Irmãos Dias relançam Trofeu MINI em Jerez

0

O Trofeu Mini regressou a Jerez após a estreia em 2020 com 2 corridas com finais inesperados que vieram dar nova vida à discussão do Trofeu.

As surpresas já tinham começado no Sábado, com Joel Reis, desta vez ajudado por Rui Silva a serem os autores da Pole Position.
Com uma primeira volta emocionante, a dupla Reis/Silva e os irmãos Nuno e José Dias disputaram a primeira curva do traçado Andaluz lado a lado. João Fedorowicz que seguia na terceira posição aproveitou a luta entre os minis #111 e #18 para se intrometer chegando à curva 3 lado a lado com os seus adversários e assim continuaram durante mais 3 curvas. Francisco Pinto viu a ação decorrer diante dos seus olhos e não quis ficar de fora colocando o Mini #62 lado a lado com os restantes para a travagem forte da reta interior do circuito. Assistimos a uma luta a 4 quando um deslize por parte da equipa que tinha a Pole fez com que perdesse a cabeceira do pelotão relegando-o para a última posição. José Dias assume assim a liderança e aos poucos vai construindo uma saudável vantagem sobre João Fedorowicz. Francisco Pinto assume a terceira posição seguida o encalço do piloto do carro #21. Com problemas no motor do citadino britânico, Luís Sepúlveda, líder da pontuação do troféu não conseguia melhor do que a 4ª posição.

Como é habitual, a janela de paragens abriu e os pilotos do Troféu Mini entraram nas boxes para a sua paragem obrigatória. José Dias passou o carro #18 a seu irmão Nuno que saiu na liderança uma vez mais. João Fedorowicz assegura a segunda posição e Francisco Pinto entrega o carro ao espanhol Miguel Wassmann. Bruno Lima que perdeu algum tempo num incidente com Joel Reis entregou o seu Mini a seu pai, Paulo Lima. Joel Reis determinado em recuperar lugares entra nas boxes a fim de trocar com Rui Silva, jovem piloto estreante na competição portuguesa.

Nuno Dias construía uma vantagem cada vez maior sobre Fedorowicz e Wassmann sendo o primeiro a receber a bandeira de xadrez. Fedorowicz cruza a linha de chegada num excelente segundo lugar e Paulo Lima que com ganas de recuperar lugares passa Miguel Wassmann para passar a meta no terceiro posto.
Rui Silva termina a corrida com o carro #111 no quarto lugar na frente de Miguel Wassmann e Duarte Aguiar que recebeu o Mini de Sepúlveda termina em 6º com problemas adicionais durante a paragem para troca de Pilotos e perderam preciosos pontos para a concorrência.

Com o sol a baixar rapidamente, os pilotos da competição portuguesa receberam ordem de partida para a corrida final do fim de semana.
José Dias é quem arranca melhor e consegue tomar a dianteira do pelotão com Silva no segundo posto e Francisco Pinto que arrancou da quarta posição e suplantou o piloto brasileiro João Fedorowicz mas é ultrapassado por Sepúlveda, que com um arranque fulminante saltou da 5ª posição para o terceiro posto. Quando o pelotão Mini chegou à travagem mais exigente do circuito, da curva 6, assistimos a 4 carros lado a lado em disputa pelo primeiro lugar. José Dias saiu na frente com Luís Sepúlveda a seguir, Rui Silva foi quem mais perdeu com a descida de duas posições no espaço de meia-volta e já estava a ser pressionado por Francisco Pinto. Silva ia resistindo a todas as investidas do piloto do Mini #62 até que o azar bateu à porta de Pinto, com um problema elétrico que forçou ao abandono do piloto que na corrida anterior conseguira um excelente 5º lugar.
João Fedorowicz e Bruno Lima protagonizaram uma luta interessante com diversas trocas de posição e muito Fair Play entre os concorrentes.

Com a entrada do Safety Car devido à posição perigosa onde Francisco Pinto ficou parado, o Mini #11 foi o primeiro a recolher às boxes para cumprir a sua paragem obrigatória por regulamento. José Dias entrou logo na volta seguinte, bem como Rui Silva. Sendo que João Fedorowicz e Bruno Lima seguiram o exemplo dos restantes na seguinte volta.
José Dias a cada volta que completava construía uma distância mais confortável sobre Sepúlveda e Silva.

Nuno Dias assumia agora a condução do #18 e Duarte Aguiar do #11 por sua vez Joel Reis passava agora para o volante do #111 e Paulo Lima para o comando do #221.

Quando a janela para a paragem de troca de pilotos se fechou Nuno Dias seguia destacado na frente com Duarte Aguiar no segundo posto e Joel Reis no terceiro lugar enquanto João Fedorowicz aguentava as investidas de Paulo Lima, no 4º e 5º lugar respetivamente.

Com o cair da bandeira de xadrez a classificação permaneceu inalterada, com José e Nuno Dias a conseguirem o segundo triunfo do fim de semana, à semelhança de como fizeram na jornada de Jarama. Luís Sepúlveda e Duarte Aguiar foram os segundos a receber o xadrez com Joel Reis e Rui Silva a cruzar a linha de meta, Fedorowicz superou Paulo e Bruno Lima pelo quarto lugar e a dupla pai e filho Paulo e Nuno Bruno Lima a terminarem na sexta posição.

Para Diogo Ferrão, organizador da Trofeu: “Assistimos a corridas disputadíssimas cujas primeiras voltas são mesmo de cortar a respiração. Os resultados de Jerez vem também abrir a discussão do Trofeu e agora seguimos até ao Autódromo do Estoril numa corrida que devido aos 4 turnos de condução é sempre muito surpreendente.”

O Troféu Mini regressa nos próximos dias 20 e 21 de Novembro para os 250 km do Estoril, prova de resistência com 2 horas de duração. A última prova de 2021 em que vamos assistir à coroação do vencedor do Troféu Mini.
Entretanto os adeptos da modalidade podem ver (ou rever) as emocionantes corridas e as interessantes lutas na transmissão da corrida no Facebook ou Youtube da Race Ready.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.