Mercado de usados com retração de 29% em Fevereiro face ao mesmo período do ano passado

0

Contudo, e reforçando a ideia de que o digital ganha cada vez mais preponderância no negócio do setor automóvel, o tráfego no Standvirtual subiu 8,92% em março quando comparado com o mês anterior

Principais conclusões:

● Os preços do mercado mantêm-se relativamente estáveis, tanto no segmento b2c como b2b, mas a escassez de viaturas disponíveis com preço até 10.000€ começa a colocar alguma pressão neste indicador.

● No que respeita ao mercado de novos (ligeiros e pesados), face a março de 2020, regista-se um crescimento de 29,8%. No entanto, se a base de análise for o 1º trimestre do ano face ao 1º do ano passado a quebra é de -25,7%.

● Ainda a propósito dos novos, nomeadamente analisando o tipo de energia utilizado por ligeiros de passageiros vendidos em março, percebe-se que a gasolina (48%) já tem o dobro do gasóleo (24%) e que os veículos eletrificados (elétricos, híbridos e plug-ins) já rondam os 30%. Contudo, os elétricos puros tiveram uma quebra de -30% neste mês.

● Já o mercado de motociclos, triciclos e quadriciclos subiu 59,8% em março deste ano face ao período homólogo. Estes dados da ACAP seguem em linha com o aumento da procura verificado no Standvirtual, na ordem dos 38,11%, por este tipo de veículos em março quando comparado com o mês anterior.

O Standvirtual realizou, ao fim da tarde de ontem, um Webinar para apresentar o seu habitual barómetro do mercado automóvel, desenvolvido em parceria com a Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP). O evento online contou com o contributo de algumas figuras destacáveis do setor, tais como Nuno Castel-Branco (Diretor Geral do Standvirtual), António Cavaco (Diretor do Departamento Económico e Estatístico da ACAP), Pedro Soares (Diretor Comercial do Standvirtual), Daniel Rocha (Diretor de Estudos e Planeamento do Standvirtual), Paulo Camacho (Chefe de Vendas da C. Santos VP Madeira), José Faria (CEO Espoauto) ou Rui Melo (CEO Tribalcar), e teve como principal objetivo divulgar os números e analisar como está a ser feita a retoma no setor após o segundo confinamento.

Para além das conclusões já referidas, o evento ficou ainda marcado por algumas críticas à conduta assumida pelo Governo durante esta crise e pela certeza de que o digital é uma realidade que veio para ficar no negócio automóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.