Primeiro dia difícil para Miguel Oliveira em Silverstone

0

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) terminou esta sexta-feira em 19.º lugar o primeiro dia de treinos livres para o Grande Prémio da Grã-Bretanha de MotoGP, 12.ª prova da temporada do Mundial de motociclismo de velocidade.

Oliveira fez a sua melhor volta ao traçado de Silverstone em 2.01,412 minutos, terminando a 2,095 segundos do mais rápido, o francês Fábio Quartararo (Yamaha), apesar de uma queda sofrida no início da sessão que lhe provocou dores no pé esquerdo.

O dia ficou ainda marcado pela queda do espanhol Marc Márquez (Honda) na primeira sessão, quando seguia a 270 quilómetros por hora.

Márquez não teve consequências físicas mas destruiu a mota, obrigando à interrupção da sessão, na qual até foi o mais rápido.

Apesar das nuvens, a chuva não caiu mas a temperatura da pista rondou os 14º celsius, o que afetou a aderência dos pneus.

Entre as duas sessões, Miguel Oliveira melhorou 1,2 segundos no seu melhor tempo mas, ainda assim, insuficiente para conseguir um lugar provisório na segunda fase da qualificação (Q2), prevista para sábado.

Esta prova marca o regresso do piloto luso a Silverstone, palco de uma queda sofrida em 2019, que lhe provocou uma lesão grave num ombro.

Devido à pandemia de covid-19, em 2020 o Mundial não passou pela pista britânica.

Agora, Miguel Oliveira chega a esta prova na oitava posição do campeonato, com 85 pontos, a 91 de Quartararo, que lidera.


Miguel Oliveira: «É uma competição, se não melhorar é melhor ir para casa»

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) disse esta sexta-feira esperar “melhorar” o desempenho no sábado para conseguir uma boa qualificação para o Grande Prémio da Grã-Bretanha de MotoGP.

O piloto natural de Almada falava aos jornalistas após as duas sessões de treinos livres desta sexta-feira, em que foi 19.º classificado, a 2,095 segundos do mais rápido, o francês Fábio Quartararo (Yamaha).

“Continuamos a trabalhar para saber o que melhorar. É mais difícil devido ao ar frio, que nos causa problemas e torna mais difícil aquecer os pneus do que o normal”, explicou o piloto da KTM.Miguel Oliveira reportou alguns problemas em travar a mota, devido ao ar frio que traz mais dificuldades em manter os discos de carbono à temperatura ideal para o correto funcionamento do sistema de travagem.

O piloto luso foi um dos poucos a experimentar um pneu de composto duro na traseira mas revelou que “o feeling não foi fantástico”, pelo que terá de fazer nova tentativa “na quarta sessão de treinos livres, de forma a saber a opção a tomar para a corrida” de domingo, a 12.ª da temporada.

Oliveira enalteceu o “bom estado” do asfalto do circuito de Silverstone, “sem as tradicionais lombas” a que os pilotos já estavam habituados mas que dificultavam as travagens.

O piloto português assegurou que há “margem para melhorar” o tempo realizado: “É uma competição, se não melhorar é melhor ir para casa”.

Fonte: Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.