Ralicross levou emoção e espectáculo a Montalegre

0

Super 1600 rouba as atenções em Montalegre

A chuva marcou o dia em Montalegre e proporcionou espectáculo acrescido naquela que foi a última prova antes da paragem de Verão.

Igual a si própria, a região de Montalegre apresentou-se com o seu tradicional tempo instável, com chuva e até mesmo com a nebulosidade a acabar por envolver o alto em que o Circuito Internacional de Montalegre se situa.

Ainda assim, os pilotos do RX Portugal by Diatosta não se deixaram influenciar pelas condições climatéricas e acabaram mesmo por oferecer um espectáculo ainda mais emocionante, com vários desaires e animadas lutas pelas melhores posições, estas em particular nos muito concorridos e disputados Super 1600. Isto apesar do estado da pista ter obrigado os pilotos a mestria extra.

Prova disso, foi a reviravolta na qualificação após a quarta corrida de apuramento face ao dia de ontem, com João Ribeiro a saltar de quarto para primeiro, Joaquim Machado a subir igual número de posições para ser segundo e Nuno Araújo a cair de líder para terceiro. Isto sem esquecer Jorge Machado que começou o dia em segundo e foi para as meias-finais em quinto.

Mas como só isso não bastava, as meias-finais acrescentaram um novo nível de emoção. Logo na primeira, Mário Teixeira ficou imóvel à boca da recta da meta, com Tiago Ferreira e Leonel Sampaio a ficarem também pelo caminho. Já na segunda, foi Carlos Carvalho quem acabou por não ver a bandeira de xadrez. Já na Final, emoções fortes logo à saída da Curva 1, com António Sousa, segundo da grelha, a sofrer uma saída de pista que foi determinante para o desfecho do seu fim-de-semana com a última posição.

Enquanto isso, e com menos um rival com que se ver, João Ribeiro, terceiro à partida, logrou a vitória com uns confortáveis 3,971s de vantagem sobre Jorge Machado, que largou da sexta posição da grelha. A fechar o pódio ficou Joaquim Machado, enquanto Sérgio Dias não conseguiu tirar o melhor partido da pole position e terminou em quinto, atrás de André Sousa.

Já na Super Cars, luta renhida entre o Campeão José Lameiro e o líder à chegada a Montalegre Joaquim Santos. O homem do Ford Focus ainda partiu melhor para assumir a liderança da corrida, mas uma excelente estratégia por parte do aveirense revelou-se determinante, com Lameiro a saltar para a liderança depois de se antecipar na ida à Joker Lap. Santos ainda foi atrás do prejuízo e chegou mesmo a aproximar-se muito do Campeão em título, mas acabou por perder terreno após dois pequenos erros. Contratempos que se revelaram determinantes para a vitória de José Lameiro, o primeiro piloto a vencer duas corridas com dois carros diferentes no Campeonato de Portugal de Ralicross by Diatosta. Isto porque neste domingo assinou o triunfo aos comandos do habitual Skoda Fabia Super Car, enquanto no Alto do Roçário garantiu o mais alto do pódio ao volante de um Fabia R5 com especificação de ralis.

Muito animado foi o despique entre os homens das 2 Rodas Motrizes, com vários toques ao longo das sete voltas, um deles, logo no final da segunda volta que acabou por influenciar o resto do desenrolar da corrida. Luís Carvalho ficou parado na trajectória da antepenúltima curva, abandonando o carro com a porta aberta, o que obrigou a que todos os outros tivessem de travar e contornar o Peugeot 206 até final. Todos, menos Adão Pinto que na última volta, já sem bandeiras amarelas, não fez cerimónias e foi por dentro, partindo a porta do bólide de Carvalho e subindo ao segundo posto, relegando Celmo Guicho para o mais baixo de um pódio que acabou por ser encabeçado por Andreia Sousa, que teve uma prova bem mais tranquila.

Quanto à Nacional 1.6, reviravolta ao cair do pano. Leandro Macedo, que foi quarto no conjunto das corridas de qualificação, cruzou a linha de meta na Final como vencedor, à frente do líder do campeonato André Ferreira. Contudo, no final o Colégio de Comissários Desportivos aplicou uma penalização ao homem do Citroen Saxo que o fez descer para o 2º posto. André Ferreira foi promovido a vencedor com o consequente reforço da liderança no campeonato, tendo o lugar mais baixo do pódio ficado na posse de Rafael Rocha.

Já nos que respeita aos pilotos mais jovens, os Iniciados, Guilherme Nunes, que chegou a Montalegre em último do Campeonato, refez a mão após um mau arranque de época e o desaire na penúltima jornada ao levar de vencida este quarto fim-de-semana do RX Portugal by Diatosta, isto depois de ter terminado as rondas de qualificação em quarto. Um pouco mais atrás, a 1,230s de distância, terminou o líder do Campeonato Rafael Rêgo, com Gonçalo Novo, o segundo da geral, a fechar o pódio. Contudo, uma penalização de última hora ditou a subida de Novo à segunda posição e a consequente subida de Rafaela Nunes ao pódio, enquanto Rêgo se viu relegado para último.

Campeão Gonzaga assina segunda vitória consecutiva

O início desta manhã de domingo trouxe consigo o mau tempo, com a chuva e nebulosidade a assumirem papel preponderante ao longo de toda a jornada. De tal forma que, após a terceira corrida de qualificação, a ordenação dos pilotos era bem diferente que aquela com que se tinha terminado o dia de sábado.

Os líderes Santinho Mendes e Pedro Rosário caíram várias posições na geral, mas a derradeira qualificação acabou por repor um pouco a ordem, com Mendes a regressar à primeira posição e Rosário a assumir o quarto posto, isto enquanto Jorge Gonzaga subir uma posição para ir para as meias-finais em segundo e Tiago Freitas a chamar a si o terceiro lugar depois de algum sobe e desce.

As meias-finais, e apesar do estado da pista estar por essa altura já bem complicado, não trouxeram surpresas de maior. Santinho Mendes revelou-se o mais forte no primeiro embate, isto depois de um arranque menos positivo, enquanto na segunda corrida de apuramento para a Final foi o Campeão João Gonzaga quem se impôs a liderar desde a partida. Um ritmo forte que lhe garantiu a pole position para a corrida decisiva.

Ainda assim, Gonzaga não teve uma prova 100% tranquila já que se viu batido por Mauro Reis no arranque, que se colocou em posição de vantagem para chegar na frente do pelotão à Curva 1. Contudo, o ritmo revelou-se demasiado forte e o piloto acabou por abrir muito a trajectória, o que deixou caminho livre a Gonzaga para rodar rumo à segunda vitória consecutiva. Um triunfo que nem mesmo a ida à obrigatória Joker Lap colocou em causa, graças à vantagem que tinha assegurado até então.

Com a liderança já decidida, a segunda posição acabou por ficar nas mãos do líder do Campeoanto de Portugal de Kartcross by Diatosta, Alexandre Borges, enquanto o mais baixo do pódio foi rubricado por Tiago Freitas.

Já Santinho Mendes, que largou de segundo depois de se ter destacado nas corridas de qualificação e também na sua meia-final, teve um derradeiro embate para esquecer. A confusão à abordagem à primeira curva e uma largada menos conseguida ditou a queda no pelotão. O recém-formado piloto de aviação civil ainda recuperou algum terreno, mas depois viu também o motor do seu Semog Bravo começar a fumegar, o que não lhe permitiu ir além de quinto, isto apesar de ter concluído a cerca de quatro décimos de segundo do quarto posto de Luís Almeida e já com o sol a querer dar um ar da sua graça antes da viagem de pilotos e máquinas rumo a um merecido mês de férias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.