Pirelli faz a antevisão do G.P. do Brasil 2018

0

O Grande Prémio do Brasil, realizado no intenso anfiteatro do circuito de Interlagos – próximo do coração de São Paulo – marca a última aparição da época para os pneus P Zero Branco médio e P Zero Amarelo macio, nomeados em conjunto com o P Zero Vermelho supermacio para este fim-de-semana. É bem sabido que esta é uma corrida onde tudo pode acontecer, tanto em termos de meteorologia como de ação em pista. O Brasil representa um dos mercados únicos mais importantes para a Pirelli no mundo, com três grandes fábricas produtoras de pneus que equipam cerca de metade do número total de automóveis nas estradas brasileiras.

O CIRCUITO DO PONTO DE VISTA DOS PNEUS

Perante estas condições, a nomeação para o Brasil é a mesma do ano passado, embora na realidade seja ainda mais macia – todos os compostos de 2018 são mais macios do que os de 2017.

O Brasil é a terceira volta mais curta do ano (atrás do Mónaco e da Cidade do México) com 4.309 quilómetros, o que significa que os pneus serão trabalhados numa sequência praticamente ininterrupta de curvas e com bastante movimento de veículos.

Em termos de meteorologia, este é talvez um dos eventos mais imprevisíveis do ano: corridas anteriores incluíram as temperaturas mais quentes registadas em toda a época, assim como chuvas torrenciais.

O pneu traseiro direito será o mais forçado nesta pista com sentido contrário ao dos ponteiros do relógio, estando os pneus sujeitos a curvas rápidas e forças combinadas: estas grandes pressões são a razão da escassa nomeação de pneus rígidos.

A estratégia vencedora do ano passado foi supermacio-macio com uma paragem, apesar de também se terem registado duas paragens. Uma paragem será a estratégia provável das equipas para este ano.

MARIO ISOLA – DIRETOR MOTORSPORT

“Não esperamos algo muito diferente do que temos visto em anos anteriores no Brasil: a única alteração é que trazemos uma nomeação que é ainda mais macia. Os atuais médio e macio são semelhantes ao conjunto macio-supermacio do ano passado usado na estratégia vencedora da corrida, enquanto o supermacio deste ano – o pneu mais macio que escolhemos para este fim-de-semana – é praticamente equivalente ao ultramacio de 2017, que não veio ao Brasil. Assim, efetivamente este pneu faz a sua estreia em Interlagos. Evitar toques ou acidentes, e uma crucial gestão de corrida é sempre importante no Brasil. Devido às grandes pressões até às curvas rápidas e possíveis temperaturas elevadas, a degradação é outro fator a ter em mente – embora não esperemos que seja excessiva sob circunstâncias normais.”

O QUE HÁ DE NOVO?

No fim-de-semana a seguir ao Grande Prémio do Brasil, os pneus P Zero GT da Pirelli entrarão em ação no famoso Circuito da Guia em Macau para o FIA GT World Cup, onde participarão os melhores pilotos de GT do mundo.

O brasileiro Enzo Fittipaldi – neto do bicampeão do mundo Emerson Fittipaldi – venceu recentemente o campeonato italiano de Fórmula 4, no qual corre com pneus Pirelli.

A piloto colombiana Tatiana Calderon completou 23 voltas do Autodromo Hermanos Rodriguez numa demonstração de pneus Pirelli após o Grande Prémio do México, sucedendo a Susie Wolff como a última mulher a conduzir um monolugar F1 contemporâneo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.