Miguel Ramos e Henrique Chaves reforçam liderança

0

Uma corrida estrategicamente desenhada que o Safety Car desfez a quinze minutos do final, tirou uma quase certa vitória à dupla Portuguesa.

No sábado e ainda que o 4º lugar na corrida 1 possa parecer pouco face ao desempenho que ambos os pilotos tiveram, estava por demais pensada, pois ao perder o 3º quase no final, permitiu limpar handicap e com isso tornarem-se mais competitivos para a corrida de domingo.

Na manhã de domingo, Chaves fez a Pole para a corrida 2 desta tarde. Um bom arranque permitiu que o McLaren ficasse desde logo longe de problemas na primeira chicane e depois foi sendo construída uma vantagem para permitir que na troca de pilotos, Ramos ficasse a salvo de perder a liderança.

Se bem estava pensada, melhor o foi conseguido, pois na saída do pit-stop Miguel Ramos saiu na frente da corrida e com uma boa vantagem que foi conseguindo manter. Contudo e devido a contingências de corrida, a cerca de 10 voltas do final o Safety Car entrou em pista e agrupou todo o pelotão.

Após o recomeço da corrida, Ramos foi fortemente atacado por Vincent April no Ferrari 488, até que este consumou a ultrapassagem a duas voltas do fim.

O 2º lugar soube a pouco, pois a dupla Portuguesa estava em esperançada em algo mais, tal como afirmou Miguel Ramos, “O Safety Car estragou-nos a corrida que estava a ser perfeita até esse momento. Sabíamos que tínhamos de fazer um primeiro stint ao ataque para no pit-stop conseguirmos sair na frente. O Henrique fez um excelente trabalho e quando entrei estava com a corrida na mão, sem que o April tivesse a mínima hipótese. Mas as corridas são mesmo assim e num instante o que parece certo, rapidamente se esfuma. Um Safety Car que não teve qualquer propósito, pois não existia nenhum obstáculo em pista e mesmo os carros que se tocaram, já tinham arrancado. Tanto assim foi que o Safety Car ia entrar, depois pensaram anular e depois entrou para fazer meia volta prejudicando a nossa corrida quando tínhamos 19s de vantagem. Até pareceu de propósito, enfim. O Ferrari estava mais forte na segunda parte e ainda que me tenha defendido o melhor que pude, esse melhor não foi suficiente. Ainda que na saída da chicane ele tivesse vindo muito a direito e empurrado o nosso McLaren para a caixa de areia, não posso dizer que foi anti-desportivo. Foi assim como que, no limite e se calhar eu teria feito igual. Em termos do Campeonato, ganhamos 1 ponto, pois na chegada a Monza tínhamos 7 pontos de vantagem em relação à dupla do Ferrari, Louis Prette – Vincent Abril e agora a sair de Monza temos 8”.

A próxima prova terá lugar em Spa – Francorchamps (Bélgica) a 17 e 18 de Outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.