test

Equipa Megapeças/INAtrucks sem sorte em Fronteira

0

A equipa gaiense MEGAPEÇAS/INAtrucks participou em mais uma edição das AFN 24 Horas de TT Vila de Fronteira. Uma prova que se realizou nos passados dias 25 e 26 de novembro.

A pilotar a Toyota Hilux, estiveram Jorge Silva, Manuel Inácio, Carlos Rolla, José Cunha e Aloísio Monteiro. Um quinteto de experimentados pilotos, bem conhecidos pela sua rapidez e consistência de andamento.

Nos treinos oficiais, conseguiram um excelente 13º posto, entre quase oito dezenas de pilotos, Uma posição que correspondia a um sétimo lugar, na sua categoria. De realçar será, o facto de na classificação serem a terceira equipa, constituída totalmente por portugueses.

Partida dada, eram 14 horas de sábado, com Carlos Rolla nos comando da Hilux, a lutar pelo Top 10.

Tudo a decorrer dentro da estratégia combinada, com a equipa a rolar dentro do minuto definido.

Porém, com cerca de seis horas de corrida já realizadas, e com 23 voltas completadas, um alarme surge. Uma comunicação para as boxes, referia que nem tudo estava normal.

A Toyota vem devagar para a assistência, com um problema de transmissão. Uma pequena peça tinha-se partido, mas a situação agravou-se, rapidamente.

A assistência tentou encontrar solução para o acontecido, a Hilux regressou à prova, mas, duas voltas depois, a opção foi desistir. Ainda faltava muito tempo para a prova terminar e seria quase impossível completar as 24 horas com um bom resultado.

“Caso faltassem poucas horas, certamente que insistiríamos e poderíamos ter concluído a prova. Mas não era o que acontecia, pois ainda nem metade das horas tinham passado. A única opção seria desistir, pois o problema ir-se-ia agravar ainda mais e não chegaríamos ao final. Foi pena, pois o carro estava muito bom, e teríamos conseguido um bom resultado. Foi azar o ter-se partido uma pequena peça, o que nunca tinha acontecido nem era de esperar. O problema agravou-se e a única opção era parar”, confessou Jorge Silva, o piloto da Megapeças e principal mentor das participações da equipa, nas provas de 24 Horas de TT.

Terminada esta prova de resistência, o cronometro já entrou em contagem decrescente, quanto à participação do próximo ano.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.