Ensaio ao novo Toyota Yaris HSD

0

A convite da Toyota Portugal, tivemos oportunidade de ensaiar recentemente, um dos mais recentes produtos do prestigiado construtor nipónico, o Yaris HSD. Este pequeno citadino, lançado em 1999 para substituir o carismático Starlet, vive neste momento a sua terceira geração e conta desde o final do passado ano, com um veículo híbrido na sua gama.

O Toyota Yaris “Hybrid Synergy Drive”, combina um motor a gasolina de 1500cc de cilindrada com um motor eléctrico, disponibilizando quando utilizados em conjunt, uma potência de 100cv. A ligação às rodas passa por uma caixa de velocidades CVT (sistema de variação continua). Este conjunto é o mesmo que equipa outros modelos híbridos (HSD) da Toyota, sendo no entanto adaptado para caber no pequeno Yaris, que nesta versão híbrida tem mais 20mm que os seus irmãos de gama.

De louvar o esforço da Toyota em minimizar a perca de espaço devido à necessária colocação das baterias eléctricas, situação que foi resolvida com a colocação das mesmas por baixo do banco traseiro, deixando a área da bagageira inalterada.

Exteriormente as diferenças deste Yaris Híbrido para os seus irmão de “sangue” faz-se sentir pelos logotipos Toyota em tom azul e pelas “sobrancelhas” com uma luz LED, ambos detalhes exclusivos neste automóvel. Nas laterais o emblema “Hybrid” identifica a versão que possui ainda jantes de design exclusivo de 16 polegadas, tudo características exclusivas do Yaris Híbrido.

A versão ensaiada, o Hybrid Sport, dispunha de todos os extras disponíveis e que estão incluídos no Pack Luxury Hybrid. Entre eles de referir o excelente tecto panorâmico, e o sistema de chave inteligente e botão de Start, que faz com que deixe de ser necessário tirar a chave do bolso, quer para entrar e colocar o carro em funcionamento, quer para o fechar quando o estaciona.  

Aliás, esta é a primeira situação a requerer habituação, não pelo facto da chave, mas sim porque para colocar o carro em marcha, basta pressionar o pedal de travão, carregar no botão “start” e arrancar… sem qualquer ruído! Isto porque só após o arranque, que é feito em modo eléctrico, o motor de combustão entra em funcionamento e mesmo esse com uma notável insonorização. Igual estranheza nas primeiras vezes em que paramos num sinal de trânsito, não por motor se desligar por conta do sistema “stop&go”, mas sim quando aceleramos e arrancamos em modo eléctrico e não ouvimos o habitual ruído do motor de arranque…

Os primeiros trajectos em ambiente citadino mostram que este é inegavelmente o seu habitat natural, mostrando-se confortável e muito bem adaptado a uma utilização a este nível, com a caixa de velocidade automáticas, a contribuir para esse conforto nas diversas e habituais situações de “pára-arranca”.

O volante de estilo desportivo é excelente, assim como a legibilidade do painel de instrumentos e do painel central, onde um monitor LCD na consola central, serve para controlar as diversas funcionalidades existentes neste Yaris, desde o sistema de navegação, à configuração Bluetooth do telemóvel, assim como os parâmetros da alta voz e ainda como visor da útil câmara traseira, precioso auxiliar para melhorar a percepção do que se passa atrás de nós em condições de estacionamento, ou pura e simplesmente quando precisamos de fazer marcha atrás. Em termos de interiores, o espaço é generoso tanto à frente como para os passageiros do banco traseiro. Gostamos dos revestimentos e do conforto em geral.

Uma característica muito interessante neste carro, passa por ser possível utilizar o Yaris HSD, com três tipos distintos de funcionamento dos dois propulsores. Seleccionadas através de dois botões localizados junto à consola central, podemos optar por um modo de utilização “NORMAL”, situação em que a gestão dos motores é um pouco mais “liberal” o que proporciona uma maior rapidez de resposta e uma melhor aceleração. No modo “ECO”, a gestão passa a ser mais virada para reduzir os consumos e é por isso menos agradável, notando-se uma acentuada lentidão de resposta.

Por último temos o modo totalmente eléctrico “EV”, que pode ser utilizada por períodos muitos curtos (máximo 2 km) e desde que a baixa velocidade (até 50km/h), dada a limitada capacidade das baterias do Yaris. De positivo a salientar que estas carregam rapidamente, quer por acção das travagens, quer com a ajuda do motor de combustão, ficando rapidamente disponíveis para novo uso.        

Segundo dados do construtor, o Yaris Híbrido acelera de forma linear dos 0 aos 100 km/h em 11,8 segundos, atingindo uma velocidade máxima de 165 km/h. O consumo combinado é de apenas 3,5 l/100 km e as emissões de CO2 são as mais baixas do segmento – apenas 79 g/km. Para além disso, este sistema permite uma condução frequente em modo 100% elétrico, o que representa zero emissões de NOX, PM e CO2. A economia protagonizada por este sistema híbrido, confere ao Yaris uma autonomia de 1000 km com um só depósito de combustível.

No nosso caso e recorrendo ao painel de informação do carro, não conseguimos melhor que um consumo citadino na ordem dos 4,1 litros/100kms, média ainda assim excelente para este interessante modelo e em relação à concorrência directa neste segmento B.

De referir ainda no aspecto mecânico e que pode influenciar positiva o orçamento familiar no aspecto que diz respeito à manutenção do Yaris, o facto de o sistema “Hybrid Synergy Drive” dispensar componentes mecânicos como é o caso do motor de arranque, embraiagem, alternador e a correia de distribuição. Dizemos, pode, porque em sentido inverso e dada a crescente utilização de componentes electrónicos, qualquer avaria mais grave poderá julgamos nós, ter custos elevados…

Vital para este Sistema “Hybrid Synergy Drive” é a Transmissão  Variável Contínua controlada electronicamente (e-CVT), que  gere todo o fluxo energético do motor a gasolina e do motor elétrico para proporcionar uma aceleração suave e fácil. Segundo o construtor, esta fornece a combinação perfeita para todas as condições de condução, garantindo uma máxima eficiência de combustível.

Isto será verdade, mas em termos da nossa experiência de utilização neste teste, não podemos dizer que é de todo agradável. Não gostamos da lentidão do conjunto, nem do ruidoso barulho do motor quando pressionamos o pedal a fundo e pedimos ao pequeno Yaris para andar mais depressa. Será mesmo o único ponto negativo deste sistema, que como se comprova, funciona muito bem em termos da economia final. Definitivamente o Yaris Híbrido não é um modelo para utilização desportiva, nem foi esse o mote de quem o idealizou.

Em termos de segurança o Yaris HSD está equipado, de série, com sete airbags, ABS, Distribuição Electrónica da Força de Travagem (EBD), Brake Assist (BA), Controlo de Tração (TRC) e Controlo da Estabilidade do Veículo (VSC).

Por último queremos referir o facto da unidade ensaiada ostentar uma bonita pintura metalizada designada por “branco pérola”, exclusiva desta gama híbrida e que permitia um excelente contraste com o tecto panorâmico, assim como os vidros traseiros, ambos escurecidos. 

Em termos de preços, a versão menos equipada, a Hybrid Comfort, custa 19.440,00 euros, com os preços a subirem até aos 20.915,00 euros para a versão Hybrid Sport + Pack Luxury. Como extra em todas as versões, os interessados podem ainda adquirir o Toyota Touch & Go (navegação + multimédia), que tem o custo de 790,00 euros.   

Catálogo Toyota Yaris HSD (PDF)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.