Polémica no Nacional de Karting em Viana

14
  • Líder do campeonato abalroada deliberadamente a poucos metros de vencer

Maria Germano, com apenas 8 anos de idade, foi vítima da maior barbaridade que alguma vez se viu numa prova de Karting. Foi deplorável o que João Gouveia lhe fez (como documentam fotos em anexo) na quarta prova do Campeonato de Portugal de Karting, disputada em Viana do Castelo, na qual a piloto de Guimarães se apresentou líder destacada do campeonato.

João Gouveia, como já não podia vencer, esperou por Maria Germano e abalroou-a quando a vimaranense se preparava para vencer. Mais gravoso é que João Gouveia é apoiado pelo Sport Lisboa e Benfica e pela Skywalker Young Guns, do piloto Tiago Monteiro, e que tem, entre outros, a Iveco como patrocinador.

Tudo isto, uma semana depois de Maria Germano Neto se ter tornado a primeira piloto portuguesa a ganhar uma prova no Campeonato de Espanha da Alevín, considerado um dos mais difíceis do mundo, onde alinham mais de 150 pilotos, distribuídos por seis categorias.

“Eu, Maria Germano, tentarei descrever, na própria pessoa, o meu estado de espírito depois do mais bárbaro atentado à minha integridade física de que fui alvo no passado domingo, em plena quarta e penúltima prova do Campeonato de Nacional de Karting que decorreu em Viana do Castelo.
Na minha ainda curta carreira de piloto de Karting já sofri acidentes aparatosos; num deles tive de receber tratamento hospitalar, mas as feridas deste episódio, do qual saí felizmente ilesa, foram mais profundas e serão mais difíceis de sarar.

Dediquei uma época inteira em prol de um objetivo. Esforcei-me muito, percorri milhares de quilómetros para evoluir em provas internacionais, de avião, de carro, de autocarro e de comboio, para participar em competições bem mais competitivas do que aquelas que se disputam em Portugal. Sacrifiquei a minha família e em especial o meu pai, que me acompanhou, quase sempre, para todo o lado.

Venci no início deste ano, com todo o mérito, a Taça Bridgestone e o Open de Portugal; Venci as duas primeiras finais do Campeonato Nacional; Estava em primeiro na última volta da terceira final do campeonato nacional quando levei um pequeno toque que me fez terminar em terceiro.

Fui a piloto nacional mais nova de sempre a subir ao pódio no Campeonato de Espanha de Karting, em Chiva, Valência, para na prova seguinte, em Campillos, Málaga, alcançar a recompensa de ser a primeira piloto portuguesa e a mais nova de sempre a ganhar uma final do Campeonato de Espanha de Karting.

E tudo isto foi graças ao meu esforço, ao meu empenho, à minha dedicação e à vontade enorme que tenho de ganhar e de ser cada vez melhor e, claro está, graças a todos aqueles que, de forma desinteressada, competente e profissional, e que fazem parte da estrutura da PPRT, me fizeram crescer e evoluir como piloto.

Parti para esta última prova do campeonato nacional motivada e confiante, com legítimas expetativas de me sagrar já campeã nacional. Depois de obter ser 2.ª classificada na primeira manga, um rapaz que se diz piloto arrumou comigo na segunda manga quando eu estava em primeiro na última volta. Nada que me tivesse feito desanimar.

Parti de nono para a corrida final e à segunda volta estava em primeiro. Esse rapaz, de nome João Gouveia, que tinha saído de pista, teve a cobardia e a indecência de esperar por mim na última volta. Quando me preparava para cortar a meta em primeiro lugar, esse miúdo, de forma deliberada, premeditada e propositada, veio na minha direção com o único objetivo de me mandar para fora da pista. Um ato assassino, bárbaro, cruel, baixo e inqualificável fez com que eu e o meu colega Martim Marques fossemos projetados para fora de pista antes de cortarmos a linha da meta.

Felizmente saí ilesa, mas destroçada, porque esse rapaz tirou-me os pontos que eu precisava, e que estavam a menos de três metros de distância, para entrar na última prova do campeonato suficientemente confortável. Com esse comportamento deplorável esse rapaz, que é apoiado pela estrutura da Skywalker, fez com que o meu amigo Noah Monteiro passasse para a liderança do campeonato. Quero acreditar, com a ingenuidade própria de uma criança de 8 anos e para bem do desporto que tantas glórias e alegrias me tem dado, que não passa de uma mera coincidência.

A esse rapaz quero dizer-lhe que sou muito melhor que ele por ter a família que tenho, de quem muito me orgulho nos ensinamentos, na educação e na formação que me têm incutido. Obrigada a todos eles por me incutirem princípios dignos, sérios, humildes, verdadeiros e por sempre me terem ensinado a respeitar os outros.

Aos pais desse rapaz, quero dizer-lhes que agradeço a Deus a sorte de não fazerem parte da minha família e, ainda assim, agradecer-lhes por, com comportamentos deste género, acabarem, de forma involuntária, por contribuírem para o meu sucesso, porque a vontade que tenho de continuar a ganhar é hoje maior do que era antes. “

Maria Germano Neto

14 Comentários
  1. sonia Borges O utilizador diz

    Muito Obrigada Luis Lopes.
    Cumprimentos

  2. Júlio Brito O utilizador diz

    Lamentável o que fizeram à Maria, não acredito em coincidências, acredito mais em pura falta de formação cívica, falta de ética moral e responsabilidade que muito provavelmente os adultos que seguem este miúdo tem na sua formação como pessoas, pois com a idade que tem é facilmente influenciável, e não duvido que lhe tenha sido pedido propositadamente que abalroa-se a Maria, com o intuito objetivo de a prejudicar!!!
    Que as pedras deste caminho “porco” sirvam para solidificares ainda mais o teu castelo, pois És a verdadeira Campeã! Parabéns por tudo Maria!!! E continua com a mesma força e dedicação!!!

  3. John O utilizador diz

    Banir esse menino do desporto para sempre. Se com 8 anos já é assim, o que será daqui a um ano ou dois…é óbvio que não tem maturidade para este tipo de desportos.

  4. Rui O utilizador diz

    Acredito que tudo o que está escrito é verdade. Só não acredito que a menina de 8 anos tenha escrito esta carta. Nenhuma criança de 8 anos tem o conhecimento para escrever uma carta como está.
    Se foi o pai, a mãe ou avó, não digam que foi a criança que escreveu. Só fica mal.

  5. Pedro O utilizador diz

    Texto tão deplorável como atitude do jovem. O texto diz “Mais gravoso é que João Gouveia é apoiado pelo Sport Lisboa e Benfica e pela Skywalker Young Guns, do piloto Tiago Monteiro, e que tem, entre outros, a Iveco como patrocinador”. A intenção do autor é atingir o clube ou os patrocinadores, é que pelos vistos é mais gravoso porque estas entidades estão envolvidas com o atleta. É vergonhoso tentar envolver outras entidades para além do atleta.

    1. José O utilizador diz

      Eles que se defendam e se retratem, agora isto é normal? Isto vem do berço.

  6. Bruno O utilizador diz

    Esta carta jamais foi escrita por uma criança de 8 anos. Mas é triste ver o desespero dos Pais quando a única solução é tentar retirar os patrocinadores ao vilão da história. De qualquer maneira todos os actos têm consequências e como sócio do SL Benfica exijo que o Glorioso retire o apoio ao João. Não merece ser apoiado por uma instituição tão nobre.

  7. Manuel Antonio O utilizador diz

    Banir o miúdo para sempre……em Portugal não temos pena de morte……tristeza de gente.
    Infeliz e premeditado é o que estão a fazer agora….já tiveram tempo para pensar.
    No paddock a preocupação com a formação foi tal, que com a falta de nível e civismo conseguiram pôr miúdos a chorar.

  8. Jardim O utilizador diz

    Já ouviram falar em contraditório? Lembraram-se de perguntar ao outro puto a sua versão da história? Acham que basta publicar a alegada carta da menina para cobrirem fidedignamente o acontecimento?

    1. Luis Lopes O utilizador diz

      Boa Noite. Recomendo que leia a noticia com o comunicado da equipa do menino que causou esta situação. Penso que é esclarecedor quanto ao assunto. Quanto ao resto, apesar de o podermos fazer, penso que não nos cabe a nós averiguar, mas sim à federação.

  9. Jardim O utilizador diz

    Não me cabe a mim ir ler o comunicado da equipa do rapaz. O trabalho de publicar esse comunicado, e de procurar um comentário junto da família do rapaz, devia ser vosso. Nada tenho a ver com este assunto (nem com karting) mas sei o suficiente sobre os deveres dos orgãos de comunicação para saber reconhecer uma peça ferida de enviesamento. O que vos sobra em adjectivos faltou-vos em equidistância e objectividade.

  10. Miguel Barros O utilizador diz

    A FPAK já instaurou um processo disciplinar ao concorrente e ao condutor que praticaram o ato tão violento Vamos aguardar. A Maria é já uma grande piloto, com valores, princípios e com resultados obtidos, em Portugal e além fronteiras, os outros estão a ter protagonismo pelo pior, mas, foram os únicos responsáveis, esperamos que se faça justiça.

  11. O utilizador diz

    Esta “carta” é tão ridicula como a atitude de um criança de 8 anos.

    Lamentável dos dois lados.

  12. Tatu come Bola O utilizador diz

    Ética Desportiva
    Permitam-me que comece esta minha intervenção com algumas breves considerações prévias:
    • A primeira para sublinhar a importância da ética na vida em sociedade. Falar sobre ética
    não é um fetiche. Defender a ética não é apregoar uma moda. Respeitar a ética e pautar
    uma vida por exigentes padrões éticos é contribuir para a construção de uma sociedade
    mais moderna, mais tolerante, mais solidária, mais digna e mais justa. Afinal, afirmar a
    ética na vivência em sociedade não é mais do que afirmar valores, princípios, regras e convicções de dignidade, de honestidade, de lealdade e de caráter. Podem ser valores em desuso
    na sociedade atual mas são valores cada vez mais importantes no presente e no futuro. A falta de ética nas relações sociais desvaloriza e enfraquece a sociedade. A sua prática fortalece-a
    e enriquece-a.
    • A segunda consideração é para realçar outra verdade elementar – a ética é normalmente
    um tema muito apetecido para enfeitar os discursos, mas é uma questão normalmente
    muito esquecida no dia a dia da ação concreta. Todos sabemos que é infelizmente assim.
    Não há ninguém que não goste de defender o primado da ética. É, além do mais, politicamente correto. Mas quantos, logo a seguir, a contornam, a violam ou a desrespeitam nos negócios
    que fazem, nas decisões que tomam e nas iniciativas que promovem? Há, nestas matérias,
    sejamos francos, uma dose assinalável de hipocrisia. Salvo raras excepções, desconfio muito
    dos que enchem a boca com testemunhos retóricos de seriedade. É que a seriedade, tal como
    a ética, não se anuncia. Pratica-se. E praticar é sempre mais difícil que anunciar.

    • A última consideração prévia tem a ver com o campo de intervenção da ética. A ética
    não é um exclusivo do desporto, como não o é da política ou da atividade empresarial. O
    respeito por padrões éticos é transversal – ele coloca-se em todas as áreas e afirma-se
    em todos os setores. Mas é natural que as pessoas sejam ainda mais exigentes relativamente a atividades sujeitas a um forte impacto mediático ou a um escrutínio público
    mais constante e permanente. É o caso da atividade desportiva. Sendo uma das atividades com maior mediatização é natural que as pessoas exijam dos seus responsáveis
    – dirigentes, técnicos ou praticantes – um especial comprometimento com a verdade, a
    lealdade e o caráter.

    O restante desse texto escrito por Luís Marques Mendes, em 5 de dezembro de 2011está no site do IPDJ ou no link que vos deixo aqui http://www.fadu.pt/files/protocolos-contratos/PNED_publica_Panathlon.pdf

    Atente-se nas considerações da Ética onde não podemos colocar tudo no mesmo saco e temos o dever de combater o mal com o mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.