Ogier lidera Mundial após terceiro lugar no Rali de Portugal

0

 Rali de Portugal (30 maio a 2 Junho) – Etapa 3 (Final)

Afastados da luta pela vitória devido aos seus sucessivos lugares de partida para a estrada, Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, no entanto, nunca cederam e viram o seu espírito de luta recompensado pelo seu 6ª pódio da temporada, o 7º para o Citroën Total World Rally Team em outras tantas rondas. Igualmente merecedores de um bom resultado, Esapekka Lappi e Janne Ferm não tiveram, contudo, a sorte do seu lado e abandonaram antes do fim do rali.

Com apenas cerca de 52 km no programa para este último dia, composto por Especiais bem conhecidas de todos, as possibilidades de ver Sébastien Ogier e Julien Ingrassia superar a diferença de 11,8 segundos que os separava do pódio eram, de facto, bastante restritas. Além disso, a principal formação do Citroën Total WRT estava particularmente focada na Power Stage, que determina a atribuição de pontos bonificados, mantendo-se atenta a qualquer erro por parte de uma concorrência totalmente sob pressão. Foi precisamente o que aconteceu na última Especial, o que permitiu à dupla francesa ascender à 3ª posição e assegurar o 6º pódio desta temporada, o 7º para o Citroën Total WRT, no final de uma corrida gerida com muita inteligência. Graças aos cinco pontos adicionais conquistados no seguimento do resultado obtido na Power Stage, Sebastian e Julien mantém-se no comando do campeonato.

Tendo chegado a Portugal na liderança do campeonato, ficando, por isso, obrigados a serem os primeiros a sair para a estrada, os sêxtuplos campeões do mundo já estavam a contar com um rali bastante difícil devido às condições de dureza dos pisos e do tempo seco, algo já constatado aquando dos reconhecimentos. Ainda sim, tiveram um primeiro dia verdadeiramente heroico, chegando ao Parque Fechado no 5º lugar à geral, apenas a 3 segundos do pódio, fruto, também, de uma boa estratégia na escolha de pneus. Contudo, no sábado, a diferença nos lugares de partida face aos outros pretendentes ao pódio, não permitiram a Sebastian e Julien a regularidade necessária para se baterem de igual para igual. Daí os 11,8 segundos de distância para o terceiro classificado à partida para a última Etapa, hoje de manhã.

Com apenas 2,3 segundos a separá-los do 4ª posto, após a ES2, Esapekka Lappi e Janne Ferm rubricaram também um bom início de prova, mas tiveram o azar de ver um pneu saltar da jante aquando do impacto no solo na sequência de salto (ES3), caindo abruptamente para a 8ª posição ao final do primeiro dia. Mas, no sábado, os jovens finlandeses iriam dar que falar, recuperando o quinto lugar graças a nada menos de três quatro melhores tempos, tendo passado dois terços do seu dia a recuperar terreno devido ao seu muito castrante 2ª lugar na ordem de partida para a estrada. Infelizmente, um pequeno erro no início desta manhã (domingo), na ES16, revelou-se bastante oneroso para as aspirações da formação escandinava: uma abordagem demasiado incisiva a uma curva para a direita resultou num pião seguido de capotamento. Tentando, de seguida e a todo o custo, defender o seu quito lugar, Lappi e Ferm embateram numa berma elevada, danificando a suspensão traseira esquerda, e foram forçados a abandonar praticamente com a meta à vista.

O QUE ELES DISSERAM…

Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT

“Penso que não era possível obtermos os vinte pontos este fim de semana. Mesmo sem nunca termos tido oportunidade para vencer o rali devido à nossa posição na ordem de saída para a estrada, aplicámos absolutamente todos os nossos recursos, independentemente da situação. Portanto, nesse ponto, este resultado não passa de uma recompensa. Na verdade, eu estava a contar não ser o primeiro na estrada na Sardenha, mas, no final da temporada, todos os pontos contas. Fiquei satisfeito por constatar a nossa competitividade na Power Stage, que foi, de certa forma, a única Especial do fim de semana em que tivemos as mesmas condições de aderência dos nossos rivais. Isso significa que também progredimos em termos de desempenho, embora tenha sido difícil mostrá-lo, dadas as circunstâncias.”

Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT

“Depois de capotar, o nosso carro até que não ficou muito danificado, faltava-lhe apenas o spoiler traseiro. Apostei tudo num ritmo elevado para a Especial seguinte, mas fui demasiado otimista na abordagem a uma curva para a direita, a subir, acabando por embater na berma, o que causou um furo e danificou a suspensão. Tínhamos ainda alguns quilómetros pela frente para conseguirmos continuar em prova apenas com as nossas reparações improvisadas. As minhas desculpas a toda a equipa, que não merecia este final tão frustrante.”

DUAS PERGUNTAS A PIERRE BUDAR, DIRETOR DA CITROËN RACING

Sébastien Ogier e Julien Ingrassia voltaram, este fim de semana, a mostrar uma excelente capacidade de gestão da corrida…

Sim, é verdade! Tendo em conta a sua posição na ordem de partida no primeiro dia, mas também ao longo do fim de semana, eles tiveram um excelente desempenho nestas estradas, onde a ‘limpeza’ é um fator extremamente importante. Apesar de, por isso, não lhes ser possível lutar em pé de igualdade, o Sébastien e o Julien conseguiram manter os seus rivais mais diretos sob pressão, estando sempre alerta para aproveitar todas as oportunidades que surgissem no seu caminho. A sua determinação e resiliência foram recompensadas com mais um pódio e uma forte pontuação para o campeonato. Demonstraram que têm já uma boa ligação com o C3 WRC, o que também confirma que fizemos progressos significativos com o carro, e que estamos no caminho certo. Vamos continuar a trabalhar sempre cada vez mais, porque, na Sardenha, vamos ter de lidar outra vez com a ingrata e desvantajosa tarefa de ‘limpeza’ da estrada.”

Apesar do seu abandono de hoje, estão já bem à vista alguns sinais promissores no desempenho de Esapekka Lappi e Janne Ferm…

“Naturalmente que sentimos alguma deceção pelo facto de não terem chegado ao fim do rali devido a dois erros, especialmente depois de ontem [sábado] terem tido uma jornada espetacular. Após os testes pré-rali, que foram muito positivos porque identificámos a configuração de diferencial mais adequada para eles, o Esapekka e o Janne tinham todas as condições para registar um bom desempenho, portanto estou a contar com a mesma determinação na Sardenha. Vamos agora trabalhar em conjunto e apoiá-los em tudo para que, de futuro, consigam gerir melhor este tipo de situação.”

O PONTO ALTO DO FIM DE SEMANA

Thomas Breton, engenheiro de corrida de Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, record o incrível desempenho da formação durante a primeira etapa, a qual terminaram num quinto lugar algo inesperado…

“Tendo em conta a forma como as estradas iam ‘limpando’ este fim de semana, focámo-nos, durante os testes pré-rali, em maximizar o equilíbrio do carro em condições de baixa aderência. Sem contar com a Especial de abertura de sexta-feira, onde, provavelmente, tiveram de lutar firmemente contra as condições de pouca aderência soltas, o Seb e o Julien foram verdadeiramente incríveis. Também é justo dizer que, na primeira Especial, o Seb mudou inadvertidamente para o ‘modo estrada’, e quando deu conta disso, provavelmente já tinha perdido alguns segundos. As passagens da parte da tarde correram particularmente bem, uma vez que perderam apenas dois décimos de segundo por quilómetro face aos melhores tempos. Sem dúvida que a escolha de pneus também teve um papel determinante no seu desempenho. Devido a serem os primeiros na estrada, e também pelo facto de o Seb ser um piloto cuidadoso com os seus pneus, optamos por uma estratégia diferente dos outros pilotos, na parte da tarde. Mantivemos dois Michelin de dureza média, apesar das altas temperaturas, enquanto que todas as outras equipas optaram por cinco pneus duros. Claro que ter a estratégia certa é muito importante, mas é preciso saber colocá-la em prática e retirar os respetivos benefícios E foi precisamente isso que ele fez. Os registos mostram que o Seb pura e simplesmente, não arrisca quando não há necessidade, e este seu tipo de abordagem deu frutos nos tempos obtidos.”

CLASSIFICAÇÃO GERAL (provisória)

1º Tänak / Järveoja (Toyota Yaris WRC) 3h20’22’’8
2º Neuville / Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +15’’9
3º Ogier / Ingrassia (Citroën C3 WRC) +57’’1
4º Suninen / Salminen (Ford Fiesta WRC) +2’41’’5
5º Evans / Martin (Ford Fiesta WRC) + 7’08’’3
6º Rovanperä / Haltunen (Skoda Fabia R5) + 10’34’’2
7º Latvala / Anttila (Toyota Yaris WRC) + 11’28’’2
8º Kopecky / Dresler (Skoda Fabia R5) + 11’41’’9

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

1º Sébastien Ogier – 142 pontos
2º Ott Tänak – 140 pontos
3º Thierry Neuville – 132 pontos
4º Elfyn Evans – 65 pontos
5º Kris Meeke – 56 pontos
6º Teemu Suninen – 44 pontos
7º Sébastien Loeb – 39 pontos
8º Jari-Matti Latvala – 38 pontos
9º Andreas Mikkelsen – 36 pontos
10º Esapekka Lappi – 34 pontos

* sob reserva da classificação publicada pela FIA

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

1º Hyundai WRT – 202 pontos
2º Toyota Gazoo Racing – 182 pontos
3º Citroën Total WRT – 158 pontos
4º M-Sport Ford WRT – 122 pontos

* sob reserva da classificação publicada pela FIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.