Golpe de sorte dá vitória e título a Verstappen

0

No final de Mundial mais excitante em muitos anos, com a corrida a decidir-se numa única volta de ‘sprint’, após saída de Safety Car que tinha entrado na pista para permitir a limpeza dos destroços de incidente entre Nicholas Latifi (Williams) e Mick Schumacher (Haas) que empurrou o primeiro contra muro do circuito Yas Marina, num momento em que Lewis Hamilton (Mercedes) tinha uma mão no título, Max Verstappen (Red Bull) sagrou-se campeão pela 1.ª vez! Aos 24 anos, o piloto que entrou neste campeonato aos 17, venceu pela 10.ª vez em 2021, em 22 grandes prémios, e terminou a época longa com o número recorde de 18 pódios.

A corrida no Abu Dhabi, sem surpresa, conhecendo o histórico da rivalidade Hamilton-Verstappen e o facto de os pilotos estarem em igualdade pontual no topo da classificação do campeonato, começou e terminou de forma polémica. No início, Lewis, que reagiu mais depressa ao apagar dos semáforos, ultrapassou Max numa manobra que os comissários da Fórmula 1 interpretaram como ‘limpa’: o britânico encontrava-se à frente do adversário e, para evitar o toque entre os monolugares, realizou uma «manobra evasiva», disseram. Uma interpretação «ligeira» dos regulamentos.

Na 50.ª das 58 voltas da corrida, o despiste de Latifi reagrupou o «pelotão» e permitiu à Red Bull parar Verstappen para montar os pneus mais macios da Pirelli no seu monolugar. A Mercedes, para proteger a posição de Hamilton, decidiu manter Lewis na pista. Primeiro, os comissários da Fórmula 1 informaram que não seria possível aos pilotos «atrasados» passarem o Safety Car antes do relançamento do grande prémio – e existiam cinco entre os dois candidatos ao título, o que dificultaria, seguramente, a recuperação de Max! –, mas registou-se mudança de opinião, polémica, que colocou Max imediatamente atrás do britânico ainda antes de percorrerem o Yas Marina pela última vez.

Verstappen, com pneus macios novos, contra Hamilton, com pneus duros degradados (utilizou-os 44 voltas), não demorou a superiorizar-se ao rival, ultrapassando-o ‘facilmente’ e conquistou o título. Para a Mercedes, como prémio de consolação, o 8.º campeonato de construtores consecutivo (um recorde!). Os alemães tornaram-se, assim, na 3.ª equipa mais bem-sucedida da Fórmula 1, igualando o número de vitórias da McLaren e totalizando menos 1 do que a Williams e 8 do que a Ferrari.

Max Verstappen é o primeiro piloto dos Países Baixos a vencer o título da categoria-rainha do desporto automóvel e o 34.º campeão na história da Fórmula 1. Conseguiu-o com mais 8 pontos do que Hamilton e à 8.ª temporada na categoria, depois de vencer o 10.º grande prémio em 2021 (e o 20.º na carreira). O pai, Jos, competiu no Mundial entre 1994 e 2003, mas nunca conseguiu resultado(s) semelhante(s).

Verstappen: “Finalmente houve um pouco de sorte para mim!”

“É inacreditável, lutei durante toda a corrida, tive a minha oportunidade na última volta. É de loucos. Não sei o que dizer, a minha equipa, as pessoas em casa, todos eles merecem. Este ano tem sido incrível. Finalmente houve um pouco de sorte para mim. Obrigado ao Checo, foi um grande trabalho de equipa.”

“A minha equipa sabe os adoro, podemos fazer isto durante uns 15 ou 20 anos, quero ficar com eles o resto da minha vida. Estou muito feliz.”

Lewis Hamilton: “Nunca desistimos!”

“Parabéns ao Max e à RedBull. Fizemos um grande trabalho num dos anos mais complicados. Muito orgulhoso e agradecido por fazer parte disto. Demos tudo até ao fim, nunca desistimos e isso é o mais importante. Logo veremos como será história do próximo ano.”

Classificação:

1.º Max Verstappen, Red Bull-Honda, 1:30.17,345 m
2.º Lewis Hamilton, Mercedes, +2,256 s
3.º Carlos Sainz Jr., Ferrari, +5,173 s
4.º Yuki Tsunoda, AlphaTauri-Honda, +5,692 s
5.º Pierre Gasly, AlphaTauri-Honda, +6,531 s
6.º Valtteri Bottas, Mercedes, +7,463 s
7.º Lando Norris, McLaren-Mercedes, +59,200 s
8.º Fernando Alonso, Alpine-Renault, +1.01,708 m
9.º Esteban Ocon, Alpine-Renault, +1.04,026 m
10.º Charles Leclerc, Ferrari, +1.06,057 m

Nota: Nikita Mazepin, da Haas, não alinhou na corrida, após a confirmação de infeção pela Covid-19

MUNDIAL DE PILOTOS

1.º Max Verstappen, 395,5 pontos
2.º Lewis Hamilton, 387,5 pontos
3º Valtteri Bottas, 226 pontos
4.º Sergio Pérez, 190 pontos
5.º Carlos Sainz Jr., 164,5 pontos
6.º Lando Norris, 160 pontos
7.º Charles Leclerc, 159 pontos
8.º Daniel Ricciardo, 115 pontos
9.º Pierre Gasly, 110 pontos
10.º Fernando Alonso, 81 pontos

MUNDIAL DE CONSTRUTORES

1.º Mercedes, 613,5 pontos
2.º Red Bull-Honda, 585,5 pontos
3.º Ferrari, 323,5 pontos
4.º McLaren-Mercedes, 275 pontos
5.º Alpine-Renault, 155 pontos
6.º AlphaTauri-Honda, 142 pontos
7.º Aston Martin-Mercedes, 77 pontos
8.º Williams-Mercedes, 23 pontos
9.º Alfa Romeo-Ferrari, 13 pontos

Fonte: abola.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.