Simon Humphries fala sobre a “revolução de ideias” no futuro do design automóvel

0

A indústria automóvel mudou significativamente nos últimos anos. Da mesma maneira, também o estilo de vida de cada um, bem como os seus valores, se diversificaram. Como deve o design automóvel responder? Simon Humphries é o responsável pelo Departamento Global de Design da Toyota e da Lexus, o líder das operações de design para ambas as marcas. Desde 2020, também é jurado do Lexus Design Award, uma competição internacional anual de design. No contexto de um mundo desordenado pela pandemia global Covid-19, Humphries fala sobre o papel dos designers e sobre a sua filosofia pessoal de design.

“A qualidade mais importante do design é considerar os sentimentos do utilizador”
Desde que entrou para a Lexus, em 1994, Simon Humphries, nascido no Reino Unido, trabalhou no design de uma ampla variedade de veículos. Atualmente lidera a sua equipa de design com criatividade e capacidade para transformar ideias em realidade.

“No Reino Unido, estudei design industrial. Até ingressar na Lexus, nunca tinha trabalhado com design automóvel”, lembra Humphries. “Apesar da minha falta de experiência, fui integrado na equipa, graças à minha experiência noutras áreas. Este tipo de flexibilidade será fundamental para que a Lexus se torne numa ‘empresa de mobilidade’.”

Continua, explicando a sua filosofia de design: “A qualidade mais importante do design é considerar os sentimentos do utilizador. Depois de criar um design que integre essas considerações, deve ser capaz de o explicar de forma clara, contar a sua história. É por isso que é essencial que os designers tenham facilidade em comunicar. Tento sempre mostrar aquilo de que os nossos clientes precisam e como o meu design reflete essas necessidades. Independentemente do design, se o mostrar a cinco pessoas, cada uma focará aspetos diferentes. Por outras palavras, a comunicação é a chave que permite transmitir a intenção do designer.”

“No estúdio de design onde trabalhei antes de ingressar na Lexus, eu era o único responsável por explicar o projeto e convencer os clientes. Essa experiência marca, ainda hoje, a forma como trabalho.”

Como irá evoluir o design automóvel no futuro?
As criações que Humphries produz não são meras ilustrações; incorporam palavras e conceitos: “Como serão os automóveis do futuro? A resposta está, sem dúvida, na forma como respondemos ao desejo humano de nos movermos livremente. Ao contrário dos animais, cujo movimento é impulsionado por necessidades básicas como alimentação ou abrigo, os humanos têm liberdade para seguir a sua curiosidade e procurar novas aprendizagens. O desejo humano de mobilidade é muito profundo”, afirma.

“Há quem tema que, se a condução automatizada se tornar popular, o design automóvel passará a ser mais comercial. Não concordo. Na verdade, acredito precisamente no oposto.”

“Nenhum utilizador deseja o mesmo do seu veículo, o tempo todo. Por exemplo, pode querer ir de carro para o trabalho, sozinho; depois, noutra altura, pode querer levar o carro para fazer compras, ou passear com a família. O ideal é que o veículo possa atender a estas necessidades individuais, da melhor forma possível.”

Apesar disso, Humphries acrescenta: “No entanto, vivemos tempos diferentes. Não é possível desenhar automóveis recorrendo à mentalidade que tínhamos anteriormente. Centrado no mercado, o design automóvel precisa de uma revolução de ideias.”

“Antigamente, o design automóvel reunia ‘tendências’ facilmente identificáveis. Já não é assim. Os consumidores tornaram-se incrivelmente diversificados e os mercados mudam a grande velocidade. Agora, a chave para o sucesso é: com que rapidez podemos integrar as necessidades do utilizador nos nossos produtos?”

“O ponto forte do Lexus Design Award é oferecer oportunidades iguais a todos os candidatos”
Em 2020, Humphries tornou-se jurado do Lexus Design Award, uma competição internacional de design organizada anualmente pela Lexus, desde 2013. O objetivo da competição é descobrir, estimular e apoiar designers e criadores emergentes que procuram “Desenhar um Amanhã Melhor”.

“O ponto forte do Lexus Design Award é oferecer a todos os candidatos oportunidades iguais, independentemente de serem profissionais ou estudantes, ou da sua localização. Atualmente, os designers profissionais tentam chegar constantemente a novas criações que lhes permitam fazer ouvir as suas vozes. Sendo esta distinção pública, as criações dos vencedores tornam-se amplamente conhecidos – é uma excelente oportunidade.”

São selecionados seis finalistas a partir das inscrições recebidas, candidaturas provenientes de todo o mundo. Os seis finalistas têm a oportunidade de desenvolver as suas ideias, orientados por criadores de renome mundial, ao longo de seis meses. Tradicionalmente, o anúncio do vencedor do Grande Prémio ocorre durante um evento especial, realizado durante a Semana de Design de Milão, em abril. Devido ao cancelamento do certame deste ano, o resultado foi divulgado durante um evento online, onde a audiência teve oportunidade de assistir às apresentações sobre os trabalhos dos seis finalistas.

Humphries comenta: “Para os finalistas, deve ter sido uma experiência complicada. No entanto, muitas vezes, um momento de crise pode ser estimulante para a criatividade”. Lembra a experiência dos avós para ilustrar este pensamento: “Por longos períodos de tempo, durante os recentes confinamentos, os avós não se podiam encontrar com os seus entes queridos. Quando percebi o que estava a acontecer, perguntei se alguém poderia desenvolver aplicações que, por exemplo, recorrendo a feedback tátil, conseguissem que, quando tocássemos em imagens de pessoas no tablet, parecesse que estávamos realmente a tocar nas bochechas da pessoa que está no ecrã. Este tipo de novas ideias para realizar os desejos das pessoas é o que os designers exigem agora. Quando se trata de automóveis, também é fundamental que não nos concentremos excessivamente nos modelos do passado. Estamos a entrar numa época em que precisamos de deixar de lado noções preconcebidas – como a de que um carro é apenas um meio de transporte – e avançar em direção a um futuro mais inovador.”

De acordo com Humphries, a indústria automóvel deve adotar a perspetiva mais ampla de sempre, no fabrico dos seus modelos. Acredita no poder do design – e esta sua crença inspira outros a fazer o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.