Novo Opel Grandland X híbrido ‘plug-in’ com tração integral elétrica

0
  • Novo Grandland X Hybrid4 no topo da linha SUV da Opel: 300 cv e tração integral;
  • Quatro modos de funcionamento: elétrico puro, híbrido, AWD e ‘sport’;
  • Grandland X PHEV consegue percorrer até 59 km em modo elétrico (WLTP1)
  • Bateria de iões de lítio recarrega totalmente em cerca de duas horas;
  • Travagem regenerativa converte desaceleração em eletricidade;
  • Versão única topo de gama Ultimate, proposta por 57.670 euros;
  • A Opel liga-se à eletricidade: em 2024 toda a gama de modelos terá versão eletrificada.

O novo Opel Grandland X Hybrid4 – o primeiro híbrido ‘plug-in’ da marca alemã – está prestes a chegar ao mercado português. O elegante SUV de tração elétrica às quatro rodas posiciona-se no topo da oferta da Opel, aliando um motor térmico a gasolina 1.6 Turbo a dois motores elétricos. A potência debitada pelo conjunto ascende a 300 cv (221 kW). Os valores de consumo de combustível em ciclo misto, de acordo com a mais recente norma WLTP1, são de 1,4-1,3 l/100 km, com 32-29 g/km de CO2 (NEDC2: 1,6-1,5 l/100 km, 36-34 g/km CO2).

Com a entrega das primeiras unidades a clientes prevista para março de 2020, o Opel Grandland X Hybrid4 surge numa única versão Ultimate, topo de gama, proposta ao preço de 57.670 euros. O equipamento de série é vasto, incluindo bancos dianteiros ergonómicos forrados a couro e tecido, jantes de liga leve de 19”, fecho centralizado e ignição sem chave, sistema de infoentretenimento IntelliLink com navegação, faróis AFL LED com comutação automática, para-brisas aquecido e os novos serviços telemáticos Opel Connect, entre muitos outros. Na lista dos sistemas de assistência à condução incluem-se reconhecimento de sinais de trânsito, alerta de saída de faixa com correção ativa de direção, alerta de ângulo cego, alerta de cansaço do condutor, alerta de colisão dianteira iminente e travagem automática de emergência.

Através da Free2Move Lease, a marca do Groupe PSA para as soluções de ‘renting’, a Opel oferece para o Grandland X Hybrid4 a opção de um contrato de quatro anos/80.000 quilómetros que inclui manutenção, seguro, pneus (sem limite), viatura de substituição e assistência em viagem, mediante uma renda mensal de 604,5 euros.

A par do novo elétrico Corsa-e, o híbrido ‘plug-in’ Grandland X Hybrid4 contribui para a eletrificação de toda a linha de modelos da marca – processo que será implementado até 2024 – e para a estratégia que o fabricante traçou para cumprir futuros limites de emissões de CO2.

Dois motores elétricos e um motor de combustão: híbrido de alto desempenho

O sistema de motorização do Grandland X Hybrid4 é composto por:

  • um motor 1.6 de quatro cilindros a gasolina, com turbocompressor e injeção direta, capaz de debitar 200 cv (147 kW) de potência; este motor cumpre a norma Euro 6d e está certificado de acordo com o ciclo de testes WLTP;
  • um sistema de propulsão elétrica formado por dois motores – dianteiro de 110 cv (81 kW) e traseiro de 113 cv (83 kW) – tração integral e uma bateria de iões de lítio com capacidade de 13,2 kWh. O motor elétrico dianteiro está acoplado a uma caixa automática eletrificada de oito velocidades. O segundo motor elétrico está integrado no eixo traseiro eletrificado, com um diferencial, o que permite obter tração às quatro rodas.

O Opel Grandland X Hybrid4 tem autonomia até 59 quilómetros em modo elétrico puro, medida no ciclo WLTP1 (67 a 69 km no ciclo NEDC2). Vários estudos demonstram que 80 por cento dos condutores na Alemanha percorrem distâncias inferiores a 50 km nos movimentos diários pendulares (casa-trabalho-casa), o que quer dizer que, nestes casos, o Grandland X Hybrid4 pode ser potencialmente utilizado em permanência com emissões zero.

O sistema de motorização do Opel Grandland X Hybrid4 possui quatro modos de funcionamento – “Electric”, “Hybrid”, “AWD” e “Sport” – que podem ser selecionados pelo condutor. No modo “Hybrid”, a sofisticada gestão seleciona automaticamente o tipo de motorização mais eficiente para cada momento. O modo “Electric” de emissões zero pode ser ativado, por exemplo, quando se chega a um centro urbano. A função “e-Save” garante uma reserva de energia elétrica na bateria de alta voltagem para ser utilizada posteriormente, como seja numa zona de circulação exclusiva de veículos elétricos. O modo “Sport” oferece maior dinamismo na condução através da gestão combinada dos débitos de potência do motor de combustão e da motorização elétrica. Ao optar por “AWD” (All-Wheel Drive, tração integral), o sistema garante máxima tração em todos os géneros de estradas.

Além de demonstrar que a Opel democratiza a inovação com os mais recentes sistemas de propulsão, o Grandland X Hybrid4 também prova que a marca não perde de vista a versatilidade e a facilidade de utilização. Por exemplo, a bateria está instalada sob o banco traseiro, com o objetivo de otimizar a ocupação do espaço do habitáculo e da bagageira.

Uma vez que a eletricidade é mais barata do que a gasolina, a utilização frequente do novo Grandland X híbrido ‘plug-in’ com a bateria carregada pode baixar significativamente a fatura das deslocações. Os tempos de recarregamento da bateria variam de acordo com o carregador de bordo utilizado. Para além do cabo fornecido para ligar a uma tomada de tipo doméstico, a Opel propõe dispositivos para recarregamento em estações públicas, bem como ‘wallboxes’ de utilização particular. Com uma destas, de 7,4 kW de potência, a bateria recarrega em cerca de duas horas.

Com o Grandland X Hybrid4 a Opel disponibiliza um leque de soluções específicas para veículos eletrificados, asseguradas pelos serviços Free2Move, a marca de mobilidade do Grupo PSA. Todas elas são facilmente acedidas através da bem conhecida aplicação “myOpel”. Da oferta fará parte o acesso a mais de 125.000 postos de carregamento na Europa e um planeador de viagem que sugere os melhores percursos, com base na autonomia restante do automóvel, e indica a localização de postos de carregamento ao longo do percurso. Estas informações recorrem ao sistema de navegação do dispositivo de informação e entretenimento Navi 5.0 IntelliLink a bordo, o qual se encarrega também de prestar as direções para chegar ao posto mais próximo. A aplicação “myOpel” permite aceder ao estado da carga da bateria e programar horários de recarregamento na ‘wallbox’ de casa. Também remotamente, o utilizador pode programar o sistema de climatização do automóvel.

O Opel Grandland X Hybrid4 está igualmente equipado com o novo sistema telemático Opel Connect, com serviços como navegação com informações de tráfego em tempo real, acesso a diagnóstico do estado do veículo através de uma aplicação, ligação direta com a assistência em estrada e chamada de emergência. Basta premir uma tecla vermelha para solicitar ajuda. A chamada de emergência é ativada automaticamente no caso de serem acionados ‘airbags’ ou tensores dos cintos de segurança.

Recuperação de energia

Com o objetivo de aumentar a eficiência, o Grandland X Hybrid4 possui um sistema de travagem regenerativa para recuperar a energia produzida em travagem e em desaceleração.

Para potenciar a utilização do sistema elétrico de alta voltagem, o novo híbrido ‘plug-in’ da Opel está equipado com um compressor elétrico de ar condicionado e um sistema elétrico de aquecimento.

Opel Grandland X Hybrid4 – Motorização

Eficiente, elétrico e inteligente: híbrido de alto desempenho

  • Quatro modos de condução: “Electric”, “Hybrid”, “All-Wheel Drive” e “Sport”;
  • Potência elevada: dois motores elétricos, um motor de combustão interna e uma bateria de 13,2 kWh;
  • Reserva de energia: “e-Save” armazena eletricidade para utilizar posteriormente.

O primeiro híbrido ‘plug-in’ da Opel destaca-se por conseguir aliar da melhor maneira o desempenho mais eficiente das motorizações elétrica e térmica. O resultado traduz-se em altas ‘performances’ e uma muito útil autonomia em modo elétrico. Para se ajustar a todas as situações, o avançado sistema de motorização do Grandland X Hybrid4 possui quatro modos de funcionamento: “Electric”, “Hybrid”, “All-Wheel Drive” e “Sport”.

O Opel Grandland X Hybrid4 está dotado de um motor a gasolina 1.6 Turbo e dois motores elétricos. No total, o sistema consegue debitar 300 cv (221 kW) de potência. De acordo com a norma WLTP3, o consumo médio de combustível é de 1,4-1,3 l/100 km, com emissões de CO2 de 32-29 g/km (NEDC4: 1,6-1,5 l/100 km, 36-34 g/km CO2). O motor térmico de quatro cilindros foi especialmente configurado para ir ao encontro dos requisitos exigidos por um automóvel híbrido. Por seu turno, a unidade elétrica é formada por dois motores elétricos – um dianteiro com 110 cv (81 kW) e um traseiro com 113 cv (83 kW) de potência. O motor dianteiro transfere movimento às rodas dianteiras através de uma caixa automática eletrificada de oito velocidades. O segundo motor elétrico e o diferencial estão integrados no eixo traseiro. Este segundo conjunto elétrico transforma o Grandland X Hybrid4 num automóvel de tração integral com motricidade exemplar.

Em autonomia medida de acordo com a nova norma WLTP1, o Grandland X híbrido ‘plug-in’ consegue percorrer distâncias até 59 quilómetros com tração puramente elétrica (67-69 km NEDC2).

Sem emissões na cidade, potente na estrada

No Grandland X Hybrid4 os condutores podem selecionar em qualquer altura um de quatro modos de condução:

  • “Hybrid” – Otimiza o consumo de energia. O motor térmico e o(s) motor(es) elétrico(s) trabalham em conjunto ou alternadamente, dependendo das condições e do tipo de condução adotado.
  • “Electric” – A tração é exclusivamente elétrica. Na maior parte das situações, a deslocação é assegurada pelo motor elétrico traseiro, ao qual se associa o motor elétrico dianteiro quando o condutor pressiona o acelerador para obter maior débito de potência. Num movimento de ‘kick-down’ (acelerador a fundo), o motor de combustão entra temporariamente em funcionamento para que o sistema disponibilize o máximo de potência. A velocidade máxima em modo elétrico puro é de 135 km/h.
  • “All-Wheel Drive” – O Grandland X Hybrid4 assume tração às quatro rodas. A velocidade máxima é de 135 km/h.
  • “Sport” – Alia a potência do motor térmico e da unidade elétrica para proporcionar dinâmica de elevado nível. Com motor de combustão de 200 cv (147 kW), motores elétricos dianteiro e traseiro de 81/83 kW, respetivamente, e uma bateria única de 90 kW, a potência total do sistema é de 300 cv (221 kW).

“e-Save” e travagem regenerativa

A função especial “e-Save” cria uma reserva de eletricidade na bateria de alta voltagem, que pode ser utilizada posteriormente, por exemplo, em zonas de circulação exclusiva de veículos elétricos. A reserva pode contemplar a totalidade ou parte da capacidade da bateria. Esta função é ativada através do ecrã tátil situado no topo da consola central.

Por seu turno, o sistema de travagem possui uma função regenerativa que recupera energia cinética, a qual seria de outra forma perdida sob a forma de calor. O utilizador pode escolher entre dois modos de recuperação que tornam os motores elétricos em geradores, para que a energia elétrica possa regressar à bateria, onde ficará armazenada.

Opel Grandland X Hybrid4 – Infoentretenimento e sistemas de assistência

Sistemas de assistência facilitam a utilização do conceito híbrido

  • No ecrã: funções do sistema híbrido, como o “e-Save” e o estado de carga da bateria;
  • Segurança: alerta de colisão dianteira e travagem automática de emergência.

O novo Grandland X Hybrid4, o primeiro híbrido ‘plug-in’ da Opel, está dotado de um sistema de informação e entretenimento da mais recente geração, capaz de manter o automóvel conectado com o exterior e de manter o condutor bem informado em todos os momentos. As informações específicas relativas ao funcionamento do sistema híbrido surgem no ecrã tátil policromático do infoentretenimento Navi 5.0 IntelliLink – que faz parte do equipamento de série e é compatível com Apple CarPlay e Android Auto – e no ecrã digital do centro do painel de instrumentos. Os serviços Opel Connect estão também incluídos.

Para além disso, há vários sistemas de assistência que garantem uma utilização confortável e, acima de tudo, segura do novo SUV híbrido da Opel. O equipamento de série vai do alerta de colisão dianteira iminente com travagem automática de emergência e deteção de peões até ao alerta de cansaço do condutor. O conforto sai claramente beneficiado com os bancos dianteiros ergonómicos certificados pela agência alemã AGR, bem como o ar condicionado com controlo eletrónico ‘dual zone’, a abertura automática da tampa da mala com sensor de pé, e o sistema de fechaduras sem chave “Open&Start”.

Sistema híbrido – controlo na ponta dos dedos

Em qualquer altura, os utilizadores do Grandland X Hybrid4 podem aceder a informação sobre os modos de condução “Electric”, “Hybrid”, “All-Wheel Drive” ou “Sport”, ou sobre o fluxo de energia que ocorre, nomeadamente quando o sistema recupera energia em travagem ou desaceleração.

O ecrã tátil policromático de oito polegadas, colocado no topo da consola central, disponibiliza a seguinte informação:

  • Fluxo e consumo de energia. Informação mostrada sob a forma de diagrama do automóvel e motores;
  • Carga, funcionamento e estatísticas de consumo;
  • Estado de carga da bateria, bem como a localização dos postos de recarregamento mais próximos ao longo do percurso (exibidos no ecrã do sistema de navegação);
  • Comandos da função “e-Save”, para gerir a reserva de eletricidade na bateria para ser utilizada posteriormente.

Os mais avançados sistemas de assistência à condução

A segurança do Grandland X Hybrid4 atinge patamares mais elevados graças a uma longa lista de sistemas de assistência à condução que fazem parte do equipamento de série de segurança. São os casos de:

  • Opel Connect – inclui navegação com informação de tráfego em tempo real e informação de preços em vigor nos postos de combustível, bem como ligação direta aos serviços de assistência em estrada e à emergência “e-Call”.
  • Alerta de colisão dianteira iminente, com travagem automática de emergência e deteção de peões – se o Grandland X Hybrid4 se aproxima demasiado rápido de um veículo ou de um peão, sem reação por parte do condutor, este sistema faz soar um alerta sonoro e mostra um alerta no painel de instrumentos. Se a colisão está iminente, o sistema de travagem está preparado e, se necessário, a travagem de emergência é acionada automaticamente para minimizar os efeitos de um potencial impacto.
  • Assistente de manutenção de faixa – alerta o condutor se o automóvel se desvia intencionalmente da faixa de rodagem. O sistema atua automaticamente sobre a direção, corrigindo suavemente a trajetória. Nestes momentos, o condutor notará uma certa resistência no volante.
  • Alerta de cansaço do condutor – aciona um sinal acústico e uma mensagem no painel de instrumentos se for detetado um padrão de trajetória do veículo que transpareça uma atitude de torpor do condutor.
  • Alerta de ângulo cego – acende uma luz em cada um dos retrovisores exteriores sempre que são detetados veículos no ângulo cego do lado esquerdo ou direito do automóvel.
  • Reconhecimento de sinais de trânsito – ‘lê’ os sinais de limite de velocidade e exibe-os graficamente no ecrã do painel de instrumentos.
  • Programador de velocidade com limitador de velocidade ‘inteligente’ – mantém constante a velocidade estipulada pelo condutor. Em conjugação com o reconhecimento de sinais de trânsito, o sistema permite um rápido ajustamento da velocidade.
  • Câmara traseira com sensores acústicos – mostra a zona atrás do automóvel, facilitando as manobras.
  • Faróis LED Adaptive Forward Lighting – maximizam a visibilidade graças a vários modos de iluminação, com luzes especificas para condução em cidade, estrada e autoestrada. O sistema faculta ainda funções como luz de curva e luz de mau tempo. A comutação entre ‘médios’ e ‘máximos’ é automática. O alcance dos ‘máximos’ é controlado automaticamente.

Ao equipamento de série do Opel Grandland X Hybrid4 podem ser acrescentados sistemas como:

  • Programador de velocidade adaptativo – mantém distância constante para o veículo que circula à frente e ajusta automaticamente a velocidade em conformidade.
  • Câmara panorâmica 360º – mostra a envolvente do automóvel numa perspetiva vista de cima.

Opel Grandland X – Tecnologia híbrida ‘plug-in’

AC Designação de Corrente Alternada (Alternating Current). Ao contrário do que sucede na corrente contínua, que flui numa única direção (ver DC) a corrente alternada inverte periodicamente o sentido. É o tipo de energia elétrica de consumo doméstico.
Alimentação monofásica Sistema mais comum de fornecimento de energia a eletrodomésticos de baixa potência. O recarregamento através de ligação monofásica é mais lento do que com ligação trifásica (ver Alimentação trifásica).
Alimentação trifásica É utilizada em aplicações domésticas que requerem maior potência. A alimentação trifásica consegue transportar três vezes mais corrente do que o sistema monofásico, o que significa que o recarregamento é três vezes mais rápido.
Ansiedade com a autonomia Receio de que a bateria tenha carga insuficiente para chegar ao destino.
Autonomia elétrica A distância que o automóvel consegue percorrer com tração exclusivamente elétrica segundo um ciclo de utilização (normas NEDC ou WLTP), com uma única carga de bateria.
Bateria Unidade de armazenamento de eletricidade composta por células onde a energia elétrica é convertida em energia química (carga) e de novo em energia elétrica (descarga) (ver Iões de lítio). A bateria do Grandland X híbrido ‘plug-in’ é formada por 96 células.
Bateria de iões de lítio Um tipo de bateria recarregável. Durante a descarga, os iões de lítio transportam a corrente do elétrodo negativo para o positivo, através do eletrólito e da membrana separadora. Durante o recarregamento, os iões de lítio fazem o percurso inverso, do elétrodo positivo para o negativo.
Binário É a força que imprime rotação. Os motores elétricos debitam a totalidade do seu binário instantaneamente, o que proporciona arranque e recuperações vigorosos.
Célula Componente eletroquímico formado por elétrodos, separador e eletrólito. Uma célula típica de iões de lítio funciona a tensões entre 3 V e 4,2 V.
DC Corrente Contínua (Direct Current) é um tipo de corrente elétrica que flui num único sentido. As baterias funcionam com corrente contínua. A corrente alternada (AC) é convertida em DC através de um retificador. Para receberem carga em AC, todos os veículos elétricos têm a bordo um retificador, ou inversor. Os postos de carregamento DC conseguem gerir maiores quantidades de energia, sendo por isso mais rápidos.
Débito do sistema É o débito conjunto do motor térmico e do(s) motor(es) elétrico(s) num determinado momento. Por exemplo, o sistema híbrido do Grandland X Hybrid4, com motor térmico de 200 cv (147 kW), dois motores elétricos de 81 kW (dianteiro) e 83 kW (traseiro), e uma bateria de 90 kW, apresenta um débito de 221 kW (300 cv).
“e-Save” Cria uma reserva de energia elétrica armazenada na bateria de alta voltagem para ser utilizada posteriormente, por exemplo, em malhas urbanas de circulação reservada a veículos elétricos. É possível programar a parcela da reserva, que pode ir até à totalidade da carga da bateria. Esta função é controlada através do ecrã tátil da consola central.
Estado de carga ‘State of Charge’ (SOC) é o nível de carga da bateria apresentado em percentagem do total.
Híbrido Um veículo com motorização híbrida possui um motor elétrico e um motor convencional térmico (combustão interna – ver ICE). Ao contrário do que sucede num veículo elétrico híbrido ‘plug-in’ (ver PHEV), o motor elétrico do sistema híbrido simples é alimentado por uma bateria exclusivamente recarregada por ação da recuperação de energia cinética de travagem ou pelo motor térmico. Não existe tomada para carregamento a partir de fonte externa.
ICE Motor de combustão interna (Internal Combustion Engine), também designado motor térmico.
kW Unidade de medida da potência elétrica, equivalente a 1,36 cv. Também é utilizada na medida de potência mecânica. A unidade é o Watt (W).
kWh Abreviatura para “1000 Watts por hora”. Mede a energia elétrica. A capacidade das baterias é expressa em kWh. Uma bateria grande consegue debitar mais energia durante mais tempo.
Modo “All-Wheel Drive” Neste modo de funcionamento, o sistema de motorização do Grandland Hybrid4 transmite potência às rodas dianteiras e traseiras. A velocidade máxima é de 135 km/h.
Modo “Electric” Em modo “Elétrico”, a tração é exclusivamente elétrica. Na maior parte do tempo, é o motor elétrico traseiro a assegurar a deslocação. O motor elétrico dianteiro entra em funcionamento se o condutor solicitar mais potência, pressionando mais o acelerador. Com um movimento de ‘kick-down’ (acelerador a fundo), o sistema aciona temporariamente o motor de combustão, para obter a máxima potência do conjunto. A velocidade máxima em modo elétrico é de 135 km/h.
Modo “Hybrid” Otimiza o consumo de combustível. O motor térmico e o(s) motor(es) elétrico(s) trabalham em simultâneo ou alternadamente, dependendo das condições de circulação e do tipo de condução.
Modo “Sport” Associa o motor térmico e os motores elétricos para oferecer dinâmica de elevada ‘performance’.
Módulo Um conjunto de células numa bateria de iões de lítio. As 96 células da bateria do Grandland X PHEV estão agrupadas em sete módulos.
Motor elétrico Os motores elétricos são relativamente simples, não precisam de embraiagem, conseguem debitar elevado binário numa gama de rotações alargada e, regra geral, não precisam de caixa de velocidades. O binário máximo está disponível logo à primeira volta do rotor.
NEDC O ‘New European Driving Cycle’ (NEDC) foi o método estabelecido por lei para chegar a uma norma europeia que traduzisse valores de consumos e emissões obtidos em laboratório. Foi substituído no dia 1 de setembro de 2018 pelo método ‘Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure’ (ver WLTP)
PHEV ‘Plug-in Hybrid Electric Vehicle’. Trata-se de um veículo elétrico híbrido que combina um motor térmico com um motor elétrico e uma bateria que pode ser recarregada a partir de um ponto externo.
Potência Débito de um motor, que é dado em Watt (W) ou quilowatts (kW) quando se trata de motor elétrico. 1 cv = 0,735 kW.
Química Compostos que intervêm nos elétrodos das células. A química influi no rendimento de uma bateria de iões de lítio. A bateria de iões de lítio do Grandland X PHEV recorre a níquel-manganésio-cobalto para alcançar a máxima densidade energética e garantir durabilidade e segurança.
Tempo de carga O tempo que é necessário para recarregar a bateria, de zero a 100%. Quanto maior for a capacidade da bateria e mais lento o ponto de recarregamento, mais longo é o tempo necessário. A maior parte dos utilizadores prefere acrescentar carga em vez de esperar para recarregar de vazio a cheio.
Travagem regenerativa Aproveita energia cinética durante a desaceleração, que de outra forma perder-se-ia sob a forma de calor. O motor funciona como gerador. Esta eletricidade é direcionada para a bateria, onde é armazenada.
Velocidade de carga Autonomia acrescentada durante o tempo em que o veículo está ligado à carga para chegar ao próximo destino. Leva em linha de conta a potência do carregador externo e do carregador de bordo, bem como o consumo de energia do automóvel nos ciclos de testes de homologação (ver NEDC, WLTP).
Voltagem Designação corrente para tensão elétrica, que mede a diferença de potencial entre dois pontos, em Volt (V).
WLTP Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure (WLTP). É a norma que sucede ao NEDC. Automóveis novos matriculados desde 1 de setembro de 2018 são certificados de acordo com o ciclo WLTP. Utilizando velocidades médias mais elevadas, até 131 km/h, bem como variações mais acentuadas de velocidade e procedimentos de teste mais exigentes, a norma WLTP fornece uma melhor estimativa de consumos sob condições de utilização mais realistas. Tal como o NEDC, o ciclo WLTP é medido em laboratório.

[1] Os dados apresentados de consumos e emissões de CO2 foram determinados de acordo com a metodologia de testes WLTP [R (EC) No. 715/2007, R (EU) No. 2017/1151].

[2] Os dados apresentados de consumos e emissões de CO2 foram determinados de acordo com a metodologia de testes WLTP. Os valores relevantes são transpostos para NEDC para permitir a comparação com outros veículos, de acordo com os regulamentos R (EC) No. 715/2007, R (EU) No. 2017/1153 e R (EU) No. 2017/1151.

[3] Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 mencionados estão de acordo com a homologação WLTP (regulamento EU 2017/948). Desde setembro de 2018, os modelos novos são homologados utilizando a nova norma WLTP (World Harmonised Light Vehicle Test Procedure), a qual se apresenta como um método de teste mais realista para medir consumos de combustível e emissões de CO2. O WLTP substitui integralmente o New European Driving Cycle (NEDC), que era o método utilizado anteriormente. Devido a condições de teste mais realistas, os valores de consumo de combustível e de emissões de CO2 apresentados na norma WLTP são, em muitos casos, mais elevados do que os NEDC. Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 podem variar consoante o equipamento específico, opções e a dimensão das rodas. 

[4] Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 mencionados são determinados de acordo com a nova norma WLTP (World Harmonised Light Vehicle Test Procedure), sob o regulamento EU 2017/948 e os dados relevantes são transpostos para NEDC com o objetivo de os tornar comparáveis com outros veículos. Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 podem variar consoante o equipamento específico, opções e dimensão das rodas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.