Fim de festa molhado com vencedor habitual e últimos títulos atribuídos

0

A primeira temporada das GT4 South European Series chegou ao fim este domingo no Autódromo do Estoril, com duas corridas bastante disputadas, em que as condições atmosféricas tiveram um papel relevante e em que a dupla Miguel Cristóvão/Francisco Abreu voltou a estar intocável. Este final de festa serviu também à celebração da Veloso Motorsport como Campeã de Equipas e de Francisco Carvalho como Campeão da categoria AM Cup.

A primeira corrida da competição apoiada pela Betano Portugal foi disputada logo pela manhã, estando a pista ainda húmida da noite, mas isso não impediu Francisco Carvalho de realizar um arranque fulgurante, ascendendo ao comando ao passar pelo meio dos Mercedes-AMG GT4 da Bullitt Racing, pilotados por Stephen Pattrick, que alinhou na pole-position, e Ian Loggie, segunda posição da grelha de partida.

Entretanto, Miguel Cristóvão iniciava a sua recuperação, ganhando uma posição a Mariano Pires, debilitado fisicamente devido a uma amigdalite, terminando a primeira volta na terceira posição a pressionar o segundo lugar de Ian Loggie, passando-o na travagem para a Curva 1, na segunda volta.

Entretanto, Francisco Carvalho tinha já uma vantagem de mais de dois segundos sobre o piloto do Mercedes-AMG GT4, evidenciando um ritmo fortíssimo aos comandos do seu Porsche Cayman GT4 da Veloso Motorsport.

O vencedor da Pro-Am Cup, na companhia de Francisco Abreu, apontou o seu objectivo para o carro de Zuffenhausen e foi-se aproximando lentamente do líder da corrida, alcançando-o quando estavam decorridas nove voltas. Na seguinte, o piloto de Cascais saiu bem da Parabólica, assumindo o comando na travagem para a Curva 1.

Miguel Cristóvão passou a ganhar vantagem para Francisco Carvalho, entregando o Mercedes-AMG GT4 número oitenta e oito a Francisco Abreu com uma liderança muito confortável para os seus perseguidores.

O piloto da Madeira imprimiu um ritmo avassalador, assinando pelo caminho a volta mais rápida da corrida, para assegurar a sexta vitória da temporada do duo.

O Porsche Cayman GT4 acabaria por se atrasar na classificação geral, devido a um problema com o limite de velocidade na via das boxes quando Fábio Mota entrou em pista, mas ainda assim, o piloto de Vila Nova de Gaia levaria o carro germânico até ao quinto lugar da geral, vencendo entre os concorrentes da Am Cup.

A luta pelos restantes lugares do pódio da Pro-Am Cup foi uma questão entre os homens da Bullitt Racing, uma vez que o Ginetta G55 GT4 da ABM Grand Prix sofreu uma penalização de um Stop & Go de três segundos devido uma infracção no seu Pit-Stop, tendo César Machado visto a bandeira de xadrez no quarto lugar.

Andy Meyrick, no Mercedes-AMG GT4 #33, saiu das boxes no terceiro posto, lançando-se na perseguição ao seu companheiro de equipa, Callum McLeod. Os dois carros da formação espanhola lutaram ao longo de diversas voltas pelo segundo lugar, acabando Andy Meyrick, que faz equipa com Stephen Pattrick, por subir a segundo a três voltas do final, ficando Callum McLeod, juntamente com Callum Illott, no degrau mais baixo do pódio.

Na GTC Cup, Marmaduke Hall e Edward Moore sentiram problemas no motor do seu Ginetta G50 GT4, que falhava, acabando por ser Jemma Moore a vencedora, estreando-se no degrau mais alto do pódio e afirmando-se como a mais jovem triunfadora na ainda curta história das GT4 South European Series.

Pela parte da tarde disputou-se a segunda corrida do fim-de-semana e última da temporada. Com a chuva e o nevoeiro a fazerem-se sentir no Autódromo do Estoril, o pelotão saiu para a pista atrás do Safety-Car. Porém, visto que as condições de segurança não estavam reunidas, a direcção de corrida chamou todos os carros ao pitlane e aguardou que melhores condições atmosféricas se fizessem sentir. A troca de pilotos foi feita sob bandeira vermelhas e apenas houve treze minutos de tempo de qualidade de corrida. Pouco depois do recomeço o Ginetta G55 GT4 da ABM Grand Prix, o carro que tinha saído da pole-position, foi forçado a abandonar com problemas técnicos.

Para o último “sprint” da temporada, Cristóvão, que herdou momentaneamente a liderança, perdeu dois lugares, um para o Mercedes-AMG de Pattrick e outro o Tockwith Motorsports de Hall, mas o piloto local recuperou logo de seguida o lugar perdido e fugiu rumo ao sétimo triunfo consecutivo da temporada.

Num final de corrida realizado sob condições muito difíceis, Loggie e Pattrick viram as bandeiras de xadrez no segundo e terceiro posto da classe Pro-Am.

O triunfo na AM Cup voltou a ficar nas mãos da dupla Carvalho/Mota que teve a particularidade da dupla do Porsche da Veloso Motorsport ter terminado a corrida no segundo posto da geral. Esta dupla vitória permitiu a Francisco Carvalho superar na tabela de pontos da categoria AM Cup o rival CO Jones, tornando campeão da categoria no cair do pano.

Resolvidos os problemas no seu carro, os campeões da classe GTC, Moore e Hall, celebraram mais um triunfo na categoria GTC, superando a jovem piloto Jemma Moore que arrancou do pitlane e já com uma volta de atraso.

Com os resultados deste fim-de-semana, a portuguesa Veloso Motorsport sagrou-se Campeã de Equipas, com 111 pontos, contra 79 pontos da britânica Tockwith Motorsports e 58 pontos da francesa ABM Grand Prix.

DECLARAÇÕES DOS PILOTOS:

Miguel Cristóvão – 1º Pro-Am da 1ª Corrida: “O início da corrida foi um pouco difícil. Tentei não arriscar muito porque sabíamos que tínhamos um bom andamento para o resto da corrida. Puxei um pouco e consegui ultrapassar três carros. Depois consegui apanhar o Porsche do Francisco Carvalho, o que não foi fácil porque ele já tinha um bom avanço na altura. Mantive o andamento antes de passar o carro ao meu companheiro de equipa (Francisco Abreu), que fez um trabalho maravilhoso para levar o carro até ao final na primeira posição.”

Francisco Abreu – 1º Pro-Am Cup 2ª Corrida: “A corrida não teve grande história para mim, mas o Miguel esteve irrepreensível, rodando num ritmo fortíssimo em condições muito complicadas. Foi uma performance fantástica. Mais uma vitória e um final de temporada fantástico para uma época extraordinária. Queria agradecer a todos os meus patrocinadores e à Veloso Motorsport por todo o trabalho desenvolvido ao longo do ano.”

Francisco Carvalho – 1º Am Cup da 1ª Corrida: “Fiz um bom arranque e passei para primeiro, o que foi muito positivo. Assumir um ritmo forte, mas os pneus rapidamente perderam eficácia e não tinha como não ceder o primeiro lugar ao Miguel. Ainda assim vencemos a Am Cup, que era o nosso objectivo prioritário.”

Fábio Mota – 1ª Am Cup 2ª Corrida: “Não tenho muito a dizer acerca da prova desta tarde. O Francisco realizou um turno fantástico, mas eu não pude rodar em ritmo competitivo. Penso que, se tivessem parado o relógio da corrida durante algum tempo, poderíamos realizar uma prova mais completa.”

Jemma Moore – 1ª GTC Cup 1ª Corrida: “No fundo, bastou manter-me em pista para conseguir este triunfo! É muito importante, dado que é a minha segunda corrida nas GT4 South European Series e sou ainda muito inexperiente. Vou continuar a evoluir para poder crescer enquanto piloto.”

Edward Moore – 1ª GTC Cup 2ª Corrida: “Tempo de chuva é o que nós gostamos, porque somos de Inglaterra. Contudo, não deu para fazer muito, porque rodei sempre atrás do Safety-Car. É uma pena que o Safety-Car tenha ficado na pista durante tanto tempo. Foi um campeonato interessante, a primeira vez que eu e o Marmaduke competimos longe de casa. Não fizemos qualquer teste de pré-temporada e não conhecíamos nenhum circuito, portanto, conquistar o título acabou por ser muito bom.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.