Emoção até ao último metro na vitória de Lukyanuk em Fafe

0

‘Terra de emoções’. O slogan das campanhas de promoção turística do município de Fafe bem se pode aplicar à edição de 2020 do Rally Fafe Montelongo, que marcou a estreia do Demoporto no calendário do FIA ERC (European Rally Championship). A prova portuguesa, terceira ronda do ‘Europeu’, teve emoção até à derradeira especial, para a qual Alexey Lukyanuk (Citroën C3 R5) partiu com apenas 3,8s de vantagem sobre Yoann Bonato (Citroën C3 R5) e 4,7s sobre Iván Ares (Hyundai i20 R5)… depois de ter chegado a ter mais de 34s de avanço na tarde de domingo.

O piloto russo, campeão da Europa em 2018 e atual líder do campeonato, conseguiu manter o comando no derradeiro troço, em condições de aderência precárias, fazendo exatamente o mesmo tempo de Ares e menos 0,8s do que Bonato. Assim, Lukyanuk garantiu em Fafe a segunda vitória da época, depois do triunfo em Itália, terminando com 4,6s de vantagem sobre Bonato e 4,7s sobre Ares.

“Fiz um pião no troço anterior, não era bem o momento ideal para cometer um erro daqueles, mas isso deixou-nos ainda mais motivados”, admitiu Lukyanuk no final do rali. “Fizemos um bom trabalho na última especial, apesar da chuva. Posso estar orgulhoso. Um grande obrigado à equipa, à Pirelli e aos patrocinadores. Agora, vamos divertir-nos.”

A última e emocionante passagem pela especial de Guilhofrei foi ganha pelo jovem Oliver Solberg (Volkswagen Polo GTi R5), que entre o acidente no Shakedown de sexta-feira, e problemas de turbo no sábado, não pôde discutir a vitória com Lukyanuk, seu principal rival no campeonato.

Registo ainda para a prestação das equipas portuguesas, onde João Barros (Citroën C3 R5) foi o melhor classificado, no 13.º lugar. Pedro Almeida (Peugeot 208 Rally4) foi o terceiro no FIA ERC3 e 17.º da classificação geral. Seguiram-se Aloísio Monteiro (Skoda Fabia R5) no 21.º lugar, José Paula (Peugeot 208 T16) em 25.º, Manuel Pereira (Peugeot 208 R2) em 28.º, e Mário Castro (Ford Fiesta R2T) no 30.º lugar final.
Estes resultados são ainda provisórios, estando sujeitos à validação do Colégio de Comissários Desportivos. Pode aceder às classificações online através dos seguintes links:

www.rallyfafemontelongo.com/
www.fiaerc.com/event/rally-fafe-montelongo/

Carlos Cruz: “Estamos duplamente satisfeitos mas sabemos que há vários detalhes a melhorar”

Carlos Cruz, o presidente do Demoporto – Clube de Desportos Motorizados do Porto e “cérebro” da organização deste Rally Fafe Montelongo, competição que fez uma estreia com selo de qualidade no calendário do Campeonato da Europa, não escondia, no termo da prova, o seu contentamento.
“Claro que sinto uma satisfação muito grande, porque o balanço é bastante positivo, depois de termos colocado tudo de pé num curto espaço de tempo. Estou duplamente satisfeito, ao concretizarmos aquilo a que nos propusemos e, portanto, seria difícil estar mais orgulhoso de uma vasta equipa que trabalhou com acerto e determinação para tornar realidade a realização do Rally Fafe Montelongo no Europeu”.

O responsável máximo da organização destacou, também, o elevado nível competitivo da prova – ganha pelo russo Alexey Lukyanuk (Citroen C3) –, cujos primeiros lugares apenas ficaram definidos na última das 18 classificativas.
“A emoção foi outra das notas que me encheu de alegria, pois neste último dia parecia que estava tudo decidido de manhã, mas de um momento para o outro mudou tudo e a incerteza quanto ao vencedor manteve-se até final. Também o aspeto desportivo do rali foi brilhante e verdadeiramente espetacular”.

Sem pretender entrar em detalhes relativos ao futuro, Carlos Cruz confessa ter perfeita noção dos pontos a melhorar, em termos organizativos, na estrutura deste Rally Fafe Montelongo:
“Foi uma experiência nova, pois não estávamos habituados às exigências de uma prova do Europeu, cujo regulamento tem outros contornos e é mais exigente. Sabemos que há vários pontos a melhorar, mas o essencial do rali encontra-se bem delineado. Mas temos a perfeita noção de quais os detalhes a evoluir e não será nada que não esteja ao nosso alcance”.

Sobre os comentários, tanto do Eurosport Events, promotor do Europeu, como da FIA (Federação Internacional do Automóvel), o “patrão” do Demoporto comentou:
“Não nos foi feito nenhum reparo muito significativo, somente pequenos detalhes, como referi anteriormente. E manifestaram-se surpreendidos pela nossa capacidade de montar uma prova desta envergadura em tão curto espaço de tempo. Aliás, as declarações do presidente da FPAK, Ni Amorim, proferidas ontem, referem isso mesmo, na sequência das reuniões que teve com ambos os organismos”.

Prova extra de nível mundial

Armando Pereira, navegado por Kevin Millet, venceu a prova extra-campeonato integrada no programa do Rally Montelongo, aos comandos de um Ford Fiesta WRC.

O domínio da dupla luso-francesa foi total, ao longo da prova que foi disputada este domingo, em seis das nove classificativas da segunda etapa do rali disputado nas estradas de asfalto da região de Fafe e Vieira do Minho.

A luta pelos lugares restantes do pódio foi um do pontos altos da prova e só no final, depois de várias trocas, foi possível à dupla Luís Morais e António Pereira (Peugeot 208) festejar o segundo posto, após serem consistentemente rápidos nas duas últimas classificativas. Dessa forma arrecadaram também a vitória nas duas rodas motrizes.

O quase estreante Nelson Silva, navegado pelo veterano José Janela, levou o Mitsubishi Lancer Evo VI até ao terceiro posto, depois de bater Miguel Carvalho e António Reis (Peugeot 206 Gti), que esteve também na luta pelos lugares do pódio, mas no final caiam para quintos, cedendo à pressão dos homens do BMW M3, Miguel Teixeira e Vítor Pereira, que foram mais rápidos na fase final da prova.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.