Nacional Enduro terminou em clima de festa

0

Ao vencer oito das 12 especiais que marcaram e alinharam as classificações da 5ª edição do Enduro de Souselas, Diogo Ventura garantiu a renovação do título nacional de enduro. Num ano marcado pela interrupção forçada devido à pandemia que ditou o cancelamento das provas de Fafe e Águeda, o piloto de Góis assinou a sua segunda vitória do ano e o título nacional, o terceiro na sua carreira depois de ter feito o mesmo em 2017 e 2019.

119 dias após ter subido ao degrau mais alto do pódio no campeonato – no dia 8 de Março em Góis – Ventura esteve sempre na frente do pelotão neste decisiva jornada, vencendo em todas as passagens (quatro) pelas Enduro e Cross Test, alimentando a cada passagem pelas especiais cronometradas a vantagem que no regresso ao parque-fechado foi de pouco menos de 32 segundos face a Rui Gonçalves, terceiro no campeonato esta manhã e que foi a ‘maior fonte de preocupação’ para o campeão nacional.

Vencedor em três das quatro passagens pelas Extreme o piloto de Vidago não conseguiu a sua estreia no topo do enduro nacional, ele que não esteve na prova de Góis depois de vencer em ambos os dias na Régua – com as suas aspirações a serem também elas vitimas do Covid-19. Hugo Basaula, o primeiro vencedor do ano, ganhou apenas na primeira passagem pela Extreme, atrasando gradualmente até fechar o dia na quinta posição, atrás de Gonçalo Reis e Diogo Vieira.

Entre os pilotos da Open Gonçalo Sobrosa repetiu a vitória conseguida em Góis, mas o vencedor global é Rodrigo Belchior, hoje o terceiro atrás de Ricardo Damil – piloto que ‘nasceu’ no trial e que foi uma das boas surpresas neste ano de 2020 ao terminar regularmente em posições de pódio. Damil foi mesmo o vencedor na Open 2, onde Ricardo Wilson conseguiu o título fruto de um ano onde por quatro vezes foi quarto e onde a regularidade foi o ‘antídoto’ para os seus adversários. De notar a ausência de Frederico Rocha, piloto da região que lutava pelo ceptro na categoria.

Entre os verdes Filipe Taniko foi o mais rápido nesta ronda de final de ano para manter a invencibilidade na Verdes 3, ele que chegou a Souselas já com a vitória no trofeu assegurada, juntando também o triunfo em termos absolutos nos Verdes ao bater Rui Fernandes, segundo aqui em Souselas a pouco menos de 18 segundos. Gil Carmo foi o terceiro, melhor em Verdes 1 para assegurar a conquista final do troféu, replicando aquilo que Rui Fernandes fez em Verdes 2.

Albano Silva venceu na Youth Cup mas quem fez a festa foi Gonçalo Salgado, o mesmo se passando com Joana Gonçalves que regressou às vitórias para renovar igualmente o título nas Senhoras. Igual resultado para Manuel Moura, primeiro entre os Veteranos e primeiro na classificação final da classe.

Paulo Miranda fechou o ano com mais uma vitória e venceu globalmente nos Super-Veteranos, ele que juntamente com Filipe Taniko foram os dois únicos invictos em 2020, ano com apenas quatro provas – cinco dias pontuáveis – fruto da pandemia que assolou o planeta e deixou motos e pilotos sem competir durante quase quatro meses.

De notar que a prova de Souselas foi a mais concorrida do ano, com os 195 pilotos inscritos no evento a cumprirem em conjunto com as suas equipas e acompanhantes todas as regras de distanciamento social e sanitárias definidas pelas autoridades oficiais que acompanharam o evento que se desenrolou debaixo de temperaturas elevadas que ajudaram a subir o grau de diificuldade da competição que marcou o final deste inesperado ano desportivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.