Mário Patrão nas pistas alentejanas de Reguengos

0
  • Piloto da rr-motos.pt disputou duas Bajas em apenas uma semana

Depois de ter iniciado a temporada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno com um segundo lugar em Góis, a que se seguiram seis meses sem competição Mário Patrão disputou neste mês de setembro duas Bajas no curto espaço de uma semana. Terminada a Baja TT do Pinhal o piloto apoiado pelo CRÉDITO AGRÍCOLA teve apenas quatro dias para se preparar para a Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal disputada nas pistas concelho de Reguengos de Monsaraz.

Isso não impediu Mário Patrão de se apresentar na terceira jornada do Campeonato Nacional de TT fortemente motivado vindo a concluir a prova alentejana em 12º lugar da classificação geral e sétimo entre os concorrentes da Classe TT2. Resultados que não correspondem às expectativas do piloto que confessa terem os problemas que se registaram logo numa fase inicial da corrida condicionado a possibilidade de alcançar os objetivos traçados para esta prova.

Para Mário Patrão esta foi “uma competição típica do Alentejo, com um percurso bastante rápido. Tive alguns problemas no dia de sábado com a moto e não consegui encontrar o melhor setting para estas pistas. Nesse mesmo dia, ainda penalizei por exceder a velocidade numa zona controlada. Tive a sensação de não me conseguir sentir totalmente confortável na corrida. Saí de Reguengos com o sentimento de dever cumprido. Queria ter feito melhor e era esse o meu objetivo, mas as corridas são mesmo assim. Agora é necessário olhar em frente, melhorar o que houver para melhorar e olhar de cabeça erguida e com determinação para o que ainda está por vir. Foi gratificante sentir o apoio do público que esteve sempre a apoiar e a quem agradeço. Agradeço também, e uma vez mais, a todos os meus patrocinadores pelo apoio incondicional nestas aventuras.”, revela o piloto da LUSÍADAS SAÚDE.

O piloto apoiado também pela BAHCO está já em contagem decrescente para disputar o Rally da Andaluzia, que se realizará de 6 a 10 de outubro. Esta competição que vem substituir o Rali de Marrocos terá o seu formato adaptado às medidas sanitárias tomadas em relação ao Covid-19 e irá decorrer de portas fechadas, com menos jornalistas e sem espectadores.

Antes de cada etapa será fornecido um roadbook em papel aos pilotos de moto. Todo o trabalho de assistência será realizado no final da etapa. Esta competição organizada pela ODC Events terá a sua base em Villamartín, e será composta por um prólogo e quatro etapas num total de 1354 quilómetros dos quais 76% serão disputados ao cronómetro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.