Lewis Hamilton com vitória histórica em Portugal

0

Lewis Hamilton é agora o piloto de Fórmula 1 mais bem-sucedido de todos os tempos. O britânico conquistou a sua 92ª vitória da carreira, com uma estratégia de uma só paragem (médios-duros): prevista como a estratégia mais rápida.

Todos os compostos da Pirelli registaram um bom desempenho, apesar dos grandes desafios impostos pelas condições climáticas e pela própria pista.

Os pneus médios demonstraram, particularmente, um desempenho impressionante e uma consistência excelente. Esteban Ocon, da Renault, fez 53 voltas com este composto, enquanto que Hamilton registou 45 voltas (40 na corrida e mais 5 no Q2). O outro piloto da Mercedes, Valtteri Bottas, que terminou na segunda posição, seguiu uma estratégia idêntica, parando uma volta depois.

Registo para a variedade de estratégias, sendo que se verificaram quatro abordagens distintas entre os 10 primeiros classificados.

A maioria dos pilotos efetuou uma só paragem, excetuando cinco pilotos. Três destes fizeram uso dos três compostos disponíveis, incluindo Sergio Perez, da Racing Point, que terminou no sétimo posto, apesar de ser obrigado a parar na primeira volta, após um contacto com Verstappen.

As temperaturas mantiveram-se relativamente baixas, com as temperaturas da pista a rondar os 25 graus e o registo de algumas gotas de chuva logo após o início da corrida, bem como no final do Grande Prémio.

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

DUROS C1: utilizados pelos pilotos da Mercedes para o segundo stint. Demoraram duas voltas para aquecer, mas proporcionaram um desempenho extremamente forte, como demonstrado por Hamilton, que registou a sua volta mais rápida com este composto, já no final da corrida. O piloto da Haas, Kevin Magnussen, foi o único a iniciar a corrida com pneus duros.

MÉDIOS C2: desempenharam um papel fundamental na corrida. Foram utilizados para definir a pole position e a eleição de mais da metade dos pilotos para o início deste Grande Prémio. Assistimos a stints muito longos com este composto, que proporcionou uma grande consistência combinada com um excelente equilíbrio entre a durabilidade e o nível de desempenho.

MACIOS C3: demonstraram também um bom ritmo e consistência: o piloto da McLaren, Carlos Sainz, aproveitou a velocidade instantânea deste composto para assumir a liderança no início da corrida. Pierre Gasly (AlphaTauri) registou 28 voltas com pneus macios.

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“Estamos muito felizes com o desempenho dos três compostos, num circuito exigente que as equipas não conheciam bem; sendo que houve uma redução do tempo de corrida nos treinos livres. Todavia, assistimos a uma variedade de estratégias, com os três compostos a demonstrarem velocidade e durabilidade. As condições complicadas, com temperaturas de pista razoavelmente baixas e até um pouco de chuva, não nos impediram de assistir a alguns stints impressionantemente longos, especialmente com o composto médio – que era claramente o de eleição, pois a pole foi estabelecida com esta escolha. Parabéns a Lewis Hamilton pelo seu incrível recorde: somos privilegiados por testemunhar a história a ser escrita.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.