Pirelli estreia pneus Scorpion KX WRC no Rali de Portugal

0

O FIA World Rally Championship vai ter, pela primeira vez nesta temporada, uma prova disputada em cascalho, o que significa vamos assistir à estreia dos pneus Scorpion KX WRC da Pirelli, desenvolvidos para o regresso da marca italiana como fornecedor exclusivo.

OS PNEUS PIRELLI EM PORTUGAL

Para Portugal, o composto duro será a primeira escolha, pois está desenhado para lidar com superfícies mais abrasivas e oferecer durabilidade em etapas mais longas. O macio será uma alternativa que oferece ótima aderência em condições mais frias ou húmidas. Em ambos os compostos, o pneu apresenta um reforço adicional, particularmente na parede lateral, para proteção contra cortes e lacerações.

CITAÇÃO PIRELLI

Terenzio Testoni, gerente responsável Pirelli pelas atividades de rali deixou as seguintes palavras: “Portugal apresenta a primeira rodada disputada em cascalho da temporada, a superfície mais comum no WRC e, como tal, é provavelmente a primeira indicação de como os carros se vão comportar em relação aos outros, em circunstâncias ‘normais’. O nosso programa de testes, no ano passado, colocou ênfase no cascalho, pelo que será interessante ver como isso se traduz na competição. A superfície em Portugal é especialmente complicada, com uma base dura e rochosa coberta por um cascalho mais macio e arenoso: é por isso que escolhemos o composto duro como pneu principal para este fim-de-semana. O Scorpion KX fará a sua estreia na classe superior, enquanto que os K utilizados nos carros RC2 são um produto testado e comprovado, que já foi usado extensivamente em competições”.

PIRELLI EM NÚMEROS

A Pirelli vai transportar cerca de 2.200 pneus para Portugal, dos quais cerca de 400 serão para a classe superior.

Cada um dos pilotos do WRC pode utilizar até 24 pneus durante o rali, com uma alocação separada de quatro pneus para o shakedown. Para o rali, cada carro tem uma alocação de:

24 Scorpion KX Hard
8 Scorpion KX Soft
A Pirelli vai também fornecer 1400 pneus para os outros carros com tração às quatro rodas do evento, incluindo os inscritos no WRC 2 e WRC 3:

22 Scorpion K4A Hard
8 Scorpion K6A Soft
Uma vez mais, haverá uma alocação separada de quatro pneus para o shakedown.

Existem outros 200 pneus destinados para os pilotos que competem no Junior WRC, que em Portugal terá a sua segunda ronda:

20 Scorpion K4 Hard
8 Scorpion K6 Soft
Um máximo de 22 pneus podem ser utilizados (incluindo no shakedown)

O NÚMERO QUE IMPORTA

337.51. O Rali de Portugal deverá ser a prova mais longa do WRC até ao momento, na presente temporada, com 337,51 quilómetros competitivos.

A IMPORTÂNCIA DA ESTRATÉGIA DE PNEUS

Portugal está muito provavelmente entre os ralis mais desafiantes para os pneus da temporada. A superfície em cascalho é geralmente arenosa e macia, mas pode-se degradar rapidamente e expor pedras e rochas pontiagudas. As estratégias podem, portanto, diferir consideravelmente entre a primeira e a segunda passagem.

A NÃO PERDER DE VISTA

Sexta-feira sem serviço. Embora a prova seja sediada no Porto, a maior parte do dia de abertura do rali terá lugar mais a sul, perto de Coimbra, que recebe a cerimónia inaugural. Como resultado, não haverá serviço ao meio-dia, na hora do almoço de sexta-feira, o que significa que os pilotos terão de prestar especial atenção aos seus carros, contudo, terão de trocar os pneus.

SOUNDBITE RALI DE PORTUGAL

“Na linha de partida de Arganil, disse ao meu navegador, Christian Geistdorfer, para apertar os cintos de segurança. Queria fazer com que todos entregassem as suas licenças no final dessa fase. Queria derrota-los a todos. Ganhas confiança com a tua preparação e encontras coragem na confiança.”

Walter Rohrl, Fiat 131 Abarth, Rali de Portugal 1980

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.