Citroën com primeira etapa muito difícil na Sardenha

0

Com o dia de Sébastien Ogier – Julien Ingrassia a ter um fim prematuro devido a uma saída de estrada, e com a prestação de  Esapekka Lappi – Janne Ferm comprometida devido a vários problemas, o Citroën Total World Rally Team enfrentou uma primeira Etapa muito difícil na ilha italiana.

Com Especiais lentas e técnicas, onde as velocidades médias mal chegaram a 80 km/h, esta primeira Etapa de sexta-feira prometia ser uma jornada extremamente difícil para carros e pilotos, com as elevadas temperaturas típicas da Sardenha a entrarem na equação.

Já se esperava que os pneus seriam duramente castigados nos pisos secos e abrasivos. Por isso, uma boa estratégia de pneus poderia ser decisiva. Sébastien Ogier contou com a sua experiência nessa matéria, tentando compensar parte da sua substancial desvantagem por ser o primeiro a sair para a estrada nestas estradas da Sardenha, extremamente fracas em aderência. Após vencer a Power Stage de ontem, Sébastien e Julien Ingrassia, o seu co-piloto, concederam hoje, inevitavelmente, algum tempo, devido ao extenso processo de “limpeza” das estradas, apesar de uma inteligente escolha de pneus (3 pneus Michelin de piso duro e 2 de dureza média) para as passagens da manhã, e foram-se esforçando pelo caminho. Numa altura em que rodavam em nonos à Geral, a dupla francesa cometeu um erro muito raro, embatendo numa pedra de grandes dimensões alojada no interior de uma curva para a esquerda, bastante apertada. Não tiveram outra opção senão terminar ali o seu dia. Amanhã, Ogier e Ingrassia regressam à prova em Rally 2, procurando utilizar as restantes Especiais para realizar testes em condições reais de competição.

Por sua vez, Esapekka Lappi e Janne Ferm foram progredindo gradualmente na classificação até ao sexto lugar à geral, após a ES3, tendo depois sido vítimas de um furo (ES4). Os finlandeses tentaram recuperar o terreno perdido, conseguindo mesmo vencer uma Especial pouco depois. Com o retomar da ação da parte da tarde, a sua progressão na classificação sofreu algum atraso devido a um problema num sensor, na ES6, e à anulação da Especial seguinte. No entanto, registaram o terceiro tempo mais rápido na ES8 e foram segundos na ES9, apenas a um décimo de segundo do vencedor. Lappi e Ferm encerraram o dia em oitavos à Geral. Infelizmente, com relativamente poucos carros à sua frente na ordem de partida para amanhã, terão pela frente condições de aderência piores do que aquelas que vão enfrentar as formações que os jovens escandinavos vão tentar alcançar.

Amanhã, sábado, os concorrentes vão enfrentar a Etapa mais longa do fim de semana, com 142,42 km cronometrados, onde se incluem as duas longas Especiais de Monti di Ala’ (28,21 km) e Monte Lerno (28,03 km), cumpridas em estradas mais suaves e mais rápidas.

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

“Foi, obviamente, um dia algo dececionante para nós, com o abandono inesperado do Sébastien e do Julien após o seu erro, mas é evidente que não vamos condená-los por isso, pois, geralmente, eles cometem muito poucos erros. Mais uma vez, demostraram um impressionante espírito de luta para tentar lidar com a desvantagem de serem os primeiros na estrada. Agora, vão concentrar-se em executar alguns testes e tentar reunir dados e informações preciosos para os próximos ralis. O Esapekka e o Janne também tiveram um dia de altos e baixos, mas o mais importante é terminaram num tom positivo e demostraram o elevado nível competitivo do C3 WRC neste tipo de Especiais, quando as condições assim o permitem.”

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“Este abandono deve-se claramente a um erro meu. Apenas cortei ligeiramente a trajetória numa esquerda bastante apertada e embati numa pedra de grandes dimensões, o que partiu o braço de direção. Eu sabia exatamente onde estava aquela pedra, pois tínhamos passado por ela três vezes durante o Shakedown. Há uma ligeira subida, com pouca visibilidade, e talvez eu tenha entrado na curva um pouco cedo demais. Ainda tentámos improvisar algumas reparações, mas não conseguimos resolver a situação. Por isso, não restou outra opção senão o abandono. Não podemos esperar grande coisa deste fim de semana. Como fomos um dos primeiros a sair para a estrada, penso que não tínhamos grandes hipóteses de conquistar os cinco pontos da Power Stage, tendo em conta que as estradas têm muita areia e muito pouca aderência. Portanto, vamos ver como vai ser com os nossos rivais.”

Esapekka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Tivemos uma Etapa de altos e baixos: um furo durante a manhã e problemas num sensor da parte da tarde, o que afetou claramente a potência do motor, portanto foi muito difícil lidar com tudo isto. Mas, na verdade, terminámos o dia melhor do que começámos. Infelizmente, nas provas em terra, a Etapa de abertura é quase sempre decisiva e, tendo em conta a nossa posição ao final do dia, não vamos ter uma boa posição na ordem de partida para amanhã. Vamos apostar mais na resistência para termos alguma chance de subir na classificação.”

RALI ITALIA SARDENHA 2019

CLASSIFICAÇÃO GERAL APÓS 1ª ETAPA

1º Sordo / Del Barrio (Hyundai i20 WRC) 1:36:01.5
2º Suninen / Lehtinen (Ford Fiesta WRC) +10.8
3º Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) +11.2
4º Mikkelsen / Jaeger (Hyundai i20 WRC) +20.2
5º Evans / Martin (Ford Fiesta WRC) +20.3
6º Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +29.5
7º Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +57.7
8ºLappi / Ferm (Citroën C3 WRC) +1:03.5
10º Hänninen / Tuominen (Toyota Yaris WRC) +2:38.0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.