Citroën Vodafone Team quer voltar às vitórias

0

• O Citroën Vodafone Team está, de novo, na Ilha da Madeira para discutir a vitória naquela que será a 3ª prova do Campeonato de Portugal de Ralis 2020, de um total de 7 jornadas.
• José Pedro Fontes e Inês Fontes irão tentar tirar partido dos diferentes set-ups obtidos nos testes entretanto realizados com o seu Citroën C3 R5, designadamente o que decorreu no passado Rali da Calheta, prova do regional madeirense que a dupla terminou no pódio.
• A componente competitiva do Rali Vinho Madeira 2020 assenta em 8 especiais, realizadas em dupla ronda e divididas entre sexta-feira e sábado, somando 160 quilómetros cronometrados, de um percurso total de 708 quilómetros.

Aos comandos do C3 R5 com as cores da Citroën e da Vodafone, José Pedro Fontes e Inês Ponte visam alcançar no Rali Vinho Madeira um resultado que lhes permita manterem-se na luta pelos títulos nacionais no CPR 2020, nas respetivas categorias (Pilotos e Navegadores).

Apostando nos resultados muito positivos dos diferentes testes de asfalto que a equipa tem vindo a realizar ao longo dos últimos meses, processo que integrou um teste em condições reais de competição, com a participação há menos de um mês no Rali da Calheta, prova madeirense que a dupla terminou no pódio, o Citroën Vodafone Team pretende impor o seu C3 R5 entre o vasto plantel de viaturas da categoria ‘R5’ que se apresentam à partida da presente edição do Rali Vinho Madeira.

“Como então referimos, apresentámo-nos no Rali da Calheta focados em testar soluções que nos permitissem encarar, com maior confiança, a prova organizada pelo Club Sports Madeira, a terceira do presente CPR. O trabalho correu muito bem e, em conjunto com os testes particulares que, entretanto, também fizemos em pisos de asfalto, permite-nos contar com diferentes set-ups, designadamente ao nível das suspensões, pneus, e de comportamento do nosso Citroën C3 R5, que podemos agora aplicar”, comentou José Pedro Fontes.

“Temos, assim, reunidas todas as condições para lutar pela vitória neste rali, que, como é sabido, é muito exigente, e onde os pilotos locais, com um vasto conhecimento das especiais, são sempre um adversário importante, se bem que sejam os nossos adversários do Nacional de Ralis quem mais nos preocupa e com quem temos que discutir os melhores tempos. Vai ser um rali longo, disputado em especiais que, em grande parte, ou são idênticas ou são variantes de troços de anos anteriores, onde vamos gerir o andamento em função dos acontecimentos. Uma coisa é certa, estamos neste Vinho Madeira para discutir a vitória, resultado que queremos oferecer aos nossos patrocinadores e aos elementos da nossa equipa.”

“Gostaria de deixar uma palavra de apreço a quem nos segue e a quem nos incentiva à nossa passagem nos troços, pois seja em ralis realizados no continente, nos Açores ou aqui na Madeira, temos sempre uma vasta legião de fãs a seguir-nos. Numa altura em que nos encontramos nesta difícil situação sanitária, que obriga à implementação de um conjunto de normas de distanciamento, uso de máscaras e outras, contamos com a colaboração de todos para fazermos deste Rali Vinho Madeira uma prova memorável pelas melhores razões”, acrescentou.

16 ESPECIAIS EM ASFALTO DIVIDIDAS POR 2 DIAS

Nesta terceira prova do Campeonato de Portugal de Ralis, o Citroën C3 R5 com as cores da Citroën e da Vodafone terá pela frente 160,66 quilómetros cronometrados, no acumulado das 16 classificativas, divididas equitativamente pelos dias de sexta-feira e sábado. Serão, de facto, 8 os palcos a repetir, em ambos os casos, em rondas realizadas nas manhãs e tardes de sexta-feira e de sábado (dias 7 e 8 agosto).

Após as habituais sessões de verificações documentais e técnicas, que terão lugar ao longo do dia de quinta-feira, os concorrentes rumam à Avenida do Mar, para uma cerimónia de partida simbólica, com a apresentação e desfile das viaturas, a realizar a partir das 21h30 e com as condicionantes implementadas para o respeito das normas sanitárias em vigor, designadamente em termos de acesso ao público.

A parte competitiva deste Rali Vinho Madeira 2020 terá início nesse mesmo local pelas 9h00 de sexta-feira, logo após a saída do Parque Fechado, seguindo-se uma primeira visita ao Parque de Assistência, para dali se cumprir a primeira passagem pelos troços de Campo de Golfe (10,49 km), Palheiro Ferreiro (8,11 km), Boaventura (10,75 km) e Cidade de Santana (10,84 km), alcançando-se, ao início da tarde, o local do Reagrupamento que divide este primeiro dia de prova. Após nova visita às assistências, segue-se idêntica sequência de troços, para uma 1ª Etapa que estará terminada com a entrada das viaturas em Parque Fechado.

A estrutura do segundo e último dia, que se inicia pelas 9h50, terá contornos semelhantes, com três visitas ao Parque Fechado, uma ao início da manhã, outra a meio e outra ao final do dia, sendo, naturalmente, diferentes os 4 troços a cumprir por duas vezes – Câmara de Lobos (10,32 km), Ponta do Sol (8 km), Ponta do Pargo (10,45 km) e Rosário (11,37 km) – uma na ronda matinal e outra após a hora de almoço. Cumprindo-se sem atrasos no alinhamento, o Rali Vinho Madeira terminará pelas 18h30 com a consagração dos vencedores e demais concorrentes que terminem a prova no pódio da Avenida do Mar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.