Lewis Hamilton vence G.P. da Rússia

0

Reza o bom e velho ditado popular que quem ri por último ri melhor. A Ferrari festejou no sábado com a quarta pole consecutiva de Charles Leclerc, mas o jogo virou completamente este Domingo.

De grande favorita à vitória, a equipa de Maranello fracassou de forma retumbante no GP da Rússia e viveu um dia negativo desde o início: a tática de largada e a inversão de Leclerc e Sebastian Vettel, as reclamações insistentes do monegasco e o abandono do alemão na volta 28.

Foi nessa altura que o jogo virou em favor de Lewis Hamilton. Com uma grande actuação, o britânico aliou grande estratégia e a sorte para conseguir um resultado improvável e vencer novamente em Sóchi, mantendo a invencibilidade da Mercedes na Rússia. É também o primeiro triunfo da Mercedes depois das férias, terminando com uma série de três vitórias da Ferrari.

Para tudo ficar ainda melhor, o britânico fechou o GP da Rússia com a melhor volta da corrida, facturando um ponto extra além dos 25 pelo triunfo em Sóchi, o quarto em seis corridas e a vitória 82 da sua carreira.

A Ferrari, além de todos os problemas, cometeu um erro de estratégia na hora de chamar Leclerc para mais um “pit-stop” durante o período de safety-car devido ao despiste de George Russell. O monegasco voltou em terceiro com pneus macios, atrás da Mercedes de Valtteri Bottas, e não esboçou sequer uma ultrapassagem sobre o finlandês, que terminou em segundo. Dominador no sábado, Leclerc teve de se contentar com o último degrau do pódio no Domingo.

Max Verstappen conseguiu o melhor resultado possível e terminou em quarto. O holandês ficou na frente do grande nome da corrida: Alexander Albon. O piloto Tailandês, conseguiu uma óptima prestação depois de ter largado das boxes, terminando a corrida no quinto lugar depois de fazer muitas ultrapassagens, dando assim mais um passo para garantir um lugar na Red Bull para 2020.

Carlos Sainz ficou em sexto com o McLaren, à frente de Sérgio Pérez, outro dos pilotos que fez bela corrida. Kevin Magnussen, da Haas, terminou em oitavo, mas foi punido em 5s por sair na curva 2 e não cumprir a obrigação de passar pelo exterior das placas de sinalização. Assim, o dinamarquês caiu para nono. Lando Norris, com a McLaren, foi o oitavo, e Nico Hülkenberg, da Renault, fechou o top-10.

Texto com base em artigo do grandepremio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.