Sébastien Ogier bem posicionado e pronto para a luta

0
  •  Rali de Portugal (30 maio a 2 Junho) – Etapa 1

Sébastien Ogier e Julien Ingrassia voltaram a registar mais uma excelente primeira Etapa, sabendo compensar as desvantagens de serem os primeiros a sair para a estrada com um enorme sentido de oportunidade que lhes permitiu terminar o dia quinto em 5º à Geral, apenas a 3 segundos de um lugar no pódio. Igualmente impressionantes no seu C3 WRC, Esapekka Lappi e Janne Ferm estavam a caminho de uma exibição semelhante, mas sofreram um atraso devido a um pneu que se soltou de uma das jantes do seu carro. No entanto, encerraram a jornada não muito longe dos seis primeiros.

Apesar de ser cumprida em Especiais na região de Arganil que são novas para toda a atual geração de pilotos e navegadores, esta primeira – e curta – Etapa (94,50 km) acabou por se transformar num verdadeiro sprint. É de realçar que as expetativas eram elevadas, com a Etapa de hoje a decidir a ordem de partida para amanhã, a tirada mais longa do rali. O cenário apresentou-se duro para as equipas, com as Especiais a serem disputadas sob um calor sufocante calor e em estradas cujos níveis de aderência só melhoram significativamente à medida que passam mais carros.

Forçados a abrir a estrada na sua condição de líderes do campeonato, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia estiveram incrivelmente bem tendo em conta estas circunstâncias. Sextos à Geral a meio da Etapa, e tendo controlado as dificuldades com uma mestria incrível, os sêxtuplos campeões do mundo fizeram ainda melhor nas passagens da parte da tarde. Tendo sido a única formação a decidir levar apenas dois pneus Michelin de composto médio e três pneus de composto duro, enquanto os seus rivais optaram por cinco pneus de composto duro, Ogier e Ingrassia revelaram uma estratégia que resultou em pleno. Foram os segundos mais rápido na ES5 e, de seguida, registaram o terceiro melhor tempo na ES6, terminando a Etapa no quinto posto à Geral, apenas a 3 segundos dos lugares do pódio. Assim, a dupla francesa arranca amanhã da sétima posição, e tudo aponta para que prossigam o seu ataque aos lugares cimeiros.

Também Esapekka Lappi e Janne Ferm começaram em força este seu fim de semana, num rali quem 2017, marcou a sua estreia no WRC. Após a ES 22, os jovens escandinavos eram sextos à Geral, apenas a 2,3 segundos do quarto lugar. No entanto, infelizmente, um dos seus pneus soltou-se ao embater no solo após um salto, o que os fez perder mais de um minuto (ES3). Também foram azarados da parte da tarde, com o seu rápido andamento comprometido, principalmente na ES5, devido à cortina de poeira levantada à sua frente por um concorrente atrasado. Porém, Lappi e Ferm conseguiram posteriormente recuperar parte do tempo perdido. Apesar de tudo, deram provas da sua excelente forma, com um terceiro tempo mais rápido na ES6, somente a 3,2 segundos do vencedor do troço. No final da Etapa, a dupla finlandesa estava a 8 segundos do sexto lugar e, para amanhã, estão totalmente empenhados em tirar o máximo partido do seu quatro posto na ordem de saída para a estrada, e continuar a sua progressão.

Com uma distância competitiva de 160,70 km (em seis Especiais), o segundo dia do Rali de Portugal inclui duas passagens em Amarante (37,60 km), a Especial mais longa do fim de semana. As equipas vão também regressar a Especiais que conhecem melhor, e que já foram disputadas nos últimos anos. São estradas onde o piso arenoso tende a desfazer-se significativamente nas segundas passagens.

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing

“Tendo em conta a forma como, neste rali, as estradas vão ficando limpas, o Sébastien e o Julien protagonizaram hoje mais um impressionante desempenho. Muito provavelmente, era impossível fazerem mais do que fizeram ao longo de todo o dia. Deram excelentes indicações para o resto do rali, onde irão desfrutar de condições que tornarão mais fácil a sua luta pelos lugares cimeiros. O Esapekka e o Janne também mostraram um ritmo promissor e foram claramente vítimas de azar com o pneu solto. O seu ‘feeling’ e a sua confiança no C3 WRC têm vindo a melhorar constantemente, e tenho grandes esperanças de que possam amanhã continuar a demonstrar essa mesma atitude”.

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“Estou satisfeito com o nosso resultado tendo em conta as dificuldades tivemos hoje na abertura da estrada, especialmente nas primeiras passagens. Se me tivessem dito, à partida, que ia acabar a primeira Etapa no quinto posto, se calhar não acreditava. A diferença para o Ott já é bastante grande, mas a equipa segunda colocada não está assim tão distante. Agora, é tentar dar o nosso melhor e apanhá-los. O segundo dia vai ser bem longo e provavelmente muito difícil, mas vou dar tudo por tudo.”

Esapekka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Tivemos azar com o furo, mas apraz-me ver que, aqui, estamos a ser muito mais competitivos do que em ralis anteriores. Estamos no caminho certo, principalmente porque começo a sentir que podemos fazer ainda melhor. E é esse o nosso objetivo para o resto do rali: focarmo-nos na nossa corrida e enfrentar a luta com o Teemu, tendo sempre o cuidado de nos mantermos afastados de problemas. “

RALI DE PORTUGAL 2019

CLASSIFICAÇÃO GERAL APÓS 1ª ETAPA

1º Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) 1:03:26.7
2º Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) +17.3
3º Meeke / Marshall (Toyota Yaris WRC) +22.8
4º Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +24.2
5º Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) +25.8
6º Suninen / Salminen (Ford Fiesta WRC) +1:15.7
7º Greensmith / Edmondson (Ford Fiesta WRC) +1:22.1
8º Lappi / Ferm (Citroën C3 WRC) +1:23.7
9º Veiby / Andersson (VW Polo R5) +3:45.2
10º Kopecky / Dresler (Skoda Fabia R5) +3:49.3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.