneus macios para alcançar o registo de volta mais rápida de forma consecutiva. A degradação esteve de acordo com as expectativas, mas a taxa de desgaste foi maior do que o previsto.

FÓRMULA 3

Arthur Leclerc, piloto da Prema e irmão mais novo do piloto monegasco da Ferrari, venceu a corrida de abertura da Fórmula 3, na manhã de sábado, com todos os pilotos a equipar o composto duro.

Victor Martins, piloto da MP Motorsport, venceu a segunda corrida, enquanto que Dennis Hauger, piloto da Prema e líder do campeonato, venceu a última corrida do fim de semana.

A próxima corrida, que será também a última, decorrerá em Sochi e não em Austin, como estava inicialmente programado.

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“Os três compostos desempenharam um papel proeminente, sublinhado pela grande variedade de estratégias de sucesso que se verificaram neste novo e emocionante circuito, com os pilotos a darem o máximo até ao final. As temperaturas mais elevadas, em comparação com os dias anteriores, colocaram mais desafios nos pneus, o que fez desta opção pelos compostos mais duros uma opção correta. O desgaste foi maior do que o previsto, devido à falta de corridas longas antes da partida, mas a degradação esteve em linha com o que era esperado. Antes das paragens finais da Mercedes, no final da corrida, o pneu médio demonstrou a sua capacidade com o tempo de volta mais rápido. Parabéns a Max Verstappen e à Red Bull por esta vitória em casa.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.