Pirelli faz a antevisão do G.P. da Bélgica 2020

0

Para o Grande Prémio da Bélgica, o composto C2 da Pirelli foi selecionado como P Zero White (duro), o C3 como P Zero Yellow (médio) e o C4 como P Zero Red (macio). Trata-se de um nível mais suave do que os compostos que foram vistos em Spa, no ano passado.

Esta escolha foi feita porque, no ano passado, a maioria dos pilotos optou por apostar nos pneus médios e macios. De relembrar que muitos pilotos solicitaram uma alocação completa de 10 conjuntos de pneus macios em 2019 e apenas um conjunto de duros (algo que na presente edição já não é possível, pois as alocações dos pneus são padrão: dois conjuntos de duros, três conjuntos de médios e oito conjuntos de macios).

CARACTERÍSTICAS DO CIRCUITO

O clima na Bélgica, nesta altura do ano, é caracterizado por várias variações. Apesar de no ano passado se terem registado temperaturas elevados, será improvável que se verifiquem condições climáticas parecidas àquelas que marcaram o GP Espanha (no ano passado, o Grande Prémio da Bélgica foi disputado com temperaturas de pista consistentemente abaixo de 30 graus) – e a presença de chuva é sempre uma possibilidade. É até possível que chova numa parte da pista e que a outra parte se encontre seca. No caso de precipitação, a drenagem será um problema comum, já que a chuva pode criar pequenos lençóis de água que podem provocar aquaplanagem. Este é outro motivo pelo qual foram selecionados os pneus intermédios.

Essa variação deve-se também ao facto de a volta de 7,004 quilómetros – a mais longa da Fórmula 1 – ser tão extensa e mista, com curvas épicas como a Eau Rouge, impondo fortes forças combinadas sobre os pneus: verticais e laterais. Como resultado, Spa é um dos circuitos mais desafiadores para os pneus de todo o calendário. O asfalto também é bastante agressivo por natureza.

Não são apenas as curvas que apresentam um grande desafio: com quase 800 metros de comprimento, a reta Kemmel arrefece os pneus, o que afeta a aderência para as curvas seguintes.

Pese as exigências de Spa, no ano passado verificaram-se, em grande parte, estratégias de uma só paragem, com os três primeiros classificados a recorrerem a uma estratégia macios-médios (sendo que os pneus selecionados eram um nível mais duros). Três dos pilotos entre os 10 primeiros pararam duas vezes, enquanto que Daniel Ricciardo, da Renault, fez praticamente toda a corrida com médios, depois de uma paragem no início da corrida.

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“A reputação de Spa fala por si: é um circuito da velha escola com muita elevação e outras variáveis, que os pilotos adoram por causa dos vários desafios e sensações que oferece. A seleção de pneus deste ano é um nível mais suave do que a do ano passado, embora estejamos à espera que os carros sejam consideravelmente mais rápidos, como tem sido o caso na maior parte da temporada até agora. Spa é um dos poucos compromissos deste ano que não teve uma mudança de data em comparação com seu slot tradicional, pelo que as equipas devem dispor de muitos dados relevantes, embora este seja provavelmente o circuito onde é mais difícil prever as condições. Portanto, as equipas e os pilotos que melhor se adaptam rapidamente às novas circunstâncias tendem a ser os mais recompensados. Uma diferença para este ano é que o Spa 24 Horas não foi realizado como costuma acontecer a algumas semanas do Grande Prémio: será interessante ver se esse facto irá influenciar de alguma forma – apesar de a borracha previamente depositada seja muitas vezes levada pela chuva. Por fim, mas o mais importante, estou certo de que Anthoine Hubert estará na cabeça de todos, neste fim de semana, e estará bem presente na nossa homenagem, um ano depois do seu falecimento”.

OUTRAS INFORMAÇÕES PIRELLI

A Fórmula 2 e a Fórmula 3 vão celebrar as suas corridas paralelamente ao GP de F1, como tem acontecido desde o início da temporada.
Oliver Solberg, uma estrela do rally apoiado pela Pirelli, estabeleceu um novo recorde ao tornar-se no piloto mais jovem a vencer o mesmo evento do Campeonato Europeu da FIA (FIA ERC) em dois anos consecutivos. Se em 2019 foi o mais jovem piloto a vencer um rally ERC em Liepãja, na presente edição voltou a repetir o triunfo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.