Super Seven com corridas espectaculares no Algarve

0
  • Três primeiros no confronto inaugural separados por 16 milésimos

Diversão para os pilotos e muito espectáculo para o público presente nas corridas do Super Seven by Kia que se realizaram, entre ontem e hoje, no Autódromo Internacional do Algarve. Os dois confrontos desta penúltima jornada do troféu organizado pela CRM Motorsport foram emocionantes. Destaque para o primeiro em que os três do pódio ficaram separados por 16 milésimos de segundo. Gonçalo Inácio foi o melhor entre os 420R, enquanto José Carlos Pires se impôs nesta categoria na última corrida. Entre os 1600, Sérgio Saraiva venceu no sábado e o seu primo, David Saraiva, ganhou no domingo.

A penúltima jornada do Super Seven by Kia 2017 foi histórica. Meia centena de automóveis preencheram uma grelha a perder de vista. Os concorrentes portugueses receberam “reforços” de Inglaterra, tal como tem acontecido nos últimos anos, e o circuito nos arredores de Portimão encheu-se para mais uma cimeira bilateral com espírito de competição no DNA.

As corridas não defraudaram as expectativas e a satisfação pelos excelentes espectáculos era transversal a pilotos, elementos das equipas e público em geral. Na primeira corrida, Gonçalo Inácio não só venceu entre os concorrentes do Super Seven by Kia como o fez à geral. Mas não teve tarefa fácil. Ricardo Leitão, que fechou em segundo, ficou a 12 milésimos. Hugo Araújo, que completou o pódio, acabou a 16 milésimos.

“Esta foi uma das corridas mais divertidas que já fiz na minha carreira”, exultou Gonçalo Inácio. “Qualquer um dos quatro primeiros podia ter ganho. Era justo”, sublinhou.

Nos 1600, Sérgio Saraiva também foi o mais forte nesta reunião luso-britânica. O piloto da Guarda saiu de primeiro entre os portugueses e terceiro à geral. Logo no início saltou para a frente e controlou até ao fim. José João Magalhães foi segundo, enquanto Luís Lisboa terminou no pódio.

Na categoria Business, Pedro Falé teve um fim-de-semana de sonho e venceu as duas corridas em que participou. Para o empresário no mundo audiovisual, o resultado da primeira corrida foi “muito bom”, afirmou. Vencer e ser quarto entre os 1600 era algo que não esperava à partida. No confronto inaugural, Rodrigo Galveias ficou em segundo, enquanto Paulo Galveias e José Kol de Almeida protagonizaram um grande duelo para conquistarem o último lugar do pódio. Neste particular, o primeiro levou a melhor.

Depois do espectáculo de sábado, as expectativas em relação à segunda corrida eram muito altas. O arranque foi cedo, logo às oito horas. Mas ninguém entrou a dormir e, mais uma vez, houve emoção volta após volta. “Estas corridas são extremamente divertidas. É uma tremenda animação”, reforçou Luís Lisboa, um dos participantes.

Na classificação reservada aos 420R, José Carlos Pires foi o melhor. O piloto obteve um triunfo que lhe permite ir para a derradeira ronda com o objectivo de vencer a competição. Ricardo Leitão, que foi segundo, também tem fortes hipóteses de conquistar o troféu. O piloto teve de se aplicar porque, depois do acidente sofrido nos treinos cronometrados, não sabia, sequer, se poderia competir. Na primeira corrida andou sempre na frente, mas na segunda teve de recupera “de 25º para sexto, segundo entre os portugueses”, destacou. Com este resultado, mantém-se entre os melhores.

Nuno Santos tinha conseguido a pole-position e acabou a corrida no pódio, masi precisamente no terceiro lugar. “Estas corridas fazem lembrar o karting, com ultrapassagens a toda a hora”, realçou. Às portas do pódio, Luís Calheiros Ferreira fez uma corrida de recuperação, sempre a subir posições.

Nos 1600, David Saraiva repetiu a façanha do seu primo e Diogo Lopes, que se estreou no Super Seven by Kia, ficou em segundo depois de ter obtido a pole-position. José João Magalhães acabou no último lugar do pódio. A categoria teve despiques intensos ao longo das 13 voltas que deram ao circuito. Yohan Sousa teve uma corrida muito animada. O campeão de karting e vencedor de um prémio FPAK estreou-se nos automóveis e deu muito boa conta do recado. Protagonizou lutas animadas com Luís Lisboa e José João Magalhães.

Diogo Costa regressou à família Super Seven e foi outro dos pilotos que teve dois confrontos repletos de emoção. Já Jorge Miguéis e Frederico Brion estão a aprender e a conhecer o carro, mas nem por isso deixam de contribuir para um espectáculo maior no Super Seven by Kia.

Na categoria Business, Falé voltou a vencer, mas desta fez teve a família Galveias a seu lado. Rodrigo ficou em segundo e Paulo fechou em terceiro.

Muito satisfeito, o responsável do Super Seven by Kia, salienta que este é a imagem de marca da competição. “As corridas animadas e espectaculares e um fabuloso ambiente no paddock é o que de melhor tem o Super Seven by Kia. Continuamos a crescer o número de entusiastas à volta das corridas com mais adrenalina para pilotos e público. Isso vai obrigar-nos, novamente, a ter duas grelhas no Estoril Racing Festival, que será palco de um encerramento a deixar muita água na boca para 2018”, disse.

O Super Seven by Kia encerra a sua temporada entre os dias 10 e 12 de Novembro com a derradeira jornada a realizar-se no Estoril Racing Festival.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.