Roadgalaxy sem sorte no Estoril

0

 

A última prova Desafio Único FEUP 2 teve lugar este fim-de-semana, no Autódromo do Estoril.

Os pilotos da Roadgalaxy, João Rebelo Martins e Tó Zé Ferreira – que correm com as cores da Vida Económica, eni, Loba, Norfer, Alfaiate D`Interiores, Arax Gazzo, Powercoaching, fluidotronica, AC Angola, Kartódromo de Oiã, Cerveja Vadia, Oakley, Quinta do Estanho, Molfil, Ginásio Rainha, Konica Minolta e Moçambique Motorsport –  pretendiam terminar o ano no pódio mas a mecânica do carro traiu as aspirações dos campeões FEUP 3  2013.

Depois de um 2013 fantástico, onde João Rebelo Martins e Tó Zé Ferreira ganharam indiscutivelmente o Desafio Único FEUP 3 e fizeram muitas acções como com o Oreca LMPC, Aston Martin,  karts, todo-o-terreno em Moçambique, 2014 não deu seguimento a esse momento de forma.

Dificuldades em colocar de pé um projecto nos sport-protótipos, a equipa decidiu tardiamente a participação no Desafio Único FEUP 2.

Com condução irrepreensível os pilotos da Roadgalaxy alcançaram a segunda posição em Braga e Vila Real. Contudo, problemas mecânicos e o acidente em que se viram envolvidos no Algarve deitaram por terra todas as esperanças num bom resultado final.

No Autódromo do Estoril a equipa alcançou o quarto tempo nos treinos livres, com João Rebelo Martins a afirmar que “ A Vettra deu-nos o melhor carro do ano, e estamos rápidos. Sinto prazer em conduzir o carro!”.

Na corrida, após a entrada do Safety Car e troca de pilotos, com Tó Zé Ferreira ao volante rodando na quarta posição, o motor do carro partiu.

Para o piloto de Leça da Palmeira, “ foi um final de ano inglório. Aqui tínhamos carro para andar no grupo da frente e discutir os lugres do pódio. Infelizmente o motor partiu… são corridas”.    

 

Manuel Marques de Matos no Estoril às portas do Top Five

Manuel Marques de Matos, o gentleman driver da Roadgalaxy que conduz um bonito Caterham – com as cores da Kónica Minolta, Titulo Genuíno, Caliber, Springlow, Occidens e Oakley -, fez corridas fantásticas no Estoril, com muita garra e emoção.

A CRM, finalmente, deu um carro competitivo a Marques de Matos e o mesmo não se fez rogado, rodando num ritmo constante no pelotão da frente.

Numa pista que conhece bem, o piloto lisboeta mostrou todas as suas capacidades!

 Segundo o piloto “ o Seven estava muito rápido, solto de traseira e eu adaptei-me bem ao carro. Temos que melhorar ainda um pouquinho e na resistência do final do ano estarei a dar o meu máximo”.

Manuel Marques de Matos alcançou um oitavo e um sexto lugar nas suas corridas.  

 

 

O O

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.