Miguel Oliveira garante melhor qualificação da época

0

Miguel Oliveira (KTM) foi o sétimo mais rápido na sessão de qualificação para o Grande Prémio de Itália de MotoGP, naquele que é o melhor resultado do português em seis corridas. Oliveira fez a sua melhor volta em 1.45,745 minutos, terminando a apenas 0,002 segundos do sexto lugar, do seu companheiro de equipa na KTM, o sul-africano Brad Binder, e a 0,558s do melhor registo, conseguido pelo francês Fábio Quartararo (Yamaha).

O piloto gaulês estabeleceu um novo recorde no circuito de Mugello, retirando 0,269s ao melhor registo, que pertencia ao italiano Francesco Bagnaia (Ducati) desde a terceira sessão de treinos livres, esta manhã.

O novo quadro [chassis] montado na mota do piloto português e estreado na sexta-feira trouxe melhorias de competitividade a Miguel Oliveira, que tinha como melhor registo em qualificação dois décimos lugares, conseguidos em Portugal e em França.

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) acredita que pode conseguir um “bom resultado” no Grande Prémio de Itália de MotoGP, sexta prova da temporada, depois deste sábado ter sido o sétimo mais rápido na sessão de qualificação. O piloto de Almada sente ter “um ritmo bastante promissor” para a corrida de domingo.

“Se é para vencer ou ficar no top5 só saberemos amanhã [domingo]. Um bom resultado seria terminar dentro do top5”, sublinhou Miguel Oliveira. O piloto português sente que este “foi o dia” em que esteve “mais forte”. “Falhar a segunda linha por tão pouco [0,002s] é frustrante, mas a mota portou-se bem e espero uma boa corrida”, começou por dizer.

O piloto luso da KTM ainda não escolheu o pneu a usar, explicando que a escolha “vai depender da temperatura”, mas sempre admitiu que “o duro à frente estava a funcionar bem”. Para esta prova, a KTM proporcionou um novo quadro [chassis] ao piloto português e mais velocidade de ponta na sua RC16. “A velocidade extra é decisiva para ultrapassar e defender a posição nas retas”, vincou Oliveira, que espera “as dificuldades de sempre”.

“Corremos depois da prova de Moto2 e a pista tem menos borracha. Com o calor e os cones de ar, é mais fácil sobreaquecer os pneus”, explicou à agência Lusa, na conferência de imprensa virtual desta tarde.

Já Quartararo disse que esta foi “a melhor volta” da sua vida e que o primeiro lugar da grelha “é importante para a corrida”. O piloto francês dedicou esta ‘pole position’ a Jason Dupasquier, piloto de Moto3 acidentado nos treinos desta manhã.

Nota ainda para o 11.º lugar do espanhol Marc Márquez (Honda) e do 19.º do italiano Valentino Rossi (Yamaha), que não passou da primeira fase da qualificação (Q1). O GP de Itália é a sexta prova da temporada. Miguel Oliveira ocupa, atualmente, o 19.º lugar do campeonato, com nove pontos, a 71 do líder Quartararo.

Fonte: Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.