Haas F1 Team marcou pontos pela terceira corrida consecutiva

0

A Haas F1 Team marcou pontos pela terceira corrida consecutiva, uma vez que Kevin Magnussen terminou em nono o Grande Prémio da Grã-Bretanha. O seu colega de equipa, Romain Grosjean, foi impossibilitado de se juntar a Magnussen entre os dez primeiros, uma vez que foi obrigado a abandonar na trigésima sétima volta das cinquenta e duas ao circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas que compunham a corrida, depois de um contacto com o Renault de Carlos Sainz, que enviou ambos os pilotos para fora de corrida.

Grosjean e Magnussen iniciaram o décimo round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 lado a lado, mas perderam lugares pouco depois dos semáforos devido ao incidente que ocorreu à frente deles entre Lewis Hamilton, autor da pole-position, e Kimi Raikkonen, terceiro classificado na grelha de partida. Na verdade, os dois pilotos da Haas F1 Team protagonizaram um toque entre eles na tentativa de evitar o caos à sua frente. Os Comissários Desportivos analisaram o toque entre os dois pilotos da Haas F1 Team, mas determinaram que não existiam motivos para penalizações, ao passo que Raikkonen foi obrigado a cumprir uma penalização de dez segundos por ter provocado um contacto evitável com Hamilton, que entrou em pião.

Com uma estratégia de uma paragem, Magnussen rodava no décimo posto e Grosjean em décimo terceiro, depois do caos da curva três. Hamilton, que caiu para último com o incidente que protagonizou com Raikkonen, não baixou os braços e realizou uma recuperação. Ganhou o décimo terceiro lugar a Grosjean na quarta volta e o décimo a Magnussen na sexta.

As equipas que optaram por uma estratégias de duas paragens começaram a trabalhar na décima quarta volta. Fernando Alonso parou o seu McLaren para trocar de pneus na décima terceira volta, o que permitiu que Grosjean subisse a décimo terceiro. Com o pelotão a passar pelo seu ciclo de mudanças de pneumáticos, os pilotos da Haas F1 Team subiram aos seus lugares originais na grelha de partida, estando vigésima primeira volta Magnussen no sétimo posto e Grosjean no oitavo. Finalmente pararam em voltas consecutivas, trocando os Pirelli P Zero Amarelo/Macios com ambos iniciaram a corrida por médios que deveriam levar ambos os pilotos até ao final da prova. Magnussen parou na vigésima quinta volta, caindo para décimo primeiro, e Grosjean na vigésima sexta, descendo para décimo quinto.

Magnussen reconquistou uma posição, subindo a décimo, ao passo que Grosjean estava ainda no décimo quinto posto, quando o Safety-Car entrou em pista devido ao despiste do Sauber de Marcus Ericsson, estavam decorridas trinta e duas voltas. Magnussen subiu a nono e Grosjean a décimo primeiro, assim que as equipas que optaram pela estratégia de duas paragens chamaram novamente os seus pilotos às boxes.

A prova foi recomeçada na trigésima oitava volta, tendo então o dia de Grosjean chegado a um fim prematuro, quando Sainz o apertou no apex da direita rápida de Copse, Curva 9. Ambos os pilotos entraram em pião, ficando presos na gravilha da escapatória.

Na quadragésima segunda volta a corrida foi reiniciada, tendo Magnussen e Fernando Alonso, em McLaren, protagonizado uma batalha dura pelo nono lugar, trocando de posições múltiplas vezes com Magnussen finalmente a assegurar a posição.

Magnussen subiu a oitavo, quando Max Verstappen, da Red Bull, abandonou a corrida, estavam decorridas quarenta e seis voltas. Magnussen fez o melhor para repelir os ataques de Alonso, mas a cinco voltas da bandeirada de xadrez viu-se obrigado a ceder a sua posição ao espanhol.

Sebastian Vettel, da Scuderia Ferrari, venceu o Grande Prémio da Grã-Bretanha, deixando Hamilton a 2,264s, que realizou uma recuperação impressionante até ao segundo posto. Foi a quinquagésima primeira vitória de Vettel na Fórmula 1, a sua quarta esta temporada e a sua segunda em Silverstone, mas a primeira desde 2010. Esta vitória permitiu a Vettel aumentar a sua vantagem na liderança do Campeonato de Pilotos, tendo agora uma vantagem de oito pontos para Hamilton, o segundo classificado.

Com dez rondas de vinte disputadas, a Haas F1 Team mantém o quinto posto no Campeonato de Construtores, com cinquenta e um pontos, a dezanove da Renault e com uma margem de três para as sextas classificadas, Force India e a McLaren, detendo uma vantagem de trinta e um pontos para a sétima classificada, a Toro Rosso. Magnussen é nono no Campeonato de Pilotos, com trinta e nove pontos, e Grosjean o décimo quinto, com doze

O Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 de 2018 prossegue com o Grande Prémio da Alemanha, que se realiza em Hockenheimring em Hockenheim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.