Marc Márquez mostrou-se imbatível em Brno

0

O GP Checo teve um início tumultuado, já que a chuva que caiu após a bandeirada da corrida de Moto2 alterou as condições da pista. Apesar de o sol ter voltado, a pista estava parcialmente molhada, o que levou a um adiamento da largada e em consequência, a redução da duração da corrida de 21 para 20 voltas.

O adiamento durou 40 minutos e quando a largada finalmente foi dada, todos os pilotos partiram com pneus slick. Dada a partida, Marc Márquez arrancou bem e assumiu desde logo a liderança, com Johann Zarco, que se estreava na primeira fila com a KTM, era rapidamente engolido pelo pelotão.

Disputadas três voltas, Márquez detinha já 0s400 de margem para Andrea Dovizioso, uma diferença que se manteve estável durante toda a primeira metade da corrida. Passada a marca de dez voltas, o #93 subiu o ritmo e nem mesmo um susto na curva 10 foi capaz de parar o piloto da Honda, que abriu de imediato mais de 2s5 de diferença para o #4.

Marc Márquez controlou a corrida até receber a bandeirada com 2s452 de vantagem, naquela que foi sua sexta vitória no ano e a vitória número 50 da carreira. Com isto Marquez juntou-se a Valentino Rossi, Giacomo Agostini e Mick Doohan na seleta lista de pilotos que conseguiram pelo menos 50 vitórias na classe rainha do Mundial de MotoGP.

A luta pelo terceiro posto, por outro lado, foi um pouco mais emocionante nas voltas finais, já que Jack Miller apareceu para pressionar Álex Rins e assumir o terceiro posto com duas voltas para o fim Cal Crutchlow assumiu a quinta posição ainda na oitava volta e terminou a corrida isolado, mais de 1s1 atrás de Rins e com 3s de frente para Valentino Rossi, que apesar de uma corrida apagada, foi o melhor entre os pilotos da Yamaha.

Ao contrário do que tem sido habitual, Fabio Quartararo fez uma corrida apagada, mas conseguiu o sétimo posto, à frente de Danilo Petrucci e Takaaki Nakagami. Depois de mais uma largada memorável ― pelos motivos errados, porém ―, já que perdeu seis posições só na primeira volta, Maverick Viñales recuperou para ficar com o décimo posto.

Com uma corrida consistente e sem erros, Miguel Oliveira viu a bandeira de xadrez na décima terceira posição, segundo entre os pilotos da KTM, voltando a marcar importantes pontos no mundial de MotoGP. O piloto luso mostrou um excelente ritmo ao longo da prova, mostrando que poderia fazer muito mais com uma moto melhor.

Terceiro na grelha, Johann Zarco saiu igualmente mal e depois de iniciar o incidente que tirou Franco Morbidelli e Joan Mir da corrida, terminou a décima etapa da temporada como a última das KTM que viram a bandeirada, apenas em 14º.

Com a sexta vitória na temporada, Márquez chegou aos 210 pontos e tem agora 63 de vantagem para Andrea Dovizioso. Petrucci aparece em terceiro, seguido por Rins, Viñales e Rossi.

Texto: grandepremio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.