test

Extreme Trial 4×4 Couço 2017

0

 

…um marco na história do “Extreme” e do Trial em Portugal.

  • Mais de 60 equipas presentes
  • Aos participantes do continente juntou-se uma comitiva madeirense
  • Prova do  Couço com sabor internacional com a participação de cerca de uma dezena de equipas espanholas
  • Prova do extreme contou também para o “Super Trial”
  • Evento solidário recolheu bens para a ajuda ás vitimas dos incêndios da região centro

O “Extreme Trial 4×4 Couço 2017” ficará na história do “Extreme” e da modalidade em Portugal por vários motivos, mas sobretudo pela numerosa lista de inscritos que bateu recordes atrás de recordes.

Á chamada do Moto Clube Sacho e da X-Adventure compareçam mais de seis dezenas de participantes, entre os quais se contavam várias equipas Madeirenses inscritas sobretudo na classes – Super Proto e Proto, e ainda uma comitiva de quase uma dezena de equipas Espanholas, estas distribuídas pelas classes Promoção e FUN.

Todas as classes registaram um acréscimo substancial de participantes, obrigado a organização a um esforço e a um cuidado particular para que tudo corresse pela melhor forma. O número elevado de equipas presente, apesar muito motivador para quem organiza, representou um sério teste à capacidade organizativa e de gestão do evento, levando a que a organização realizasse mesmo uma alteração ao programa habitual, substituindo a perícia que seria demasiado demorada, por um período de treinos livres cronometrados.

A elevada adesão de equipas criou também uma natural expectativa entre o público, que se deslocou em massa (o número provisório aponta para mais de 4000 pessoas), criando uma impressionante moldura humana em redor das zonas mais espetaculares do longo circuito do Couço.

CLASSE SUPER PROTO MAIS:  TEAM F-POWER VENCE NA CLASSE MAIOR

Com nove equipas inscritas para participar no Extreme Trial 4×4 Couço 2017 , era natural que existisse uma enorme expectativa pela entrada em pista das máquinas da classe Super Proto, ou não fossem estas as maiores e mais evoluídas máquinas do troféu. 

O Team Base Branca 4×4 foi o mais rápido no prólogo, mostrando aos adversários que era um sério candidato á vitória.   Laurindo Mendonça, do Team Brinertes – um dos participantes Madeirenses, fez o segundo tempo provando que o desconhecimento do terreno e da prova não seriam motivo suficiente para o travar. Em terceiro com um tempo quase igual ao do segundo classificado terminou o Team F-Power/Nosso Talho.

As 2 horas de resistência do “Extreme Couço 2017” viriam a provar ser um osso demasiado duro de roer para muitas equipas desta classe, com várias a não conseguirem completar mais do que uma volta. As restantes lutaram muito entre si, com Rui Vieira a conseguir superiorizar-se aos demais e levar o Super Proto Mais do Team F-Power/Nosso Talho ao primeiro lugar com 10 voltas cumpridas.   Com 9 voltas cumpridas terminaram o segundo e terceiro classificado com vantagem para Sérgio Ferreira do Team S & J Team que foi um pouco mais rápido do que o José Gaspar, do Team Auto Desgaste.

A classificação final ficou ordenada com o Team F-Power na frente, seguido do Team S & J tem segundo e do Team Auto Desgaste em terceiro.

Uma curiosidade relativamente a esta classe diz respeito à equipa terceira classificada, o Team Auto Desgaste.  José Gaspar o condutor apresentou-se nesta prova com Luís Marta como seu navegador, um jovem invisual que nunca tinha participado numa prova. Por isso mesmo, o principal objetivo da equipa era poder proporcionar ao Luís um dia diferente e cheio de novas sensações. Os demais participantes sempre ajudaram e facilitaram a passagem desta equipa, deixando para segundo plano o resultado desportivo. Como terceiro elemento da equipa, Cláudio Ferreira ajudou nos pontos mais críticos e a partir de certa altura substituiu mesmo Luís Marta. Foi uma participação diferente, solidária, e muito bem recebida por todos, mostrando que os limites não existem, bastando um pouco de boa vontade para os superar.

CLASSE SUPER PROTO:  LUTA MANO A MANO TERMINA COM  VITÓRIA DO TEAM MISTER REBOQUES

Tal como todos as outras classes, a Super Proto foi muito participada, com uma corrida muito interessante de seguir, acabando no entanto por ser decidido o vencedor depois de atribuída uma penalização a um dos concorrentes.

Os dois principais animadores da Classe Super Proto até nem tiveram o melhor dos arranques no evento, pois no prólogo ficaram ambos com classificação muito modestas. Miguel Marques e o Team MM6018/ Americana Papelaria não foram além do quinto lugar, e António Henriques e o Team Mister Reboques ainda fizeram pior, terminando apenas em sexto num total de oito equipas inscritas nesta classe. 

O primeiro líder do dia foi Tiago Jacinto  (Team Leirilumen Offroad), o segundo foi Sergio Nunes (SN Preparações 4×4) e a fechar o pódio provisório do evento ficou Hugo Rama (Team Auto Mouro)

A história da resistência seria diferente, com o Team MM6018/ Americana Papelaria e o Team Mister Reboques a disputarem entre si a vitória no grande evento do Couço.  Com um andamento semelhante, estas equipas foram conseguindo afastar-se dos demais e completando  ambas 10 voltas ao circuito do Couço, o mais longo alguma vez visto num evento do Extreme Trial.   A vantagem em pista seria do Team MM6018/ Americana Papelaria, mas uma penalização acabaria por colocar a equipa no segundo lugar,  deixando assim o caminho para a vitória aberto para o Team Mister Reboques

Um pouco mais atrás, a luta pelo terceiro lugar fazias também num mano a mano, desta vez entre uma equipa continental -o Team Auto Mouro, e uma equipa madeirense – o  Team Alçado Direito/ Booster Car Serviçe/ MCM  de Luis Duarte Pinto.  No final das duas horas regulamentares, a equipa insular haveria de levar a melhor e cruzar a meta na frente do seu adversário.

Somadas as duas componentes desta prova, venceu no Couço o Team Mister Reboques, ficando o o Team MM6018/ Americana Papelaria em segundo lugar e em terceiro o  Team Alçado Direito/ Booster Car Serviçe/ MCM .

CLASSE PROTO:  HELDER TIAGO TEAM ESTREIA NOVO PILOTO E NOVO CARRO E CONQUISTA A VITÓRIA.

Não poderia ter corrido melhor á regressada equipa Helder Tiago Team a estreia do seu novo piloto e do seu novo carro no Extreme Trail 4×4.  A equipa de Salvaterra foi até ao Couço conquistar uma merecida, mas dura vitória numa classe onde luta pelos primeiros lugares foi sempre muito animada.

O primeiro líder da classe foi Nuno Matos do Auto Bernardo/Capitcho Team.  O piloto de Ponte de Sor conseguiu levar o Land Rover á vitória no prólogo, superando Filipe Alambre do Açorda Team, a única equipa local em prova.   Em terceiro nesta primeira fase ficou outra equipa regressada, o Team HJ Preparações 4×4 / Rota do Cabo Sesimbra com Hugo Cipriano ao volante do Toyota Land Cruiser.

Na resistência a história seria muito diferente, sobretudo para os dois primeiros classificados da manhã, que iram terminar nos dois últimos lugares da classificação devido a problemas nos carros.   Hugo Cipriano também baixaria na classificação,  conseguindo ter ritmo para lutar pela vitória, tendo-se ficado pelo quinto lugar final.

Face aos azares destas três equipas a luta pela vitória ficou com menos intervenientes, mas nem por isso menos interessante.   A disputa pelo primeiro lugar iria ser repartida entre  Marco Rodrigues do Team Fathermotorsport e Angelo Tiago do Team Helder Tiago.  Ambos conseguiram dar 10 voltas ao extenso percurso, com a vantagem no final a recair para a equipa de Salvaterra de Magos.  Com 9 voltas cumpridas terminou o António Serrano do AFCS Team LM4, conquistando assim o terceiro lugar.

A classificação final reflete o resultado da resistência, sendo a vitória final da classe Proto entregue ao Helder Tiago Team, enquanto o segundo fica para o Team Fathermotorsport e o terceiro para o Team AFCS Team LM4.

CLASSE PROMOÇÃO: PORTUGUESES VENCEM NO CONFRONTO IBÉRICO

A Classe Promoção era uma das duas onde estavam bastantes equipas Espanholas inscritas (a outra era a classe FUN), o que gerava uma obvia curiosidade no que diz respeito ao confronto entre as equipas dos dois lados da Fronteira.  O favoritismo recaia no entanto para os pilotos nacionais, conhecedores não só dos moldes do “Extreme” mas sobretudo das armadilhas da pista do Couço, invulgar e exigente em todos os sentidos.

No prólogo o vencedor foi Paulo Amaro, do Team BurPizza.  Uma vez mais o piloto do Nissan azul a demonstrar que estava disposto a vencer a prova.   Em segundo aparecia o estreante Daniel Carapau do Gisela & Custódio Trial Team – XS5.  A fechar o pódio provisório aparecia Carlos Santos do team Base Branca III

A resistência da classe Promoção seria uma das mais equilibradas do dia, com muitas equipas a lutarem pelos melhores lugares.  Esta classe foi também uma das que mais espetáculo deu, com as equipas a terem que se esforçar bastante para superarem alguns obstáculos mais traiçoeiros do circuito.

A única equipa que conseguiu completar 8 voltas foi o Team Base Branca III, levando Carlos Santos até à vitória não só na resistência como também na classificação geral.  Nuno Berenguer do Team Vulcanizadora 25 de Abril (2º Classificado) foi o mais rápido de entre um grupo de três equipas que terminaram com 7 voltas onde estavam também o Gisela & Custódio Trial Team – XS5 e o Team Burpizza/ LM4, e que terminaram em terceiro e quarto respetivamente. 

Na geral da Promoção vence o Team Base Branca III, enquanto o Team Team Vulcanizadora 25 de Abril ficou em segundo.  A fechar o pódio terminou o Gisela & Custódio Trial Team – XS5

CLASSE FUN: A MAIS ANIMADA DE TODAS

Praticamente duas dezenas de equipas participaram no Extreme Trial 4×4 Couço 2017 inscritas na Classe FUN, entre elas muitas Espanholas, destacando esta classe que onde estão inscritas as viaturas mais modestas como aquela que mais animada foi e mais trabalho deu aos participantes.

No prólogo um dos primeiros obstáculos da pista viria a ser um verdadeiro calvário para muitas das equipas.  Aparentemente fácil, transposição  desta zona relevar-se-ia uma dor de cabeça para muitos participantes condicionando bastante  a sua prestação e motivando até alguns abandonos, sendo que na essência não era a exagerada dificuldade do obstáculo a causa dos problemas mas sim a forma e o ponto como o mesmo foi abordado pelas equipas.

O Team LM4 foi o que registou o melhor resultado no prólogo, sendo seguida em Mister Reboques/ Auto Gordo /XS5 em segundo e pelo Team Sem Pressas em terceiro.

Na resistência a história repetiu-se quase igual á do prólogo, mudando apenas o obstáculo. A única passagem de pedras revelar-se-ia muito complicada de transpor, condicionada pelo grande número de viaturas que queria passar o que gerou alguma natural confusão e atrasos.

Sobressaiu de entre todos Ivan Carregueiro do Team Auto Freak Racing que conseguiu levar o seu carro a cumprir 6 voltas ao traçado do Couço.  Com 5 voltas cumpridas terminaram 6 equipas, o que diz bem do equilíbrio registado.  E destas 6, o Team Arbusor foi o melhor, terminando em segundo na resistência atrás do Team Auto Freak Racing. O terceiro na resistência foi o Team RJ Preparações 4×4

No final, Ivan Carregueiro venceu a classe FUN no Couço, João Feitinha e o   Team Arbusor foram segundos e Rui Vieira do Team RJ Preparações 4×4 foram terceiros.

CLASSE SENHORAS: GS TEAM CONSEGUE O SEGUNDO TRIUNFO DA ÉPOCA.

Também a classe de Senhoras registou um recorde de participantes, com quatro equipas presentes.    Destaque também para  o Team Revi-Clap 1, liderado por Cláudia Costa, a única equipa que se apresentou no Couço com um SSV Polaris.

Rita Sousa do GS Team venceu o prólogo e venceu também a Resistência, sendo que a verdadeira oposição apareceu apenas pela mão de Cláudia Costa, que no setor de resistência foi a única que conseguiu dar tantas voltas como a vencedora  – três no total.

Já Telma Mendes do Team Red Garage I não conseguiu sequer obter tempo no prólogo, enquanto na resistência não foi além das duas voltas realizadas.   A outra concorrentes, Helena Almeida do Team Red Garage II não conseguiu classificar-se em nenhum dos setores.

Telma Mendes e o GS Team levam do Couço assim a segunda vitória do ano, enquanto Cláudia Costa ficou com o segundo lugar e Telma Mendes com o terceiro.

TROFÉU FEDIMA: TEAM BUR PIZZA SOMA E SEGUE.

Para não ser exceção também o Troféu Fedima teve no Couço muitos participantes, elevando também aqui o nível da competição.

Este é um troféu monomarca, na qual participam equipas de todas as classes, desde que tenham as suas viaturas equipas com pneus da marca Fedima, fabricados em Portugal.

Após um intenso dia de competição, Paulo Amaro do Team BurPizza conseguiu mais um triunfo para  a sua contabilidade pessoal, sendo o líder destacado na classificação geral deste troféu.

O segundo classificado foi o Team Repower 4×4 2 liderado por Fábio Dias, enquanto o terceiro foi o Team Sempre os Últimos liderado por Ricardo Apolinário.

Luis Pirralho, director da X-Adventure:

“Hoje é um daqueles dias em que podemos dizer que há um “antes” e um “depois”. Foi fantástico. Já o disse várias vezes, mas repito novamente: Foi um dia histórico por muitos motivos, a maior parte deles já bem conhecidos. Nós Já esperávamos uma boa adesão de pilotos e até antevíamos um número recorde, mas passar as 6 dezenas de participantes era algo impensável há meia dúzia de dias atrás. Tenho muitos agradecimentos a fazer, mas o principal é a estes participantes. Foram magníficos todos eles, os continentais, os madeirenses e os Espanhóis.  Deve-se a eles o sucesso que foi este evento.  

Por outro lado, tanto pelo lado de promotor como de organizador devo dizer que fomos sujeitos a um esforço enorme.  Mais do dobro dos participantes que é habitual e uma grande enchente de público obrigaram-nos a tomar várias medidas para manter o evento dentro da normalidade.    Espero pois que os participantes nos desculpem eventuais falhas, porque foi realmente muito duro. Foram muitos dias de trabalho, que tiveram o seu auge no domingo com o evento, mas prolongaram-se depois com a desmontagem e limpeza do recinto.  Acho que todos temos agora direito a um merecido descanso.

Quero deixar aqui uma palavra de apreço e agradecimento também a todos quantos fizeram as suas doações de bens para as vitimas dos incêndios.  Conseguimos reunir uma quantidade significativa de vários tipos de coisas, desde comida, vestuário, utensílios.  Nos próximos dias iremos dar seguimento á iniciativa e fazer a entrega com o apoio da Fedima Tyres e do CASS de Santiago da Guarda.”

O Extreme Trial 4×4 Couço 2017 contou ainda para o Super Trial da Madeira, pelo que em breve, no site oficial desta competição serão publicados os resultados da mesma.

O Extreme Trial 4×4 Couço 2017 foi organizado pelo Moto Clube Sacho com o apoio da Freguesia de Couço e do Município de Coruche.

O Troféu Extreme Trial 4×4 2017 tem o apoio da Fedima, da Euro4x4Parts.com, da Tractomoz, de Helder Tiago – Oficina e Reboques, da Lubecar, da Vulcanizadora Fragoso, da Veicomer, da Dediland, do Todoterreno.pt, de imagensdesportivas.com, da BeeOuch Photography, do Codigo4x4 (Espanha), de Skin Ovelha, da Tentação TT, do TR4 Digital e do Virtual Clube TT.

Todas as informações sobre o Troféu Extreme Trial 4×4 2017 podem ser encontradas no site oficial em www.extremetrial4x4.com

 

extreme_trial_couco_056

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.