Pedro Bianchi Prata sobe para 4º da geral SSV

0
  • Um dia muito complicado com o Paulo Gonçalves no pensamento

Ao contrário das Motos e Quads que viram a etapa do dia anulada em memória de Paulo Gonçalves, Pedro Bianchi Prata, integrado na competição SSV, regressou logo pela manhã à competição tentando cumprir da melhor forma possível a sua missão depois de um dia que todos gostávamos que não tivesse existido.

“Hoje, foi um dia longo. Cada quilómetro pareciam ser horas dentro do carro, cada perigo parecia ter em si o dobro do perigo. Não perdi a concentração, foquei-me o máximo possível, mas o SSV hoje não estava nos seus dias pelo que andámos muito tranquilos. Havia partes com muita pedra, não quisemos furar. Nas dunas andámos bem, não cometemos erros nenhuns. Até não íamos mal na etapa, optámos por poupar a correia durante o dia, mas a 20 km do fim partiu, ficou bloqueada no variador e perdemos cerca de 8 minutos para a trocar. Não foi fácil. Chegámos bem ao final que é o que interessa. Subimos mais um lugar na geral e vamos continuar neste ritmo. Amanhã vai ser um dia duro, muito duro, vão ser quase 900 km. Foi muito difícil este primeiro dia a saber que o Paulo não está cá. Pus o despertador para as 5h15 e acordei eram 4h30. Acordei a desejar que fosse um pesadelo, mas é a realidade. Um abraço a todos e vamos tentar continuar aqui fortes”.

A dupla Rautenbach / Bianchi Prata está agora em 4º lugar a 32 m do pódio sendo que amanhã a nona etapa do Dakar, que se realiza entre Wadi Al Dawasir e Haradh, será longa totalizando 891 km entre os quais 415 serão disputados ao cronometro. O Dakar prepara-se para entrar no Rub’ al-Khali ou Empty quarter, um dos maiores desertos do mundo e a maior área contínua de areia do mundo. O principal fator será a precisão de condução num terreno maioritariamente duro e irregular que requer especial cautela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.