Queda compromete aspirações de Madalena Simões em Portimão

0

A segunda passagem pelo Autódromo Internacional do Algarve, nas Supersport 300 do Campeonato Nacional de Velocidade, não correu de forma ideal para Madalena Simões e para a Frammenti Racing Team, com nova queda a marcar a passagem por solo algarvio. Quando falta apenas uma prova para o final da temporada, Madalena mantém a luta por um objectivo claro, a vitória na classe.

Com a nova equipa Simões admite que “muita coisa mudou em relação aos dois anos anteriores nesta categoria, apesar disso a adaptação foi fácil, a minha vontade de melhorar os meus registos, aliada ao facto de estar rodeada por excelentes profissionais facilitou este processo. Também tenho dois colegas de equipa sempre dispostos a ajudar.”

No que toca à sua evolução como piloto, afirma que “tenho vindo a desenvolver e treinar novas técnicas de pilotagem com a orientação do André [Carvalho], estas melhorias têm-se vindo a manifestar em pista, mas a evolução está longe de estar concluída. Tenho crescido muito e parte deste crescimento também se deve ao facto de estar a recorrer a telemetria pela primeira vez, o que é uma grande ajuda, permite identificar problemas e é um grande passo em frente.”

Em anos anteriores não tinha qualquer referência do que era errado ou certo, foi uma espécie de ano zero, este ano estou a aprender verdadeiramente a ser um piloto. Apesar de já ter tido resultados bons este ano, ainda tenho muita margem de evolução, o que me deixa entusiasmada para a próxima temporada.”

Relativamente à ligação de trabalho com Francisco Baptista e André Carvalho, confessou “são espectaculares comigo. Gosto muito de trabalhar com eles, porque querem que corra bem tanto quanto eu. Ajudam-me verdadeiramente e por isso sou-lhes muito grata. Além disso, são uns ‘masters’ do motociclismo e sabem muito de corridas. Querem sempre o melhor para mim e eu retribuo com dedicação, sem eles este ano não tinha sido como foi, os resultados alcançam-se em equipa. Também não posso esquecer o meu mecânico Eduardo [Maranha], que se inclui em tudo isto, eles são os meus três grandes impulsionadores.”

Na procura pela primeira vitória, reconhece que “vou continuar a treinar e tirar partido de todos os ensinamentos que me são dados. Na realidade não estou nada longe dos tempos da frente, sinto que é bem possível num futuro próximo. Poderia dizer que falta uma moto “igual às da frente”, mas não quero ser mais um(a) que vai pelo caminho mais fácil, com o que tenho é possível fazer mais e melhor e é com isso que vou trabalhar para chegar ao topo! E dessa forma serei eu como piloto que faz a diferença. A componente mental também é muito importante, sinto que peco um pouco nesta área, e é sinceramente onde tenho mais a melhorar.”

Madalena Simões e a Frammenti Racing Team irão disputar a última prova do CNV Moto no Circuito do Estoril, nos dias 11 e 12 de Setembro. No que toca à temporada de 2022, “o plano é continuar na categoria Supersport 300 e trazer o título de campeã nacional para casa. Gostava muito de continuar mas não sei ainda se estarei na equipa. Um dos objetivos já deste ano era fazer algumas provas no ESBK, mas infelizmente não se vai concretizar por ser muito dispendioso. Mas para o ano o objetivo mantém-se, não farei o campeonato espanhol por inteiro, mas temos em mente fazer duas provas. E se tudo correr bem, espero ter a oportunidade de fazer um ‘wild-card’ nas ‘World Superbike’.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.