Lewis Hamilton soma e segue no Mundial de F1

0

Lewis Hamilton, piloto da Mercedes, venceu a batalha estratégica em Espanha. O britânico parou por duas ocasiões, materializando uma estratégia de macios-médios-médios, para superar Max Verstappen, da Red Bull, que tudo fez para terminar a corrida com apenas uma paragem.

Quando Hamilton subiu ao primeiro posto, Verstappen fez uma segunda paragem para equipar macios e registar a volta mais rápida do Grande Prémio. Macios-médios-macios foi a estratégia seguida pelo Holandês Voador.
Esteban Ocon, da Alpine, terminou em nono e foi um dos dois pilotos a parar apenas uma vez. O outro piloto foi Kimi Raikkonen, da Alfa Romeo.

George Russell, da Williams, e os dois pilotos da Haas foram os únicos a seguir a estratégia de Hamilton. Já Latifi, o outro piloto da Williams, foi o único a parar por três vezes.
Verificaram-se temperaturas de pista a rondar os 32 graus, ou seja, inferiores, em cerca de 10 graus, em relação com as temperaturas verificadas durante a qualificação.

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

DUROS C1: Não foram utilizados na corrida devido às baixas temperaturas registadas.
MÉDIOS C2: Kimi Raikkonen foi o único piloto a começar a corrida com pneus médios. O piloto da Alfa Romeo realizou 37 voltas com este composto, antes de equipar pneus macios (foi o único piloto a seguir essa estratégia). Verstappen também recorreu a este composto, na segunda metade da corrida, para cumprir 36 voltas. Fernando Alonso e Ocon, ambos da Alpine, foram os pilotos a realizar os stints mais longos com este composto (40 e 42 voltas respetivamente.
MACIOS C3: Foi a escolha de todos os pilotos para o início da corrida à exceção de Raikkonen. Charles Leclerc, da Ferrari, e Hamilton foram os que mais utilizaram este composto durante o stint inicial: 28 voltas.
FÓRMULA 3

Dennis Hauger, da Prema, venceu a corrida de F3 deste domingo, prova que garantia mais pontos neste fim de semana. O piloto largou da pole position, conquistada na qualificação de sexta-feira. Nota para a acérrima luta entre Jack Doohan, da Trident, e Matteo Nannini, da HWA, com o filho do famoso piloto de motos a sair por cima para selar o seu primeiro pódio. Numa pista exigente, que se ia tornando cada vez mais quente, foi fundamental uma boa estratégia de gestão dos pneus duros, ao longo das 22 voltas. Os que pilotos que se revelaram capazes desta gestão viram os seus esforços recompensados, enquanto que os restantes sofreram no final da corrida com a perda de posições.

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“Esta foi uma batalha estratégica intensa, por isso talvez seja surpreendente que, no final, os quatro primeiros tenham terminado exatamente como começaram na grelha de partida, apesar das trocas de posições e das paragens nas boxes durante a corrida. As temperaturas mais baixas de hoje levaram a uma utilização mais focada nos pneus macios e médios, o que, tal como antecipámos, fez com que os pilotos realizassem duas paragens. Com a maioria dos pilotos a trocar os pneus macios por médios, verificou-se alguma flexibilidade nas estratégias. No entanto, ficou clara a necessidade de realizar duas paragens devido à natureza abrasiva e às altas exigências energéticas da pista, o que torna o desempenho do composto macio registado ainda mais positivo.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.