Max Verstappen vence na Áustria

0

Max Verstappen conquistou a segunda vitória consecutiva e a quarta a correr da época, com uma estratégia de uma só paragem (médios-duros) depois de largar da pole position. O piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, terminou na segunda posição e seguiu a mesma estratégia, antes de fazer uma segunda paragem, na penúltima volta, para equipar pneus macios e garantir o ponto extra para a volta mais rápida.

Sergio Perez, da Red Bull, conseguiu a melhor classificação entre os pilotos que iniciaram com macios: quarto lugar. Perez, que foi ultrapassado por Valtteri Bottas, piloto da Mercedes, após uma lenta paragem nas boxes, ainda equipou médios para tentar recuperar a posição, mas não foi o suficiente.

Hamilton, Perez, Leclerc e Latifi foram os únicos a parar duas vezes. Os pilotos que podiam escolher livremente os pneus para o início da corrida optaram pelos médios, por se tratar de uma escolha mais versátil. Apesar das ameaças de chuva, tal não se veio a materializar. Pelo contrário, verificaram-se 31 graus de temperatura ambiente e 47 graus de temperatura de pista (no início da corrida).

HOW EACH TYRE PERFORMED

DUROS C2: Foi o composto mais importante para o segundo stint, devido às altas temperaturas. Todos os pilotos, à exceção de dois, utilizaram o pneu duro durante o segundo stint. Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo, foi o único piloto a começar com este composto.
MÉDIOS C3: Utilizado por todos os integrantes do pódio para iniciar a corrida. Carlos Sainz, da Ferrari, e Daniel Ricciardo, da McLaren, completaram 41 voltas com este composto, que foi o mais versátil no dia de hoje.
MACIOS C4: Utilizado por Hamilton para marcar a volta mais rápida e por outros sete pilotos para iniciar a corrida. Com as condições de hoje, este foi o composto que mais sofreu com o sobreaquecimento e a degradação.
MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“O composto médio foi o melhor para dar início à corrida, e é por isso que foi escolhido por quase todos os pilotos fora dos 10 primeiros da grelha de partida; com sete dos 10 primeiros a iniciar com macios. Isto proporcionou uma grande variedade de estratégias, algo que continuou no resto da corrida, com quatro estratégias diferentes registadas entre os cinco primeiros classificados. Para o segundo stint, o composto duro foi a melhor opção. A chuva antecipada não se materializou, por outro lado, verificaram-se condições mais quentes, com temperaturas da pista a rondar os 49 graus, o que obviamente influenciou o comportamento dos pneus. No entanto, vimos alguns stints longos, com mais de 40 voltas, com os compostos médio e o duro, bem como muita velocidade com o composto macio, que permitiu a Hamilton registar a volta mais rápida, no final da corrida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.