Esteban Ocon e Alpine ao «Assalto» do Rali de Monte-Carlo 2021

0

O piloto do Alpine F1 Team Esteban Ocon fará, ao volante do Alpine A110S, uma série de passagens nas especiais do Rali de Monte-Carlo 2021, nesta quinta-feira, dia 21 de janeiro.

Esteban irá pilotar, pela primeira vez, o Alpine A110S, enquanto piloto do Alpine F1 Team, nesta sua primeira participação num rali e irá percorrer duas especiais no dia de abertura do 89º Rali de Monte-Carlo, ao volante do automóvel VIP.

Depois do shakedown a primeira especial será a ES1 (às 13h10), num percurso de 20,58 km entre Saint-Disdier e Corps, seguida da ES2 que liga Saint-Maurice a Saint-Bonnet. O Alpine A110S, na tradicional cor azul, vai ostentar o nº 31.

Esta semana, a Alpine terá cinco equipas na categoria R-GT do Rali de Monte-Carlo, com Cédric Robert, Emmanuel Guigou, Philippe Baffoun, Pierre Ragues e Raphaël Astier, ao volante dos Alpine A110 Rally.

Esteban Ocon: «Esta é uma oportunidade fantástica e estou impaciente para esta minha estreia no Rali de Monte-Carlo, ao volante do magnífico Alpine A110S. Pude descobrir o Alpine A110 em outubro último, fazendo três voltas no Nordschleife. Este automóvel nasceu para este tipo de desafios, com curvas fechadas em terrenho montanhoso. Os ralis fizeram sempre parte dos meus sonhos e, portanto, pilotar o Alpine A110S no rali de Monte-Carlo é uma forma perfeita de começar o ano.»

Patrick Marinoff, Diretor-Geral da Alpine Cars: «A participação do Esteban no Rali de Monte-Carlo 2021 é a primeira ativação a ligar a Alpine Cars ao Alpine F1 Team. A Alpine tem um historial extremamente rico nos ralis e, em particular, no Monte-Carlo. É, portanto, a prova ideal para que o nosso piloto da F1 absorva as mais míticas páginas da história da marca, ao volante do Alpine A110 e nas estradas emblemáticas para as quais foi concebido. A Alpine está muito bem representada neste rali e estamos impacientes para ver, para além das passagens do Esteban, como se comportam os nossos automóveis ao longo do fim de semana.» 

Sobre o Alpine A110S

O A110S é fiel aos princípios intemporais da Alpine: leveza, agilidade e conforto para o uso no quotidiano. O A110S distingue-se das restantes versões pela potência do motor, afinação do chassis e pelos requintados elementos estilísticos, com uma excecional atenção aos detalhes e à utilização de materiais topo de gama como o carbono. O Alpine A110S oferece uma experiência de condução «intensamente» Alpine.

  • Motor turbo: Com uma potência de 292 cavalos, o A110S é a versão mais potente da gama do A110. O motor quatro cilindros, de 1,8 litros, do A110, vê aumentada em 0,4 bars a pressão de sobrealimentação no A110S.
  • Chassis sport: A regulação do chassis sport do A110S oferece a maior estabilidade a alta velocidade e uma excecional precisão no comportamento dinâmico. As novas molas helicoidais são 50% mais rígidas e a regulação dos amortecedores foi adaptada à maior rigidez das molas.
  • Suspensões e travões: A suspensão de duplos triângulos, associada à leve carroçaria em alumínio, conferem toda a agilidade e prazer de condução ao A110S. Os travões Brembo são potentes e resistentes. As jantes e os largos pneus conferem ao A110S uma excelente aderência mecânica.

A Alpine no Rali de Monte-Carlo

A Alpine nasceu a partir dos ralis e, mais exatamente, da vitória do seu fundador, Jean Rédélé na Coupe des Alpes.

Ao fazer a sua aparição nas «especiais» nos anos 60, o Alpine A110 teve sucesso imediato. Em 1969, Jean Vinatier e Jean-François Jacob terminam em terceiro lugar do Rali de Monte-Carlo. Um ano mais tarde, Jean-Pierre Nicolas e Claude Roure repetem este feito, antes da primeira vitória, em 1971, por Ove Andersson.

Criado em 1973, o Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) abriu, na sua primeira época, com o Rali de Monte-Carlo. E os Alpine A110 dominaram totalmente. Jean-Claude Andruet e Michele Petit dominaram com vinte e seis segundos de avanço sobre os colegas de equipa Ove Andersson-Jean Todt, enquanto Jean-Pierre Nicolas e Michel Vial completaram o pódio monopolizado pela Alpine. No final da temporada, a Alpine conquistou o campeonato do mundo de construtores, com um extraordinário avanço de 74 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.