Pirelli faz a antevisão do G.P. do Bahrain

0

O Circuito Internacional do Bahrain prepara-se para receber duas provas em dois fins de semana consecutivos, mas com a mesma escolha de pneus: C2 como duros, C3 como médios e C4 como macios.

Trata-se de uma escolha um nível mais suave do que a verificado no ano passado, onde a grande maioria dos pilotos efetuou duas paragens no Grande Prémio do Bahrain. Os pilotos entenderam que o C1 era demasiado duro e acabaram por se concentrar nos dois compostos mais macios. Como resultado, a escolha para este ano deve trazer os três compostos para a pista.

No primeiro fim de semana teremos o Grande Prémio do Bahrein, realizado no habitual layout do Circuito Internacional do Bahrein, durante o final da tarde e noite. No fim de semana seguinte, vamos assistir ao Grande Prémio de Sakhir, realizado à noite, num circuito de estilo oval curto, com apenas 11 curvas, onde o tempo de volta esperado é inferior a um minuto. Com 87 voltas, este será o GP com mais voltas do ano.

Portanto, os pneus terão pela frente dois desafios distintos, que combinam um pouco do asfalto mais abrasivo, visto ao longo de toda a temporada, com algumas das velocidades médias de volta mais altas do ano (no Grande Prêmio de Sakhir). Os pneus do meio da tabela da gama de F1 foram selecionados para dar resposta a esta variedade de desafios.

Para a primeira corrida, o Grande Prémio do Bahrein, as equipas terão dois conjuntos de pneus C3, para cada carro, para testar durante a sexta-feira, além da alocação usual para o fim de semana (dois conjuntos de duros, três conjuntos de médios, e oito de macios). Algo semelhante acontecerá também no Grande Prémio de Abu Dhabi, que encerra temporada, com um jogo de pneus C4 para cada piloto, durante a segunda sessão de treinos.

SAKHIR GRAND PRIX: CARACTERÍSTICAS DO CIRCUITO

Esta é a primeira vez que Bahrein surge tão tarde na temporada, mas as temperaturas no início e no final do ano são bastante semelhantes, pelo que os dados das corridas anteriores ainda devem ser relevantes. Um risco presente durante todo o ano é a areia que sopra do deserto que envolve o circuito, que pode sujar a superfície e reduzir a aderência.

Sakhir é um circuito de dificuldade média, com foco na tração e na travagem e, por isso, figura entre os mais rápidos da Fórmula 1, com uma velocidade média prevista de cerca de 230 km/h. Os pilotos vão ter de trabalhar muito, pois uma volta curta significa muito tráfego, o que pode tornar a qualificação e as ultrapassagens complicadas.

Haverá uma abordagem bastante diferente nos treinos livres de cada corrida. Para o Grande Prémio do Bahrain, duas das três sessões serão realizadas de dia, sobre as altas temperaturas, pelo que não serão especialmente relevantes para a qualificação e para a corrida. O mesmo é verdade para o Grande Prémio de Sakhir, mas como esta não se trata apenas de uma nova pista, mas também de um estilo de circuito totalmente novo, as equipas vão precisar de recolher o máximo de dados que puderem sobre os pneus e os carros, tirando o máximo partido de cada sessão.

FÓRMULA 2: O QUE ESPERAR

A temporada de Fórmula 2 terminará com duas rondas consecutivas que vão servir de apoio às duas corridas de F1 no Bahrein. Os pneus duros (P Zero White) escolhidos para ambos os eventos, juntamente com os médios (P Zero Yellow médio) para a primeira corrida e os macios (P Zero Red) para o fim-de-semana seguinte, sendo mais uma variável de adaptação entre os eventos, além da mudança do layout do circuito.

A F2 realizou testes no Bahrein, em março, na altura em que os novos pneus de 18 polegadas foram introduzidos pela primeira vez. Após a segunda corrida, Sakhir sediará outra sessão de testes para a F2.

MARIO ISOLA – HEAD OF F1 AND CAR RACING

“Nürburgring é como se fosse um circuito novo para todos, por isso abordamos este fim de semana como se fosse a primeira vez que a Fórmula 1 visita estas instalações, embora, claro, nos lembremos das corridas realizadas aqui nos últimos tempos e também da presença em outras competições. Para cobrir qualquer imprevisto, selecionamos os compostos médios da linha, que se adaptam perfeitamente às diversas exigências da pista. O grande desafio do fim de semana será provavelmente a meteorologia, já que nesta época do ano as baixas temperaturas e a alta probabilidade de chuvas são uma constante. Consequentemente, as equipas terão de lidar com circunstâncias incomuns num circuito com o qual não estão particularmente familiarizadas. Portanto, este GP vai privilegiar equipas e pilotos capazes de se adaptarem mais rapidamente à situação. É justo dizer que nos estamos a preparar para um fim de semana cheio de variáveis, e no qual podemos até ver os cinco pneus que transportamos para todas as corridas em ação durante o próximo fim de semana”.

OUTRAS INFORMAÇÕES PIRELLI:

O GT World Challenge Europe, que conta com o fornecimento de pneus exclusivo da Pirelli, chegou ao seu término com a corrida de seis horas. Alessandro Pier Guidi, da Ferrari, foi coroado campeão da Endurance Cup.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.