Citroën a postos para lutar por lugares de destaque na Alemanha

0

A 10ª ronda da temporada do WRC marca o regresso do campeonato ao asfalto. As formações do Citroën Total World Rally Team, Sébastien Ogier – Julien Ingrassia e Esapekka Lappi – Janne Ferm, estão a postos para lutar por lugares de destaque neste difícil e multifacetado rali.

Tendo garantido um pódio logo na sua primeira participação com um WRC – terminaram em terceiro com um C4 em 2010 – a que se seguiram uma vitória, um ano mais tarde ainda com a Citroën, e duas vitórias consecutivas, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia tiveram sempre bons desempenhos neste rali, onde a sua capacidade de interpretar o percurso e o piso já deu provas inestimáveis. Sendo um dos únicos eventos integralmente disputado em asfalto, juntamente com a Volta à Córsega, o Rali da Alemanha constitui, todavia, um desafio completamente diferente da prova francesa, sendo também um dos ralis em que a Citroën já mostrou amplamente as suas credenciais (12 vitórias, 11 dos quais em WRC). Não é, portanto, uma surpresa ver os sêxtuplos campeões do mundo a encarar este evento com a firme intenção de continuar a progredir no campeonato.

Tendo vencido uma Especial na primeira participação no Rali da Alemanha em WRC (2017), Esapekka Lappi e Janne Ferm foram ainda melhores no ano passado, registando outra vitória numa Especial no percurso que foram desenhando para o seu terceiro lugar à Geral. Portanto, o seu desempenho em 2018 continua a ser seu único pódio em asfalto no WRC. Além do mais, esta ronda é um dos seus ralis preferidos devido às constantes mudanças de aderência e nos tipos de piso. Impulsionado pelo seu forte desempenho recente na Finlândia, onde terminaram num excelente segundo posto, Esapekka e Janne irão apostar na consistência com o objetivo de manter o mesmo nível de competitividade demonstrado na Escandinávia. O seu sétimo lugar na ordem de partida pode, no entanto, revelar-se uma desvantagem, especialmente se houver chuva, pois a lama escorregadia tende a espalhar-se na estrada à medida que passam mais carros nas Especiais.

Com quatro dias de testes inteiramente dedicados à preparação desta prova, realizados em locais que são representativos dos troços que irão enfrentar durante o rali, o Citroën Total World Rally Team trabalhou exaustivamente nas afinações específicas para o evento. A equipa testou numa grande variedade de tipos de estrada, e também teve oportunidade para sentir em direto a instabilidade meteorológica, o que é sempre útil neste este tipo de evento. A preparação inclui também algumas verificações finais do upgrade do motor, que será introduzido neste rali, utilizando um joker de atualização.

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

“Depois do nosso segundo lugar na Finlândia, o objetivo será manter o mesmo ritmo neste rali bastante fora do comum. Estaremos concentrados em garantir, no mínimo, mais um pódio, e também é importante que o Sébastien consiga pontuar o mais possível para o campeonato. Desde o último rali em asfalto, na Córsega, apercebemo-nos de alguns detalhes importantes para o C3 WRC neste tipo de piso, e trabalhámos afincadamente para corrigir os problemas. Portanto, para esta ronda, estou a contar com a nossa presença nos lugares cimeiros da tabela classificativa, principalmente porque se trata de um rali que conhecemos muito bem. Neste rali, vamos também introduzir alguns melhoramentos no motor do C3 WRC.”

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“O meu objetivo para a Alemanha, um rali onde sempre tive um bom rendimento, é garantir um resultado forte e alterar um pouco o rumo das coisas no campeonato. Durante os testes, tivemos vários tipos de condições meteorológicas e isso é sempre positivo. O facto de irmos fazer a Especial da base militar no sentido oposto ao habitual, pode torná-la, mais uma vez, numa Especial decisiva, embora, nos últimos, a necessidade de fazer a gestão dos pneus não nos tenha permitido andar bem nesses troços. Continua a ser uma secção complicada, tal como o é uma boa parte do rali. O risco de furar é maior do que o habitual, com as bermas bem traiçoeiras nas estradas junto às vinhas, e as pequenas e pontiagudas pedras que acabam por aparecer no piso em Baumholder.”

Nº de participações na prova: 10
Nº de vitórias: 3 (2011,2015,2016)

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Os testes que fiz em junho foram muito bastante positivos. Além de meio dia na base militar, tive um dia inteiro com uma boa base de testes, com um pouco de tudo o que podemos esperar encontrar nos pisos durante a prova, e senti-me bastante à vontade no C3 WRC. Mas é sempre difícil o nosso rendimento face ao dos nossos rivais. Entretanto, estive também um dia em Satory, o que me permitiu recuperar o meu andamento em competição. Portanto, estou a postos. É um rali complicado, onde, além da velocidade, temos de mostrar grande consistência, dado o elevado número de incidentes que, invariavelmente, acabam por ocorrer. O pódio que aqui conquistei no passado comprova isso mesmo.”

Nº de participações na prova: 5
Melhor resultado: 3º (2018)

NÚMEROS CHAVE

  • 19 Especiais, totalizando 344,04 km.
  • 36 pneus Michelin disponíveis, a escolher entre 32 de piso duro, 26 de piso macio e12 de chuva.
  • 2º: o melhor resultado do C3 WRC no Rali da Alemanha.
  • 12 vitórias consecutivas para a Citroën no Rali da Alemanha: 2001 a 2006 com o Xsara WRC; 2007 a 2010 com o C4 WRC; 2011 a 2013 com o DS3 WRC; Sébastien Ogier – Julien Ingrassi vencido a edição de 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.