Azar para Sebastien Loeb no México

0

O Citroën Total Abu Dhabi WRT viveu fortes e diferentes emoções no terceiro dia de prova. Quando comandavam o rali com toda a supremacia, Sébastien Loeb e Daniel Elena sofreram um furo que os atirou para quinto lugar à Geral. Por sua vez, Kris Meeke e Paul Nagle continuaram a mostrar a sua boa forma, tendo vencido mais uma Especial  e ascendido ao segundo posto. A dupla ficou, assim, em excelente posição para alcançar um lugar no pódio final.

Arrancando com a Especial de Guanajuatito, com cerca de 30 km de extensão, o segundo dia de competição a sério prometia fortes emoções e desafios. Com efeito, esta Especial é conhecida por colocar todo o tipo de dificuldades que fazem do Rali do México uma prova única: estradas extremamente estreitas e tecnicamente muito exigentes, ladeadas por rochas e pedras que exigem uma condução simultaneamente cuidadosa e flexível.

Foi precisamente nesta difícil Especial que Sébastien Loeb decidiu atacar a fundo. O eclético piloto de 44 anos assumiu o comando da prova depois de vencer mais uma Especial, o que aconteceu pela terceira vez desde o início do rali! Isto veio confirmar que o ás francês está totalmente à vontade no C3 WRC, que este fim de semana se tem mostrado particularmente competitivo. Contudo, Kris Meek recusou-se a ficar de fora da luta: o piloto da Irlanda do Norte ascendeu ao terceiro posto à Geral na primeira Especial do dia e foi o mais rápido na Especial seguinte (ES12). Portanto, os dois homens da Citroën concluiram a primeira passagem no primeiro e terceiro lugares, respetivamente.

Infelizmente, a magistral exibição de Sébastien Loeb e Daniel Elena não iria durar muito tempo. Um furo no início da primeira Especial da tarde (ES 14), custou mais de dois minutos à dupla nove vezes campeã mundial de ralis, e gurou as suas expectativas para um lugar no pódio. Este infortúnio nada retira à sua incrível performance seis anos passados sobre a sua última presença no México e três depois da sua última participação num rali do WRC.

Enquanto isso, Kris Meeke  dava mais provas da sua tenacidade ao subir mais um lugar na classificação. Apesar de um pião na ES 15, o piloto de 38 anos conseguiu segurar a segunda posição até ao final do dia, com uma vantagem de 10,9 segundos em relação ao terceiro classificado.

Com diferenças tão curtas entre os pilotos da frente, a última de Etapa de domingo – constituída por três Especiais ao longo de 46,46 km – promete mais um dia cheio de emoções!

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing: “Para nós, foi obviamente um dia marcado por sortes diferentes. Para começar, vivemos uma manhã excelente quando o Seb e o Daniel alcançaram a liderança do rali, e , logo a seguir, veio a desilusão quando tiveram o tal furo. A decisão de mudar a roda revelou-se extremamente onerosa, porque, de outra forma, eles teriam terminado o dia no pódio. Mas, na verdade, não podemos censurá-los por isso, especialmente depois da sua excepcional exibição aqui no México! Enquanto isso, o Kris teve um desempenho sólido, apesar de alguns erros, e tem agora a oportunidade de garantir um bom resultado. Ainda tem algum trabalho pela frente na última Etapa.”

Kris Meeke: “Em termos de andamento foi um dia bom para nós, principalmente durante a manhã, quando nos sentimos bastante à vontade. Foi então que beneficiei do furo do Seb, o que faz parte dos ralis, além de que esta Especial era particularmente difícil devido às muitas e pedras soltas na estrada. Temos agora de terminar a nossa missão no domingo tentando segurar o segundo lugar, mas sei que não é fácil. A Power Stage também pode ser interessante, com temperaturas bem altas por volta da hora do almoço, o que nos obriga a bastante cautela na escolha dos pneus, pois durante a manhã faz muito menos calor.”

Sébastien Loeb: “Durante a manhã foi excelente a sensação de podermos confirmar a nossa performance de sexta-feira, e chegar à liderança depois de seis anos de ausência do Rali do México. Para ser sincero, antes da prova começar, não contava chegar onde cheguei, mas não deixa de ser muito animador saber que não perdi os meus dotes de condução! Tudo apontava para um bela luta nos lugares da frente quando tivemos o furo. Havia duas curvas seguidas com pedras na berma interior. Passamos por cima de algumas das pedras e uma delas foi fatal. O nosso erro foi mudarmos a roda. Não estava muito seguro acerca da durabilidade destes pneus e o nosso instinto não foi o mais acertado, mas, muito possivelmente, fomos levados pela experiência que temos dos rali-raides! Teríamos perdido muito menos tempo se não tivéssemos parado para mudar a roda, mas foi assim que as coisas se passaram. Agora vamos dar tudo para chegar ao fim e desfrutar o mais possível da condução do carro.”

RALI DO MÉXICO 2018

CLASSIFICAÇÃO APÓS DIA 3

  1. Ogier / Ingrassia (Ford Fiesta WRC) 3:25:03.1
  2. Meeke / Nagle (Citroën C3 WRC) + 35.9
  3. Sordo / Del Barrio (Hyundai i20 WRC) + 46.8
  4. Mikkelsen / Jaeger (Hyundai i20 WRC) + 1:28.4
  5. Loeb / Elena (Citroën C3 WRC) + 2:19.7
  6. Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) + 4:44.6
  7. Tidemand / Andersson (Skoda Fabia R5) + 9:24.2
  8. Greensmith / Parry (Ford Fiesta R5) + 15:06.8

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.