Miguel Oliveira com vitória fantástica no MotoGP!!!

0

De forma magistral e plena de inteligência, Miguel Oliveira assinou hoje no Red Bull Ring na Áustria a sua primeira vitória no campeonato do mundo MotoGP, a segunda da KTM no campeonato no dia em que se celebrou o GP 900 da história.

Após ter visto a corrida interrompida devido a um acidente o piloto de Almada iniciou as decisivas 12 voltas ao traçado austríaco na sétima posição, tendo para tal pedido à equipa um novo pneu na roda dianteira da sua moto, com um composto mais duro do que aquele que tinha utilizado até ao momento da interrupção. No arranque para a corrida saltou de imediato de sétimo para quarto juntando-se ao grupo da frente com o qual manteve o contacto até ao final. Na derradeira volta o grupo era composto por três pilotos, Oliveira incluido e tudo se decidiu na derradeira curva quando os dois primeiros alargaram em demasia a trajectória e o piloto da KTM acelerou rumo à sua primeira vitória na categoria maior do campeonato, a 13ª na sua carreira naquele que foi o seu GP 151.

‘Primeiro que tudo queria ter a certeza de que era a última volta. Durante toda a corrida não consegui ver onde estava a minha placa de boxe, por isso não conseguia perceber se o quarto estava perto de mim ou não e concentrei-me totalmente nos da frente. Quando chegámos às últimas voltas notei que o Pol começou a utilizar trajectórias mais defensivas e pensei que ambos podiam perder muito tempo que me permitisse tirar vantagem disso mesmo na última curva. Na última curva deixei-os lutar e simplesmente vim para o interior. Quando vi a bandeira de xadrêz e ninguém ao meu redor foi pura alegria! Estou muito contente por dar a esta equipa a sua primeira vitória, é um grupo de grandes seres humanos, gente muito profissional e que realmente o merecem. Merecemos esta vitória depois de todas as lutas que travamos desde o passado ano. Chegámos a esta temporada com imenso potencial, mas por uma razão ou outra nunca o conseguimos, mas estou satisfeito por ser um daqueles que levaram este troféu para a equipa.’

Com este resultado Miguel Oliveira ofereceu à Tech3 a sua primeira vitória em MotoGP num dia bem especial pois este foi o GP 900 na história do campeonato, sendo que Miguel Oliveira se tornou no 112º piloto a vencer na categoria maior da disciplina. Com este resultado Miguel Oliveira ocupa agora a nona posição do campeonato, a seis pontos do quarto classificado e a 27 do primeiro. A próxima prova do campeonato será realizada no dia 13 de Setembro no Misano World Circuit Marco Simoncelli em Itália.

Hervé Poncharal assume que viveu um domingo de emoções fortes

Parece impossível, mas foram necessários 30 anos para que a Tech 3, uma das equipas históricas do MotoGP, conseguisse chegar à sua primeira vitória na classe rainha. Liderada desde sempre por Hervé Poncharal, a equipa francesa conheceu vários fabricantes, viu passarem nas suas fileiras alguns dos mais talentosos pilotos, como Colin Edwards, Cal Crutchlow ou Andrea Dovizioso, mas foi preciso esperar até 2020, pela mão de Miguel Oliveira, para que o tão ansiado triunfo chegasse. Um momento que Poncharal assume que até já via como impossível, especialmente num fim de semana no qual até lhe passou pela cabeça retirar-se e abandonar o motociclismo.

“Que dia incrível, com imensas emoções. Estamos há 40 anos nisto e nunca tínhamos ganho uma corrida de MotoGP. Honestamente, pensei que este dia nunca iria acontecer e hoje foi o realizar de um sonho. Aqui na Áustria, em frente aos nossos patrocinadores principais, que é a Red Bull, em frente à gestão da KTM, o nosso construtor… Para ser sincero, esta manhã estava tão desanimado depois de ver os meus pilotos de Moto3 colidirem quando lutavam pelo pódio [Deniz Oncu e Ayumu Sasaki]. Pensei que talvez fosse hora de me retirar, porque quando estás tão envolvido acabas por ficar muito triste por este tipo de coisas. E agora sou a pessoa mais feliz do mundo. Só as corridas te podem dar estes altos e baixos de emoções”, começou por apontar o chefe da estrutura francesa, que depois seguiu para os agradecimentos.

“Quero agradecer à Red Bull e KTM, pois sem eles não seria possível. Quero também dedicar a vitória ao próprio Miguel, pois tem lutado imenso. O primeiro ano não foi fácil, especialmente porque se lesionou na segunda metade da época. Temos sido rápidos desde o início, a moto evoluiu, ele evoluiu, mas nunca fomos capazes de mostrar o que valíamos por causa de circunstâncias de corrida. Mas agora conseguimos! Estou muito orgulhoso dos meus dois KTM. Agora esta é uma das motos a bater. Fizemos um incrível trabalho na fábrica, com os engenheiros, com a equipa de testes juntamente com Dani Pedrosa. Claro que os quatro pilotos ajudaram imenso”, assumiu.

Por fim, novos elogios à estrutura da KTM e a promessa de que o trabalho não ficará por aqui. “Trabalhei com várias construtoras e este grupo é ainda mais especial. Disseram que estavam prontos para competir e não é apenas um ‘slogan’, é mesmo real. Há um envolvimento muito grande, uma enorme paixão pela corrida e isso é contagiante. Vamos celebrar e esperar que surjam mais dias como este no futuro. Mas hoje quero agradecer ao Miguel, ao Iker, que fez uma fantástica corrida”.

Fontes: Assessoria do piloto e Record.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.