Lourenço Rosa e Joaquim Dias mantêm posição

0
  • Lourenço Rosa e Joaquim Dias chegaram a rodar em 6ºs por entre os SSV
  • Entre as etapas de hoje e amanhã, não existe assistência técnica

Lourenço Rosa e Joaquim Dias regressaram hoje à competição preparados para enfrentar as seis etapas que restavam antes do término do Dakar Rally. E hoje o dia levou os concorrentes à primeira parte de uma etapa maratona com 450 quilómetros de extensão, sendo que não estava prevista assistência técnica para os carros no final do dia, cabendo à própria equipa efetuar o trabalho possível na manutenção do Can-Am.

A abrir o percurso, zonas de areia com bastantes variações de declive que variava entre os 800 e os 1.000 metros de altitude, um esforço adicional para as máquinas que o Can-Am preparado pela equipa South-Racing enfrentou novamente sem problemas. No resto do percurso, mais algumas zonas com alguma pedra, mais dunas e finalmente um sector final mais aberto e rápido a dar algum descanso à mecânica mas a exigir mais da concentração dos pilotos.

Foi mais um dia positivo para a equipa que ainda consegui rodar no grupo dos seis mais rápidos, terminando o dia na 8ª posição na etapa, mantendo o décimo posto na geral dos SSV.

“Acabamos a sétima etapa, e voltou a correr bem, tenho de deixar uma palavra de agradecimento ao Joaquim Dias que fez um trabalho espetacular hoje, irrepreensível num percurso muito difícil para a navegação, e foi inacreditável ter tomado as decisões certas em cada momento, nas notas, na leitura do terreno , foi brutal.

Pena que a cerca de 90 quilómetros do fim acabamos por furar e perder mais de 4 minutos a mudar a roda, e terminamos de novo dentro do Top Ten, que é muito positivo para nós.

Hoje é uma etapa maratona e temos de ser nós a tratar do carro, felizmente não há nenhum problema complicado para resolver e estamos prontos para amanhã continuar, tentar ser de novo rápidos mas sempre com uma margem de segurança, pois a prova é longa e o objetivo é terminar o rali.

Em Dezembro já estivemos nesta região a disputar a Baja Hail em preparação para o Dakar e isso foi muito bom pois de algum modo, o tipo de percurso e decisões a tomar foram também suportadas na experiência e conhecimento obtidos nessa prova, e pudemos hoje tirar algum partido disso.”

Tempo de olhar para a etapa de amanhã, segunda parte desta etapa maratona que ligará Sakaka a Neom, num percurso com 334 quilómetros de ligação e 375 quilómetros de especial cronometrada. Será uma etapa mais aberta, menos técnica e potencialmente com menos dificuldades no terreno, prevalecendo a navegação como fator primordial do dia, bem como será o momento de os concorrentes colocarem as câmaras de bordo a funcionar, pois vão atravessar algumas das mais belas paisagens que este Dakar terá para oferecer. Mais de metade do desafio Dakar está cumprido e cada vez mais os olhos se começam a fixar no momento mais desejado, a chegada final a Jeddah.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.