Último Porsche 911 da geração 991 sai da linha de produção

0
  • O 911 Speedster coroa a conclusão da produção da mais bem-sucedida geração do 911

Pioneira, milionária, bestseller: a geração 991 foi a mais completa geração do 911 até à data – e também a mais bem-sucedida, com 233.540 unidades produzidas. O ultimo exemplar saiu agora da linha de produção: um 911 Speedster. Por favor, utilize a seguinte hiperligação para mais informações sobre os destaques da geração 991: https://newsroom.porsche.com/last991

Michael Steiner, Responsável de Pesquisa e Desenvolvimento na Porsche AG comentou: “Porsche significa tradição e inovação. Isto não se reflete melhor em mais outro lado do que no modelo chave da marca – o 911. O 911 substituiu o 356 em 1963 e, nas décadas que se seguiram, o nosso modelo de motor traseiro tornou-se um automóvel desportivo icónico sem rivais. A geração 991, em particular, definiu novos padrões em termos de performance, comportamento dinâmico e eficiência. Isto preenche-me com orgulho e com um pouco de tristeza, por ter de o reformar. Para mim, o 991 foi um enorme prazer.”

A geração 991

A geração 991 foi lançada em 2011, apresentando-se como um dos maiores saltos em termos de desenvolvimento na história do 911. Quase 90 por cento de todos os componentes foram de desenho completamente novo ou sofreram evoluções substanciais. Fruto de uma carroçaria com construção mais leve feita em compósito de alumínio e aço, foi a primeira vez que um novo 911 foi mais leve que o seu antecessor. O chassis, que beneficiou de uma distância entre eixos 100 milímetros mais longa do que no modelo que substituiu, podia ser equipado com o sistema de estabilização da inclinação– Porsche Dynamic Chassis Control (PDCC) – e definiu novos padrões em termos de comportamento dinâmico. Na primavera de 2012 seguiu-se o Cabriolet com outra inovação. Com a capota fechada, os arcos de magnésio tornaram possível obter uma curva de tejadilho do estilo coupé nunca antes vista, com uma silhueta mantida mesmo em velocidades elevadas. O novo 911 Targa, que chegou no final de 2012, foi igualmente espetacular. Como o lendário Targa original, o novo modelo apresentou o caraterístico arco ao invés de pilares B. Com o premir de um botão, contudo, a secção dianteira do tejadilho pode ser movida automaticamente e guardada na traseira.

As inovações continuaram com o 911 Turbo, o qual foi o primeiro a ter aerodinâmica ativa e motores turbo com filtro de partículas na gama 911 Carrera.

A geração 991 provou também ser a base ideal para modelos especiais e automóveis desportivos radicais. A Porsche celebrou o 50º aniversário do seu automóvel desportivo de culto em 2013 com um modelo exclusivo e limitado, do qual apenas foram produzidos 1.963 exemplares. Em 2016, o 911 R, com o seu motor atmosférico de 500 cv, evocou a memória do automóvel de competição aprovado para estrada, com o mesmo nome, de 1967. Dois outros automóveis desportivos puristas com antecessores clássicos fizeram a sua estreia em 2017: o desportivo 911 T e o desportivo de elevadas prestações, o 911 GT3 Touring package. O 911 um milhão foi também produzido como parte da geração 991: tal como o primeiro 911 de Ferry Porsche, o modelo comemorativo e não disponível para venda foi pintado em “Irish Green” e revestido em pele com bancos Pepita. No mesmo ano, a Porsche Exclusive Manufaktur apresentou o 911 Turbo S Exclusive Series com 446 kW (607 cv) e a espetacular pintura em Amarelo Ouro.

E ainda havia mais: a mais rápida e mais poderosa tecnologia alguma vez vista num 911 para estrada apareceu em 2017 na forma dos 515 kW (700 cv) do 911 GT2 RS. Uns meses mais tarde, seguiu-se a versão com motor atmosférico. O 911 GT3 RS utiliza um chassis de competição e um motor atmosférico de quatro litros e 382 kW (520 cv), combinando de forma perfeita a estrada e a pista.

Mesmo a tempo do 70º aniversário dos automóveis desportivos Porsche, o 911 Speedster incorporou as virtudes originais da Porsche: construção ligeira, eficiência, pureza e prazer de condução – entregues por um motor atmosférico de quatro litros com 375 kW (510 cv), caixa manual de seis velocidades e um chassis de alta performance. O bilugar não foi apenas a última variante da geração 991, tornando-se também agora o último modelo desta geração a ser produzido. Tal como seu antepassado e arquétipo, o Porsche 356 No. 1 Roadster de 1948, será embaixador do Museu Porsche.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.