Pirelli faz a antevisão do G.P. do Brasil

0

A Fórmula 1 continua no continente Americano para a penúltima prova da época, prevista para Interlagos, circuito protagonista de múltiplas páginas da história da F1. Esta temporada, a Pirelli leva para o Brasil os compostos C1 (duro, branco), C2 (médio, amarelo) e C3 (macio, vermelho), a combinação disponível de compostos mais duros, um passo mais duro do que os utilizados na última época.

CARACTERÍSTICAS DO CIRCUITO

  • Os pneus escolhidos em 2018 foram os médios, macios e supermacios. Embora a nomeação para este ano seja mais dura, como consequência,  deveria ser mais lenta, estimamos uns tempos por volta mais rápidos – uma circunstância que já aconteceu em algumas corridas este ano – devido à evolução contínua dos carros.
  • A indicação de compostos mais duros para esta temporada procura limitar a degradação e, assim, ajudar os pilotos a atacar mais em cada turno.
  • A meteorología em Interlagos nesta época do ano, é uma das mais imprevisíveis da época. No passado registaram-se  algumas das temperaturas mais elevadas (na ordem dos 55ºC) combinadas com chuvas torrenciais.
  • A pista foi  reasfaltada em 2014 e já teve tempo suficiente para maturar, como assim no ano pasado já foi limpo ao pormenor  com agua à pressão. Ambas as circunstâncias limitaram a sua rugosidade, de modo a que não apresenta grandes desafios ao nível da aderência.
  • O traçado de Interlagos é composto por 15 curvas, que resultam na segunda volta mais rápida do ano. As curvas não são especialmente longas, portanto as pressões laterais são bastante baixas. O pneu dianteiro direito é o que mais trabalha neste circuito, que curiosamente, é disputado no sentido contrário aos ponteiros do relógio.
  • No ano passado, Lewis Hamilton impôs-se com uma estratégia de uma paragem, e trocou de supermacio para o composto médio. No entanto, registaram-se até três estratégias diferentes entre as principais equipas e cinco táticas distintas entre os seis primeiros classificados.

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL  PIRELLI NA F1 E COMPETIÇÃO AUTOMÓVEL

“Interlagos costuma acolher Grandes Prémios emocionantes, porque reúne muitas condições favoráveis para isso: uma pista compacta que favorece as  ultrapassagens e na qual os pilotos são frequentemente forçados a abandonar a trajetória ideal. Ao mesmo tempo, é um circuito da velha escola, no qual as curvas sucedem constantemente, o que mantém os pneus em esforço o tempo todo, com umas escapatórias pequenas que penalizam os erros. Se adicionarmos um clima variável e a probabilidade de entrada de Safety Cars, o resultado será um fim de semana imprevisível. As equipes devem estar preparadas para tudo, porque é difícil avançar para as circunstâncias. A nossa escolha de pneus mais duros para este ano deverá permitir atacar ainda mais – como previmos – os pilotos a adotarem uma estratégia de uma única paragem”.

OUTRAS INFORMAÇÕES PIRELLI

  • O fim de semana do Grande Prémio do Brasil coincide com a celebração de dois eventos de grande importancia em Macau: a Taça do Mundo FIA GT e a prestigiada corrida de F3, que este ano estreia o monolugar. A Pirelli fornecerá pneus para ambas, estas que vão reunir  alguns dos pilotos mais célebres das duas disciplinas.
  • Os testes dos pneus de 18 polegadas de Fórmula 1 e Fórmula 2 seguem em curso. A McLaren realizou um teste em Paul Ricard na semana pasada, completando 145 voltas entre os seus dois pilotos. Em paralelo, os testes com o monolugar prototipo de F2 e os pneus 18” da próxima época continuarão esta semana em Espanha.
  • O Brasil acolheu um Festival de Fãs de F1 em São Paulo no fim de semana passado. O encontro, realizado em homenagem a Ayrton Senna, falecido em maio há 25 anos atrás, reuniu alguns dos carros mais emblemáticos do lendário piloto brasileiro, incluindo o Toleman de 1984 (calçado originalmente com pneus Pirelli) com o qual disputou a sua primeira temporada completa.
  • O Brasil acolheu um Festival de Fãs de F1 em São Paulo no fim de semana passado. O encontro, realizado em homenagem a Ayrton Senna, falecido em maio há 25 anos atrás, reuniu alguns dos carros mais emblemáticos do lendário piloto brasileiro, incluindo o Toleman de 1984 (calçado originalmente com pneus Pirelli) com o qual disputou a sua primeira temporada completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.