Hélder Silva domina no arranque da temporada em Murça

0

Muito público a saborear um fim-de-semana com competição intensa, eis a receita que transformou a edição 2022 da Rampa Porca de Murça numa excelente propaganda para a modalidade, confirmando que o Campeonato de Portugal de Monta JC Group tem tudo para ser muito competitivo.

Foi um fim-de-semana perfeito para Hélder Silva. A Rampa Porca de Murça foi o palco da sua estreia com a Osella PA2000 EVO2-PA.30 com que defenderá o título absoluto e de protótipos que conquistou em 2021.

O poveiro da Power House apenas não foi o mais rápido numa das subidas de treinos. Nas 3 subidas de prova rodou a salvo de qualquer ataque, registando tempos cada vez mais rápidos e coroando a sua vitória com um bom tempo na derradeira subida da prova, colocando no cronómetro 2:03s601, a uma excelente média de 122,32 km/h.

Logo atras de si, José Correia levou a Norma FC20 ao 2º posto, concluindo a prova transmontana a 5,4 segundos do vencedor, no agregado das duas melhores subidas e assumindo-se como um grande adversário de Hélder Silva na caminhada para a renovação do trono absoluto.

Outro dos pilotos que brilhou neste arranque de temporada foi Nuno Guimarães. O seu Silvercar S2 ostenta uma competitividade acrescida e isso levou o “Capitão da Montanha” a ousar intrometer-se na luta pelo pódio absoluto, terminando em 3º, juntando a esse feito uma vitória sólida nas contas da Divisão Protótipos B.

Nesta luta particular, Joaquim Rino (BRC BR49 EVO ) garantiu o 2º posto, aparecendo em Murça com muita rapidez e motivação. Registe-se a estreia entre os Protótipos B do Radical Clubsport de Victor Bessa. O piloto duriense enfrentou algumas dificuldades técnicas na sua “barchetta”, mas logrou concluir no 3º posto.

A luta pela supremacia nos GT consagrou Vítor Pascoal (Porsche 991 GT3 CUP) como o primeiro vencedor da temporada. O consagrado piloto de montanha e ralis foi o mais forte na decisiva jornada de domingo, vendo ainda o seu rival Pedro Marques, campeão em título, a ter uma jornada inglória, com uma subida de prova abortada, na sequência de um peão e uma derradeira subida com problemas que o atirou para o 4º lugar na categoria.

Velocidade e regularidade levaram Gabriela Correia a um excelente 2º lugar, no seu regresso “a tempo inteiro” à Montanha, sendo impressionante o ritmo que já coloca aos comandos do seu Mercedes AMG GT4. O pódio nos GT ficou completo com o 3º lugar assegurado pelo espanhol Bernardo Garcia (Porsche 997 GT3 CUP).

Na Categoria Turismos, Luís Nunes, atual campeão, estreou um Skoda Fabia R5 registando o 2º posto, vencendo na Divisão 1. O pódio da Categoria Turismos incluiu ainda em Murça José Pedro Gomes. O seu Opel Astra parece ter ultrapassados todos os problemas que condicionaram no passado o piloto e esteve sempre em posição de garantir o pódio que mereceu por completo.

Quanto à Divisão 3, Parcídio Summavielle impôs de forma clara o seu Renault Clio RS, sendo sempre o mais rápido nas três subidas de prova.

A vitória nos Clássicos cedo ficou entregue a um duelo “fratricida” entre Ricardo Loureiro e Fernando Salgueiro, com os dois Ford Escort MKII do Caramulo Racing Team. Salgueiro, campeão em título, superiorizou-se na subida inaugural de prova por cerca de 1,8 segundos, com Loureiro a responder na segunda subida, sendo 0,6 segundos mais lesto, partindo assim os dois para a derradeira subida separados por apenas 1,2.

No “tira-teimas” final, Fernando Salgueiro foi mais forte e começou assim da melhor maneira a defesa do seu título. Loureiro provou que vai ser um adversário a ter conta na caminhada para o cetro, parecendo que, uma vez mais, a dupla do caramulo não terá concorrência.

Luís Moutinho (Ford Escort MKI) foi um tranquilo 3º classificado, mercê de uma exibição muito sólida, sem erros, com o seu Ford Escort MKI, iniciando assim a época com um pódio motivador.

No Campeonato de Portugal Legends de Montanha JC Group o domínio foi de Luís Silva. E nem o problema mecânico que o fez abandonar a primeira subida de prova condicionou o seu ritmo.
Resolveu a questão com duas subidas fantásticas no Domingo. O piloto famalicense do BMW M3 tem tudo para ser campeão.

João Macedo (BMW 318i) ficou em 2º, não tendo oposição na luta por este lugar, cabendo à estreante no CPLM Sónia Pereira a façanha de levar o seu Seat Ibiza a um fantástico e merecido 3º lugar. Exibição de grande nível da piloto de Mesão Frio.

A prova inaugural do recém-criado Campeonato de Portugal de Montanha 1300 JC Group consagrou o domínio total de Armando Freitas. Bastou ao piloto do Toyota Starlet 1.3 as duas primeiras subidas de prova para “cavar” uma diferença de quase 20 segundos no somatório dos tempos, para se perceber que a vitória estava entregue.

Mais interessante de seguir foi o duelo pelo segundo posto no CPM1300 JC Group entre Tiago Santos (Citroen AX Sport) e Tiago Silva (Toyota Starlet).

Nos treinos revezaram-se na posição de “delfim” de Freitas, mas, chegadas as subidas de prova, o piloto de Murça do Citroen fez valer o seu conhecimento do traçado da rampa e isolou-se na segunda posição, que lhe assentou com todo o mérito. Já o 3º lugar de Tiago Silva premeia a exibição do piloto nesta sua vinda à Montanha.

Eva Laranjeira (Peugeot 205 Rallye) foi 5ª na classificação da prova, sendo terceira entre os pilotos inscritos no campeonato. A “Dama de Aço” assegurou assim um bom pecúlio pontual, sendo ainda a melhor das 3 pilotos femininas inscritas neste campeonato.

Entre os Clássicos 1300, Carlos Manuel Delgado, num Ford Escort MKI, impôs a sua força perante Domingos Fernandes (Autobianchi A112 Abarth).

Uma palavra para o CAMI Motorsport que rubricou uma organização que foi exemplar. Bom ritmo de subidas, horários respeitados e rapidez na resposta aos incidentes, marcaram a bitola desta prova inaugural.

O CPM JC Group terá a sua segunda prova da época nos dias 2 e 3 de abril. Será a Rampa da Penha Paisagem Protegida, organizada pelo Demoporto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.