Ivo Lopes no comando das SBK

0

Após a dupla vitória na segunda prova do Campeonato Nacional de Velocidade 2020, disputada no Autódromo Internacional do Algarve, Ivo Lopes e a BMW Motorrad Eni regressaram ao Circuito do Estoril determinados em anular a diferença pontual (6 pontos) relativa ao, até então, líder da tabela de pontos das Superbike. Uma diferença que piloto e equipa pretendiam não só anular, mas também inverter, lutando assim pela liderança do campeonato.

O piloto da Amadora não teve, contudo, tarefa fácil, depois de sofrer uma aparatosa queda durante uma sessão de testes privados, disputada no Circuito e Navarra, Espanha, na semana antecedente à prova no Estoril. Os testes serviram de preparação para a primeira jornada do campeonato espanhol de velocidade (ESBK).

Além dos danos na BMW S1000RR, Ivo sofreu também algumas lesões, que obviamente colocaram algumas dificuldades no desenrolar da terceira jornada de CNV Moto. Ivo e sua equipa trabalharam arduamente durante os dois dias de prova para colocar a sua moto nas melhores condições para disputar as vitórias na categoria máxima da modalidade.

Arrancando em ambas as corridas da segunda posição da grelha, o piloto da Amadora entrou em pista determinado em alcançar a vitória. Na primeira corrida, disputada no sábado, Ivo Lopes e Pedro Nuno foram protagonistas de uma das melhores corridas de SBK dos últimos tempos, discutindo o comando da prova volta após volta, com sucessivas ultrapassagens.

No final, o piloto aos comandos da BMW S1000RR viria a cruzar a linha de meta na frente da corrida, mas seria penalizado por ter ultrapassado os limites de pista num dos sectores do circuito, relegando-o para a segunda posição, após o somatório da infracção ao tempo final de corrida. No entanto, haviam ainda diversos trabalhos na moto que seriam necessários efectuar para uma melhor prestação na última corrida do fim-de-semana.

Na segunda corrida, à semelhança do dia anterior, ambos os pilotos saltaram para o comando da prova numa acesa luta pelo primeiro lugar. Mas, desta feita, seria Pedro a sofrer as consequências de uma queda na rápida saída da curva 2 do Circuito do Estoril, replicando o sucedido pelo piloto com o número 75 na primeira prova do CNV Moto 2020.

Contudo, seria a vez de Tiago Magalhães colocar pressão sobre Lopes, que manteve a calma e o ritmo necessário para vencer novamente nas Superbike, reunindo pontos importantes para se estabilizar na liderança do campeonato à saída da terceira prova da temporada. Ivo e a sua equipa preparam já o início do campeonato espanhol de velocidade, deixando Portugal com a sensação de dever cumprido e objectivos alcançados.

Ivo Lopes #75
“A corrida de sábado foi difícil, positiva mas com um sabor amargo. Como sabem, na passada semana sofri uma queda aparatosa em Navarra, Espanha, onde tanto eu como a moto ficámos muito mal tratados. Estive quase 10 horas no hospital depois disso e estar a correr, recuperando parcialmente a moto, só por si, já foi uma vitória. Apenas consegui fazer um treino e continuámos o trabalho na nossa BMW S1000RR.

Arrancámos da segunda posição da grelha e esta primeira corrida serviu principalmente para me testar a mim e o meu principal adversário que esteve muito forte. Mantive um forte andamento durante toda a corrida e ataquei no final pois não compensava fazê-lo antes. Foi uma grande luta e uma grande corrida. No domingo, no ‘warm-up’, estávamos cientes das nossas limitações e determinados em ser rápidos. A primeira posição não era o mais importante, mas serviu de referência para o nosso ritmo em prova.

Na segunda corrida arrancámos novamente com um forte andamento e quando seguia o Pedro, vi ele cometer o mesmo erro que eu cometi na primeira prova do ano, o que o fez sofrer uma queda aparatosa à minha frente. Com a paragem da corrida voltámos a realizar um novo arranque, mas viria a ser novamente parada devido a uma queda e a presença de óleo em pista.

Neste novo arranque fui cauteloso na zona mais delicada da pista e consegui manter o meu ritmo com as poucas voltas disponíveis em corrida, para cruzar a linha de meta na primeira posição. Foi uma vitória importante para mim e para a equipa, que nos colocou no comando do campeonato com alguma vantagem. Agradeço aos meus patrocinadores por todo o apoio e logística mas, especialmente à BMW Motorrad Portugal e Santogal pelo esforço que fizeram para colocar a minha moto em pista. Agora é altura de preparar o arranque do ESBK!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.