Citroën Vodafone Team na luta pela vitória no CPR

0

Está na estrada a edição de 2020 do Rali Vinho Madeira, a primeira das duas provas insulares inseridas no calendário deste ano do Campeonato de Portugal de Ralis. Totalmente disputada em pisos de asfalto, a prova levada a cabo pelo Club Sports Madeira contou hoje com oito especiais, sendo que o Citroën Vodafone Team terminou o dia no sétimo lugar da geral, segundo no que toca ao campeonato português.

Era esperada uma etapa exigente, à qual se juntaram temperaturas elevadas, que complicaram de sobremaneira a tarefa das equipas. Todavia, logo pela manhã surgiu a surpresa de ter parte da primeira passagem por Palheiro Ferreiro com o piso muito húmido. A verdade é que para a dupla José Pedro Fontes/Inês Ponte a manhã seria um desafio por si só, em particular devido a um “set-up” do Citroën C3 R5 que se revelou desadequado para os troços em liça: “de facto a manhã foi muito dura para nós. Nunca achei que estava a tirar total partido do carro, essencialmente por termos não termos a afinação correta,” explicou José Pedro Fontes. Havia que inverter o cenário e tentar recuperar algum do tempo perdido na secção matinal e “as alterações que fizemos deram resultado à tarde. Ainda assim temo que tenhamos perdido segundos preciosos, que nos colocaram numa posição não antecipávamos.”

O sétimo lugar geral não estava nos planos da equipa, todavia está tudo em aberto na luta pelo triunfo em termos de Campeonato de Portugal de Ralis, que é, afinal, o grande objetivo do Citroën Vodafone Team. O piloto reconhece que “vamos ter que jogar todos os trunfos para tentar vencer o CPR e é com esse objetivo que vamos arrancar para etapa de amanhã. Queremos recuperar os cerca de 22 segundos que nos separam da liderança no Nacional, mas teremos que estar atentos aos adversários que estão atrás, mas igualmente envolvidos nesta “guerra”. Vai ser mais um dia de luta, novamente sob temperaturas elevadas, em que temos estar na melhor forma, física e mental. Vontade não nos falta e ainda há muito rali para disputar.”

Pelas 9h50 de amanhã, terá início a segunda e derradeira etapa, que conta com três visitas ao Parque Fechado, uma ao início da manhã, outra a meio e outra ao final do dia, às quais se juntam os 4 troços a cumprir por duas vezes: Câmara de Lobos (10,32 km), Ponta do Sol (8 km), Ponta do Pargo (10,45 km) e Rosário (11,37 km). A cerimónia de pódio está agenda para as 18h30, na Avenida do Mar, no coração da cidade do Funchal.

Classificação (1ª Etapa):

1º Miguel Nunes/João Paulo (Skoda), 50m16,2s
2º Pedro Paixão/Luís Rodrigues (Skoda), a 9s
3º Alexandre Camacho/Pedro Calado (Citroën), a 10,2s
4º Bruno Magalhães/Carlos Magalhães (Hyundai – 1º CPR), a 19,8s
5º José Maria Lopez/Borja Rozada (Citroën), a 21,3s
(…)
7º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën C3 R5 – 2º CPR), a 42,6s

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.