Renault, a Nissan e a Mitsubishi Motors vão reforçar a cooperação

Renault, a Nissan e a Mitsubishi Motors vão reforçar a cooperação

 

Aliança 2022: O novo plano visa obter sinergias anuais de 10 mil milhões de euros e prevê vendas de 14 milhões de automóveis com um volume de negócios consolidado de 240 mil milhões de $

A Renault, a Nissan e a Mitsubishi Motors vão reforçar a cooperação e acelerar a partilha de plataformas, de motores e de novas tecnologias

O novo plano, para os próximos seis anos, pretende atingir os seguintes objetivos:

  • Produzir mais de 9 milhões de automóveis em quatro plataformas comuns
  • Aumentar a proporção de motorizações comuns, passando de um terço para três quartos de motores partilhados
  • Gerar novas sinergias através da partilha de tecnologias nos domínios da eletrificação, conectividade e condução autónoma
  • Propor 12 novos modelos 100% elétricos com plataformas e componentes partilhados
  • Desenvolver 40 novos modelos equipados com tecnologia de condução autónoma
  • Tornar-se um operador de serviços de mobilidade «à medida» através de veículos robotizados

O novo plano Aliança 2022, anunciado hoje e para os próximos seis anos, visa duplicar o valor das sinergias anuais da Aliança. O objetivo é gerar 10 mil milhões de euros de sinergias anuais no final do plano

«Hoje a Aliança ultrapassa uma nova etapa. O plano Aliança 2022 fixa o objetivo de atingir 10 mil milhões de euros de sinergias anuais. Isto será possível devido, por um lado, à aceleração da colaboração entre a Renault, a Nissan e a Mitsubishi Motors nas plataformas, nas motorizações e nas novas tecnologias relativas aos automóveis elétricos, autónomos e conectados. Por outro lado, as sinergias irão aumentar pelo incremento das economias de escala. As nossas vendas anuais deverão ultrapassar, no final do plano, as 14 milhões de unidades, gerando um volume de negócios de 240 mil milhões de $», sublinha Carlos Ghosn, Presidente Diretor-Geral da Aliança.

A utilização de plataformas comuns irá intensificar-se com nove milhões de automóveis fabricados sobre quatro plataformas. A utilização de motores comuns vai igualmente aumentar e representará 75% das vendas totais da Aliança.

O plano Aliança 2022 prevê também um forte aumento da partilha de tecnologias relativas aos automóveis elétricos, o desenvolvimento e comercialização de sistemas de condução autónoma e conectada, bem como de novos serviços de mobilidade.

Até 2022 serão comercializados doze novos veículos elétricos zero emissões que utilizarão plataformas comuns e dedicadas bem como componentes multissegmentos. Em paralelo serão colocados à venda 40 veículos com diferentes níveis de condução autónoma dos quais alguns com autonomia total. A nova estratégia da Aliança para a oferta de serviços de mobilidade assentará, nomeadamente, na disponibilização da oferta de um serviço, «à medida do utilizador», de transporte de pessoas graças a veículos robotizados.

Em paralelo ao anúncio do plano Aliança 2022 foi revelado o novo logotipo da Aliança, símbolo do reforço da convergência e da cooperação entre os seus membros.

«Este plano vai reforçar o crescimento e a rentabilidade das empresas que constituem a Aliança. Iremos aumentar as sinergias através da cooperação entre estas três empresas, que serão autónomas, mas que devem agir com a eficácia de uma única. Desde 1999 a Aliança produziu crescimento apoiando-se sobre as duas empresas que eram membros. Com o plano Aliança 2022 iremos demonstrar que podemos gerar crescimento e desempenho com três ou mais membros», concluiu Carlos Ghosn.       

SOBRE A RENAULT-NISSAN-MITSUBISHI:

O Grupo Renault, a Nissan Motor e a Mitsubishi Motors formam a maior Aliança mundial do setor automóvel e formam a parceria intercultural mais antiga e mais produtiva da indústria automóvel. As vendas acumuladas dos três parceiros atingiram, em 2016, quase 10 milhões de automóveis vendidos em cerca de 200 países. A Aliança está centrada na colaboração e otimização das sinergias de forma a promover o máximo de competitividade para os seus membros. A Aliança mantém outras colaborações estratégicas com outros fabricantes como a Daimler e a Dongfeng. A Aliança é líder no domínio dos veículos elétricos zero emissões e desenvolve tecnologias de ponta para disponibilizar a condução autónoma e serviços de conectividade numa gama de veículos acessíveis a todos.

ALIANÇA 2022 – OBJETIVOS E DÉTALHES

Aliança 2022: volumes de vendas, volume de negócios e sinergias

Este ano, a Aliança formada pela Renault, Nissan e Mitsubishi Motors tornou-se o maior grupo automóvel mundial em termos de volume de vendas. No primeiro semestre de 2017, os volumes aumentaram 7% face ao mesmo período de 2016 – atingindo 5,27 milhões de automóveis e as vendas acumuladas de veículos elétricos ultrapassaram as 500.000 unidades.  

No total, e no final do plano, as vendas acumuladas dos três parceiros deverão ultrapassar os 14 milhões de automóveis por ano. O volume de negócios consolidado deverá atingir 240 mil milhões de $ no final do plano, o que corresponde a um aumento de 30% face aos 180 mil milhões de $ de 2016.

Com um crescimento de 16%, as sinergias alcançadas em 2016 atingiram os 5 mil milhões de euros. O objetivo, para o final do plano, é o de gerar 10 mil milhões de euros de sinergias anuais. A duplicação das sinergias acontecerá, nomeadamente, através da Mitsubishi Motors, pela utilização e localização das fábricas comuns, pela utilização de plataformas partilhadas e pelo reforço da presença nos mercados maduros e nos mercados emergentes.

Outras sinergias suplementares são expectáveis no domínio dos veículos comerciais ligeiros, no após-venda e na partilha de tecnologias (automóveis elétricos, autónomos e conectados & serviços). Estas sinergias completarão as que são atualmente geradas pelas funções convergentes: engenharia, fabricações e logística, compras e recursos humanos.

Plataformas e motorizações comuns

Apoiando-se sobre os três eixos tecnológicos abaixo detalhados, os parceiros irão desenvolver a utilização de plataformas e motorizações comuns.

• Em 2022, mais de nove milhões de automóveis serão produzidos sobre quatro plataformas comuns. Em 2016, os volumes foram de dois milhões de automóveis sobre duas plataformas.

• No final do plano serão partilhados 22 motores num total de 31 – em comparação com os 14 motores (sobre 38) partilhados em 2016.

• Uma nova plataforma de veículos elétricos, preparada para a condução autónoma, será criada utilizando como modelos as plataformas comuns CMF.

• Até 2020 a Mitsubishi Motors terá acesso à arquitetura CMF e poderá utilizar as motorizações comuns.

A extensão das plataformas CMF dá seguimento ao sucesso deste sistema de arquitetura modular partilhado pela Renault e pela Nissan nos últimos anos. Vários modelos e motores da Aliança tais como, o Nissan Rogue, Nissan Qashqai, Nissan X-Trail, Renault Mégane, Renault Scénic, Renault Talisman, Renault Kwid e Datsun redi-GO utilizam estas plataformas.

Eixos tecnológicos do plano Aliança 2022

Os três eixos sobre os quais será aplicado o plano irão contribuir para o incremento das sinergias, evitando a multiplicação dos desenvolvimentos tecnológicos, e para a aceleração do acesso às inovações por parte de todos os parceiros.

Reforço da posição de liderança nos veículos elétricos

Enquanto líder mundial das vendas de veículos 100% elétricos tem como objetivo tornar-se o primeiro fabricante de veículos elétricos acessíveis a todos e em todo o mundo. Até 2022, os parceiros da Aliança irão comercializar uma gama mais alargada que irá cobrir o conjunto dos segmentos dos principais mercados: Japão, Estados-Unidos, China e Europa.

Principais desenvolvimentos :

• Plataformas moduláveis partilhadas para os veículos elétricos, que irão cobrir vários segmentos até 2020 com uma previsão, para 2022, de 70% de veículos elétricos construídos sobre estas plataformas.

• Introdução, em 2020, de uma nova família de motores e baterias partilhada por todos os parceiros da Aliança

• Lançamento de 12 novos veículos 100% elétricos até 2022

• Autonomia em modo elétrico de mais de 600 km até 2022 (em homologação NEDC)

• Diminuição de 30% no custo das baterias até 2022 (em comparação com 2016)

• Até 2022, 15 minutos de tempo de carregamento para obtenção de uma autonomia de 230 km (90 km em 2016)

• Acondicionamento da bateria otimizado para libertar espaço no habitáculo e abrir novas possibilidades em termos de design

• Até 2022, adoção da nova tecnologia híbrida recarregável da Mitsubishi Motors como solução partilhada para os segmentos C e D

Condução autónoma e veículos robotizados

A Aliança ambiciona lançar, até 2022, 40 modelos com diferentes níveis de tecnologia de condução autónoma.

Vários programas de ensaios estão em curso, em várias regiões do mundo, no quadro do desenvolvimento das tecnologias de condução autónoma, e que irão permitir aos parceiros disponibilizar uma funcionalidade de condução autónoma para o grande público. As datas-chave são as seguintes:  

• 2018: Veículo de condução autónoma em autoestrada com necessidade de monitorização permanente por parte do condutor  

• 2020: Veículo de condução autónoma em cidade com necessidade de monitorização permanente por parte do condutor  

• 2020: veículo de condução autónoma em autoestrada com monitorização ocasional por parte do condutor  

• 2022: Primeiro veículo 100% autónomo sem necessidade de intervenção do condutor

Estão igualmente em curso, em conjunto com os parceiros DeNA (Japão) e Transdev (France), ensaios de veículos robotizados que irão abrir uma nova era na mobilidade e na qual a Aliança quer ser :

• um operador importante de serviços de mobilidade «por medida» através de veículos robotizados,

• um ator incontornável no fornecimento de serviços de transporte coletivo e partilha de automóveis.

Conectividade e serviços de mobilidade

A Aliança trabalha no desenvolvimento de novos serviços de mobilidade e de novas parcerias. A partir de 2018 a Aliança irá disponibilizar novas soluções de conectividade, de entre as quais :

• Um sistema comum de infotainment e um sistema comum de conectividade

• O lançamento de uma plataforma Connected Cloud para a gestão de todos os interfaces de dados

• A plataforma Cloud abrirá a via para as capacidades de condução autónoma, para os serviços de veículos robotizados e para os veículos de distribuição (pessoas e bens) autónomos.

A plataforma Connected Cloud vai permitir também outras otimizações operacionais tais como a gestão logística e a partilha de dados na fabricação, ou ainda como instrumento de redução dos custos de garantia.

O plano de conectividade irá incluir o desenvolvimento de um ecossistema aberto que permitirá a criação de novos serviços e equipamentos ao longo de todo o ciclo de vida do automóvel.

 

image002