Pirelli faz a antevisão do G.P. de Itália em F1

0

Para Monza, considerado por muitos “o templo da velocidade”, designamos a mesma seleção de compostos da temporada passada: C2 (P Zero White – duros), C3 (P Zero Yellow – médios) e C4 (P Zero Red – macios). Tratam-se das opções intermédias da linha Pirelli F1, que são capazes de dar uma boa resposta em vários tipos de condições.

A escolha baseia-se nas características diversas de Monza. A pista combina as suas famosas retas com zonas lentas e técnicas, que foram adicionadas ao longo dos anos para restringir as velocidades médias.

Tal como Spa, o GP da Itália é outro evento que vai decorrer na data originalmente estabelecida. As edições anteriores fazem-nos antever um clima muito quente, uma vez que a corrida coincide com o fim do verão italiano.

CARACTERÍSTICAS DO CIRCUITO

Monza é um dos palcos clássicos do calendário da Fórmula 1, uma pista onde as velocidades máximas andam muito próximas dos 360 km/h, graças às configurações mínimas de downforce utilizadas pelas equipas para diminuir o “drag” durante as retas.

Por outro lado, haverá menos grip aerodinâmico durante as curvas, pelo que os pilotos terão de confiar mais na aderência mecânica proporcionada pelos pneus. Com níveis de downforce inferiores, aumentarão as derrapagens, o que, por seu turno, incrementará o desgaste dos pneus.

Se não se verificarem altas temperaturas, um dos efeitos das longas e rápidas retas de Monza será o arrefecimento dos pneus, o que poderá criar problemas nas curvas seguintes, se os mesmos não tiverem temperatura suficiente.

Com uma estratégia de uma paragem, Charles Leclerc conquistou a vitória para a Ferrari no ano passado. O monegasco, que largou da pole position, foi o único a optar pela tática macios-duros, sendo que todos os outros pilotos optaram pela opção macios-duros.

Lewis Hamilton (Mercedes) parou duas vezes nas boxes e terminou a menos de um segundo de Leclerc, prova de que esta pista permite uma grande variedade de estratégias.

Há dois anos, Kimi Räikkönen estabeleceu o recorde absoluto de volta ao volante do seu Ferrari: 1: 19.119.

No entanto, a volta mais rápida em corrida continua nas mãos de outro antigo piloto da Ferrari, Rubens Barrichello, desde 2004. Será que este recorde de 16 anos vai cair na presente temporada?

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

“Pela primeira vez, damos início a dois fins de semana consecutivos de Fórmula 1 em Itália, ambos com diferentes escolhas de pneus. Ao contrário de Mugello, as equipas e os pilotos têm uma infinidade de dados altamente relevantes sobre Monza, com o acréscimo de este ano as escolhas dos compostos serem iguais à eleição de 2019. No entanto, os carros estão muito mais rápidos do que na temporada passada, e existe ainda uma incógnita no que à meteorologia diz respeito: frequentemente quente e seca, mas também com a possibilidade de aguaceiros, como se verificou em edições recentes. As táticas de uma ou de duas paragens podem ser viáveis, mas ao contrário da temporada passada, os pilotos têm agora uma designação de conjuntos de pneus fixa, o que vai influenciar a estratégia dos conjuntos de pneus restantes para o dia de domingo. No entanto, esta escolha de pneus foi decidida com o intuito de oferecer aos pilotos o máximo de oportunidades possíveis, para que tenham os pneus de que precisam para a corrida”.

OUTRAS INFORMAÇÕES PIRELLI

  • O World Rally Championship (WRC) está de regresso, coincidindo com o Grande Prémio da Itália, e viaja pela primeira vez até à Estónia. A partir de 2021, a Pirelli será a fornecedora exclusiva do evento. Ao volante de um Citroën C3 WRC, o norueguês Andreas Mikkelsen tem liderado uma série de testes privados para a Pirelli.
  • O GT World Challenge, categoria que também confia o seu fornecimento de pneus à Pirelli, celebrará a terceira ronda do seu calendário, neste fim de semana, no Nürburgring. Trata-se de uma corrida de seis horas onde a estratégia dos pneus assume um papel fundamental.
  • Mais uma vez, Monza dá as boas-vindas à Fórmula 2 e à Fórmula 3, como aconteceu, de resto, em todos os Grandes Prémios da presente temporada.
  • Além de fabricar pneus para os carros mais rápidos do mundo, a Pirelli também fabrica pneus para carros um pouco mais lentos. A empresa italiana recuperou os pneus para o clássico Fiat 500, que passam a estar integrados na linha Pirelli Collezione.​

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.