O que se espera da Fórmula 1 a partir da temporada 2021?

0

A atual temporada de Fórmula 1 está em sua fase final, os fãs estão à  expectativa de conhecer o próximo campeão da maior competição de automobilismo do mundo. As apostas mundiais apontam principalmente para a estrela Lewis Hamilton por ter a maior pontuação acumulada em todas as competições. Nas Apostas Desportivas Betway você pode definir o seu favorito e ao mesmo tempo desfrutar da emoção das corridas de Fórmula 1.

Já estão sendo publicadas as novidades mais esperadas na próxima jornada de Fórmula 1 a ser realizada em 2021.Razão imperiosa para se inteirar de tudo o que rodeia esta afamada competição.

Está prevista a redução de custos nas equipes, a conformação dos conjuntos e um calendário amplo que inclui 23 corridas. A pandemia de 2020 atrasou a temporada vigente vários meses, as circunstâncias obrigaram a sua suspensão até 5 de julho. Esta contingência de saúde mundial provocou a diminuição das receitas previstas nas escudarias.

Algumas equipes como Williams e Haas sofreram grandes complicações no orçamento já que apresentavam dificuldades econômicas prévias, mas igualmente a maioria se viu afetada pela situação global.


Após a reunião realizada em 26 de outubro na cidade de Portimao, os dirigentes das equipes tomaram decisões e estabeleceram alguns acordos para o futuro.

Administração do orçamento


Um dos pontos primordiais tratou o tema de ser precavido com o orçamento estipulado para a próxima temporada. Trata-se de um período de transição, com alterações ao regulamento técnico em 2022. Está previsto que a partir desse ano corram veículos monolugares de nova geração, pelo que as escudarias deverão assumir este novo desafio que demanda tempo e dinheiro.

Diminuição dos salários


Para 2023 propõe-se uma redução nos salários dos pilotos de Fórmula 1, o salário mais elevado será de 30.000.000 de dólares divididos entre ambos automobilistas. O limite salarial não se aplica apenas aos pilotos, mas também aos gestores de equipamentos e técnicos.


A partir de 2022 as escudarias trabalharão com uma margem orçamental de 145.000.000 de dólares. Mercedes e Ferrari gastam atualmente até 400.000.000 de dólares por ano, três vezes mais que outros equipamentos.

Esta diferença cria uma vantagem significativa para as principais escudarias, enquanto para outras é difícil acumular pontos nas corridas.

Estagnação dos motores


Para reduzir custos, a medida visa interromper o desenvolvimento dos motores a partir de 2021. Se esta disposição fosse aplicada, os equipamentos reduziriam cerca de 25 milhões de dólares por ano. No entanto, a equipe Ferrari pode ser mais afetada com esta decisão, porque se você não pode melhorar seus motores pode perder a opção de ganhar a próxima temporada 2021.

No passado mês de Outubro a empresa Honda, fabricante dos motores V6 Turbo, anunciou que não fará parte da fórmula 1 em 2022, após sete temporadas contínuas a trabalhar com a Mclaren, a Red Bull e a Alpha Tauri. Esta determinação alertou a Federação Internacional do Automóvel (FIA) e a empresa Formula One Management (FOM).

Membros das altas esferas da Fórmula 1 debatem a continuidade do projeto de motores híbridos que estava adiantado desde 2014. Esperam-se mudanças em 2026, a incorporação de novas fábricas e o lançamento de novos avanços tecnológicos. Atualmente operam quatro fábricas fornecedoras, elas são: Mercedes, Renault, Ferrari e Honda.

Utilização de combustíveis sintéticos


A fim de contribuir para a redução das emissões de dióxido de carbono para o ambiente, será promovida a utilização de combustíveis sintéticos, preservando a base do motor de combustão V6. Esta opção despertou o interesse do Grupo Volkswagen, empresa que estaria disposta a entrar na Fórmula em 2023.

Definição dos equipamentos

As equipes vão ocupar parte do seu tempo para tentar definir a folha de pagamento dos pilotos titulares. Há seis vagas disponíveis para o próximo ano. Em Hass há dois lugares a serem definidos e um em:  Red Bull, Alpha Tauri, Racing Point, Aston Martin e Mercedes.

O Calendário mais longo da história

A temporada 2021 terá o calendário mais longo da história da Fórmula 1. Durante as últimas temporadas foram realizados 21 eventos. 2021 será um ano que fará a diferença com a estreia do Vietnã, o retorno da Holanda e a incorporação da Arábia Saudita.

O calendário oficial provisório está confirmado, o campeonato começaria em 21 de março na Austrália e terminaria em 5 de dezembro em Abu Dhabi. As datas são as seguintes:

• 21 de março – Austrália (Melbourne)
• 28 de março – Bahrein (Sakhir)
• 11 de abril – China (Shanghai)
• 25 de abril – TBC
• 9 de maio – Espanha (Barcelona) *
• 23 de maio – Mônaco
• 6 de junho – Azerbaijão (Baku)
• 13 de junho – Canadá (Montreal)

• 27 de junho – França (Le Castellet)
• 4 de julho – Áustria (Spielberg)
• 18 de julho – Reino Unido (Silverstone)
• 1 de agosto – Hungria (Budapeste)
• 29 de agosto – Bélgica (Spa)
• 5 de setembro – Holanda (Zandvoort)
• 12 de setembro – Itália (Monza)
• 26 de setembro – Rússia (Sochi)
• 3 de outubro – Cingapura
• 10 de outubro – Japão (Suzuka)
• 24 de outubro – Estados Unidos (Austin)
• 31 de outubro – México
• 14 de novembro – Brasil (São Paulo) *
• 28 de novembro – Arábia Saudita (Jeddah)
• 5 de dezembro – Abu Dhabi

Estes são alguns cenários que são esperados no futuro do mais famoso campeonato automobilístico do mundo. Cada um desses eventos emocionantes pode ser apreciado a partir do celular, especialmente se você se arriscar a apostar na Betway, a casa de apostas desportivas com maior experiência em esportes de velocidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.